Utrogestan: Bula, Indicação, Efeitos Colaterais, Como Usar

Saiba Tudo Sobre o Utrogestan, Um Medicamento Que Deve Ter a Prescrição de Um Médico. Confira Também Todas As Indicações, Efeitos Colaterais e as Formas de Uso Desta Medicação!

O Utrogestan apresenta a substância ativa da progesterona natural de teor micronizado. Trata-se de um químico idêntico ao hormônio de progesterona que se origina nos ovários.


Portanto, atua como uma suplementação da produtividade do hormônio a partir destes órgãos, quando houver  a necessidade.

O grau de progesterona sanguíneo aumenta a contar os primeiros momentos de ingestão, e picos de plasmas são alcançados de 1h a 3h posteriores ao consumo.

Confira, portanto, as demais informações.

Utrogestan: Quais as Indicações?

Utrogestan

O medicamento, em questão, tem indicação para tratar as seguintes condições clínicas:

  • transtornos de ovulação que se relacionam à deficiência do hormônio como dores e demais modificações do ciclo de menstruação;
  • modificação benigna das mamas;
  • redução da progesterona em 2ª etapa do ciclo;
  • estado deficiente da progesterona em climatério;
  • reposição de hormônio em menopausa como complementação terapêutica com o estrogênio.

A categoria vaginal do medicamento, então, tem indicação para os seguintes critérios:

  • suplemento de etapa lútea em período de ciclo de fertilização in vitro;
  • suporte de progesterona em período da insuficiência dos ovários ou carência completa dos ovários com redução da funcionalidade;
  • suplemento de etapa lútea em período de ciclo espontâneo ou com indução sob situações de infertilidade;
  • aborto precoce ou prevenções de abortos em virtude de insuficiência lútea;

Nas recomendações da categoria vaginal, portanto, é possível fazer uso para a substituição da versão oral, em situações de reações adversas pela utilização do elemento de progesterona, que se destaquem com a sonolência ou tonturas posteriormente ao consumir de forma oral.

Apresentações do Utrogestan

  • drágea gelatinosa de 100mg;
  • óleo de amendoim;
  • lecitina de soja;
  • 200mg de progesterona micronizada.

Efeitos Colaterais do Utrogestan

Dentre os possíveis efeitos colaterais do medicamento, portanto, pode-se notar os seguintes sintomas:

  • fadiga;
  • dores de cabeça;
  • inchaços;
  • modificações do peso;
  • modificação no apetite;
  • inchaço do abdomen;
  • irritabilidade;
  • irregularidade do período menstrual.

O sono pode acontecer, talvez, de uma a três horas posteriores ao consumo da substância. Nesta situação, a dosagem pelo consumo deve ter redução ou readaptação.

Em determinadas situações, deve-se fazer uso da categoria vaginal.


A tontura é, então, capaz de acontecer entre uma a três horas posteriores ao consumo da substância. Nesta situação, a dosagem pelo consumo deve ter redução ou readaptação.

Contraindicações do Utrogestan

Não é possível, portanto, fazer a administração do medicamento nos casos de:

  • sangramento dos genitais de origem sem determinação;
  • câncer de mama ou de demais órgãos genitais;
  • patologias do fígado;
  • acidente vascular cerebral (derrame);
  • câncer de fígado;
  • aborto incompleto  – existência de resíduos da gestação no útero;
  • patologias tromboembólicas;
  • porfiria;
  • tromboflebite;
  • hipersensibilidade a quaisquer compostos da fórmula.

Como Usar o Utrogestan?

O especialista fará a determinação de que via será administrado o medicamento – oral ou vaginal.

Só o especialista pode fazer a identificação com a melhor categoria do medicamento para o caso específico, bem como a melhor eficácia.

Não é possível, portanto, partir, abrir ou mastigar o comprimido.

A recomendação, da via oral, portanto, é que se administre o medicamento em companhia de copo com água, distante das alimentações – com o estômago vazio – de forma preferencial em período noturno.

Insuficiência de progesterona

A dosagem mediana, por conseguinte, corresponde a 200 até 300mg do hormônio micronizado ao dia.

Casos de insuficiência lútea:

  • patologia mamária benigna;
  • síndrome pré-menstrual;
  • pré-menopausa;
  • menstruação irregular.

O tratamento comum, portanto, corresponde a dez datas por ciclo, de forma habitual do 16º ao 25º dia, sendo que deve ter o uso de 200mg a 300mg ao dia. A maneira de uso é a seguinte:


  • 200mg em dosagem única no período noturno;
  • 300mg com divisão por duas dosagens – 100mg 2h posteriores ao desjejum e 200mg no período noturno, antes de dormir.

Reposição de hormônios para menopausa

As terapias de estrogênio isolado, portanto, não tem recomendação pelos riscos maiores de hiperplasia endometrial – a partir de proliferação benigna do endométrio na região do útero.

De forma consequente, então, o hormônio é combinado em dosagens de 100mg a 200mg ao dia, do seguinte modo:

  • 100mg no período noturno, antes de se deitar;
  • 25 a 30 dias no mês;

Pode-se ainda fazer a seguinte divisão:

  • dosagens de 100mg;
  • 12 a 14 dias ao mês;

Ou, então, da seguinte forma:

  • nas últimas 2 semanas das sequências do tratamento;
  • dosagem única de 200mg no período noturno, antes de pegar no sono;
  • 12 a 14 dias ao mês.

Nas dosagens de 200mg, então, é muito comum que se perceba sangramentos de privações posteriores a utilização da progesterona.

Em todas as recomendações, a via vaginal pode ter uso, em mesmas doses de via oral, em situação de efeitos colaterais pela utilização oral.

Categoria vaginal

Cada drágea gelatinosa, portanto, precisa ter a introdução de forma profunda na região da vagina.


O suporte do hormônio em período de insuficiência dos ovários ou carência dos mesmos completo das mulheres é para a situação em que há a redução da funcionalidade destes órgãos.

Não se automedique! Procure sempre um especialista para avaliar a sua condição clínica!

IMPORTANTE: Esse conteúdo é apenas para fins educacionais e não substitui de forma alguma a orientação de um médico. Consulte sempre um médico.