Osteoporose: O Que é, Informações, Causas, Tratamentos

Confira Todas as Informações Sobre a Osteoporose. Veja as Causas, Sintomas e Opções de Tratamento Para Esta Condição que Acomete a Saúde!

A Osteoporose é uma condição que prejudica muitos indivíduos, principalmente idosos. Isto porque a condição é um tipo de enfraquecimento dos ossos que ocorre com o passar do tempo e uma má alimentação sem cálcio.


É um quadro que desencadeia fraturas e pode levar os pacientes a óbito. Veja os tipos de tratamentos disponíveis para quem sofre desta patologia.

O Que é Osteoporose?

Osteoporose

Trata-se de uma patologia do metabolismo, sistêmica, que prejudica os ossos dos pacientes. A doença prevalece em acompanhamento de mortalidades e morbidade de fraturas, que aumentam de ano a ano.

Há a estimativa de que o envelhecimento seja um apontador do aumento de fraturas, principalmente em pessoas maiores de 65 anos.

Assim como quaisquer outros tecidos do organismo, os ossos são estruturas vivas que necessitam estarem saudáveis.

Isto ocorre através de remodelações de ossos velhos em novos. A patologia acontece quando o organismo deixa de compor material dos ossos de teor novo com suficiência.

Além disso, também quando há material de ossos antigos reabsorvidos pelo organismo – em determinadas situações pode acontecer as duas formas.

Caso os ossos não estejam em renovação como, de fato, devem estar, eles vão enfraquecendo e ficando mais finos.

Isto faz com que fiquem sujeitos a mais fraturas.

Causas da Osteoporose

Disponibilizamos em nosso organismo, células que se caracterizam por compor os ossos e outras por reabsorvê-los.

O tecido ósseo envelhece com o passar do tempo, bem como demais elementos celulares do nosso organismo.

Os tecidos dos ossos já envelhecidos são destruídos pelos elementos celulares denominados como osteoclastos e construídos por elementos celulares reconstrutores – osteoblastos.

Tal procedimento de destruição celular é denominado como reabsorção dos ossos, que permanece comprometido na patologia, em questão, porque o organismo absorve mais os ossos do que produzi-lo.

Determinadas condições podem gerar interferências na composição óssea como:

Deficiência de cálcio

Trata-se de um mineral de teor essencial à composição adequada do osso. Em período da juventude, o organismo utiliza o mineral para a produção do esqueleto.

Ainda, os ossos são os principais reservatórios do cálcio. Este é que promove o fornecimento da nutrição para demais funcionalidades do organismo, com função cardíaca.

Ao passo que o metabolismo ósseo esteja equilibrado, há a retirada e reposição do cálcio dos ossos sem o comprometimento da estrutura.

Os nutrientes têm a obtenção através dos alimentos. Portanto, o consumo do cálcio, quando sem suficiência, o organismo não absorve e não produz o osso e tecidos.

Isto porque não há a nutrição suficiente para a produção do esqueleto e suprimento de todas as demandas do cálcio para o restante do organismo.

Desse modo, o consumo com insuficiência ou a absorção ruim da nutrição pode ser uma das razões da osteoporose.

Menopausa e Envelhecimento

Uma média de 80% dos indivíduos com a patologia têm associação a menopausa ou envelhecimento.


Isto porque, em caso de envelhecimento, há a necessidade de fazer a compreensão de que os ossos tem o crescimento apenas até os 20 anos.

A densidade promove um aumento até os 35 anos, e a contar da faixa etária, a perda dos ossos aumentam de forma gradativa, como fragmento do procedimento natural de envelhecer.

Se a pessoa não tenha estocado a densidade adequada dos ossos para suprimento da elevação gradativa de reabsorções, o osso fica quebradiço e mais frágil, desencadeando a osteoporose.

Ao passo que a mulher esteja em momento fértil, há a existência de produtividade elevado do estrogênio.

Em abundância, este hormônio promove o retardo da reabsorção óssea, com a redução de perda e se responsabiliza por fixar o cálcio nos ossos, de modo a contribuir para que o esqueleto esteja fortalecido.

Em oposição, a mulher em período ou posteriormente a menopausa produz o estrogênio de maneira muito reduzida, visto que não há mais a necessidade para a menstruação.

O hipoestrogenismo traz contribuições para que se perca a massa dos ossos de forma mais célere, de forma principal em primeiros momentos da pós-menopausa.

Desse modo, a etapa da vida feminina pode ser um fator para a condição patológica, em questão.

No público masculino, os níveis baixos da testosterona também facilitam a condição, visto que o hormônio penetra na composição do tecido dos ossos.

Remédios e Doenças

Determinados casos podem desencadear o aparecimento da patologia, tendo responsabilidade por 20% da situação total da condição. Contudo, pode ser comum em público jovem e demais fatores como:


  • hipertireoidismo;
  • hiperparatireoidismo;
  • Síndrome de Cushing;
  • acromegalia;
  • doença dos rins;
  • mieloma múltiplo;
  • doença inflamatória do intestino;
  • doença celíaca;
  • homocistinúria;
  • pós-gastrectomia;
  • hemocromatose;
  • doença reumática.

A utilização de alguns remédios também podem desencadear a situação. São eles:

Sintomas da Osteoporose

  • Sensibilidade dos ossos;
  • dores nos ossos;
  • redução da altura com o tempo;
  • dores nas áreas lombares em virtude de fraturas na coluna;
  • dores no pescoço em virtude de fraturas ósseas;
  • postura cifótica ou encurvada.

A patologia é silenciosa, sendo difícil os sintomas e há a expressão de fraturas por pouquíssimo ou traumas levíssimos, de forma frequente nas regiões a seguir:

  • colo de fêmur;
  • punho;
  • coluna;
  • fêmur.

Tratamento para Osteoporose

A doença é de cura extremamente dificultosa, sendo quase impossível, em determinadas situações. Contudo, é possível fazer com que a primeira fratura seja a última, ou, ainda, evitar demais lesões.

Se tiver perdas dos ossos relevantes, os tratamentos podem causar o impedimento de agravamentos, porém não se elimina a patologia.

O intuito com o tratamento da condição é fazer o controle das dores, o retardo ou interrupção das perdas dos ossos e prevenção de fraturas.


A seleção do tratamento dependerá da razão da osteoporose – caso seja pelo excesso de ossos reabsorvidos ou pela produção de massa de ossos deficientes – e demais patologias recorrentes.

Fazer exames periódicos é essencial. Consulte o especialista!

IMPORTANTE: Esse conteúdo é apenas para fins educacionais e não substitui de forma alguma a orientação de um médico. Consulte sempre um médico.