Prolia: Bula, O Que é, Indicações e Contraindicações

O Prolia é uma solução injetável produzida pelo laboratório AMGEN. Trata-se de um medicamento amplamente consumido sobretudo pelas mulheres, já que ele serve para tratar determinados problemas de saúde que afetam em maior parte as pessoas do sexo feminino. Para saber todos os detalhes do Prolia, confira nosso artigo.

Prolia – Indicações

Prolia

O uso do Prolia é indicado especificamente para o tratamento da osteoporose e quadros de perda óssea causada por diversos fatores.


A osteoporose é uma doença caracterizada pela perda de densidade óssea, que provoca um grande aumento dos riscos de fraturas e demais complicações nos ossos.

Esse medicamento serve para tratar a osteoporose e perdas ósseas em diversas manifestações. São elas:

– Osteoporose em mulheres na fase de pós-menopausa. No caso dessas pacientes, o Prolia eleva a densidade mineral óssea e diminui a incidência de fraturas que podem afetar diversas partes do corpo, sobretudo o quadril.

– Osteoporose em homens. Embora o quadro de osteoporose nos homens seja menos comum que nas mulheres, esse medicamento apresenta os mesmos resultados no organismo masculino com relação à reestabilização da estrutura óssea.

– Osteoporose relacionada aos tratamentos sistêmicos com glicocorticoides recém-iniciados ou sustentados, tanto em mulheres quanto em homens.

– Ocorrência de perda óssea em pessoas que estão em tratamento de câncer de próstata ou de mama, situações que provocam redução dos níveis de hormônios. Ao fazer uso do Prolia, os pacientes com câncer de próstata tornam-se menos suscetíveis às fraturas vertebrais.

Como o Prolia Age?

A substância ativa contida no Prolia é chamada de denosumabe. Trata-se de uma proteína conhecida também como anticorpo monoclonal, responsável por atuar na ação de uma outra proteína com o objetivo de tratar os quadros de perda óssea e osteoporose.

O estrogênio é um dos hormônios responsáveis por manter a saúde óssea. O tecido ósseo é vivo e se renova o tempo todo.

Logo, manter níveis adequados de estrogênio no organismo é fundamental para garantir a boa condição dos ossos.

Depois da menopausa, naturalmente o nível de estrogênio no organismo feminino cai e isso faz com que os ossos fiquem mais frágeis e finos − o que acarreta os quadros de osteoporose.

Ainda que a maioria das mulheres que já sofrem com osteoporose não notem sintomas, elas correm um sério risco de sofrer fraturas ósseas repentinas na coluna, nos punhos e no quadril.

O Prolia, ao promover o aumento da densidade óssea, previne e combate a osteoporose antes que essa doença apresente consequências mais graves.

Composição da Fórmula

Com relação à composição do Prolia, cada 1,0 desse medicamento contém:

– Denosumabe (60mg);
– Excipientes (hidróxido de sódio, ácido acético glacial, polissorbato 20, sorbitol e água para injetáveis).

Contraindicações do Prolia

Ainda que o Prolia ofereça uma série de benefícios para o organismo, principalmente para a saúde óssea, esse medicamento não é indicado nas seguintes situações:


– Gestantes;
– Lactantes (mulheres que estão amamentando);
– Crianças;
– Adolescentes (idade inferior a 18 anos);
– Pessoas que apresentam baixos níveis de cálcio no sangue (hipocalcemia);
– Pessoas que apresentam insuficiência hepática ou doenças que prejudicam o funcionamento do fígado;
– Pacientes que apresentam reações alérgicas ao denosumabe ou qualquer uma das principais substâncias contidas nesse medicamento.

Efeitos Colaterais do Prolia

Com relação aos possíveis efeitos colaterais apresentados pelo Prolia, os mais comuns são:

– Dores nos ossos, articulações e/ou músculos;
– Dores nos braços ou nas pernas;
– Dor ao urinar, aumento da necessidade de urinar, incapacidade de reter urina e presença de sangue na urina;
– Prisão de ventre;
– Erupções na pele;
– Infecção no trato respiratório superior;
– Queda capilar;
– Coceira, vermelhidão e/ou ressecamento da pele;
– Desconforto abdominal;
– Dores, formigamentos ou dormência que se estende pela perna (ciática).

No que se refere às reações incomuns do Prolia, elas são:

– Infecção profunda ou superficial da pele;
– Irritação na pele.

Já com relação às reações raras, elas são:

– Osteonecrose da mandíbula (doença que acomete os vasos sanguíneos do osso);
– Hipocalcemia (baixa quantidade de cálcio no sangue).

As reações consideradas muito raras com relação ao uso do medicamento, são:

– Fratura femoral atípica (fraturas em locais do fêmur relacionadas a mínimo ou nenhum trauma).

Precauções Gerais do Prolia

– Consultar um médico antes de usar o Prolia;
– Informar imediatamente ao médico responsável pelo tratamento possíveis ocorrências de um ou mais dos efeitos colaterais mencionados;
– Informar ao médico possíveis alergias ao látex (a tampa da agulha da seringa preenchida contém um derivado do látex);
– Enquanto o paciente estiver fazendo o tratamento com o Prolia, é necessário ingerir suplementos de cálcio e de vitamina D;
– Informar ao médico quadros anteriores ou atuais de problemas graves nos rins, insuficiência renal ou necessidade de procedimentos de diálise;
– Fazer uma avaliação completa da saúde bucal para verificar a condição geral dos dentes e gengivas. Antes de iniciar o tratamento com Prolia é necessário que as condições bucais estejam adequadas.

Posologia e Como Usar o Prolia

A dosagem indicada desse medicamento é uma seringa preenchida de 60mg a cada 6 meses. Trata-se de uma injeção única que deve ser aplicada sob a pele.

Os melhores locais do corpo para fazer essa aplicação são: parte superior das coxas, abdômen e braços.

Todo paciente que faz uso de Prolia, depois de autorizado pelo médico, deve ingerir suplementos de cálcio e de vitamina D, já que a baixa quantidade de cálcio ou de vitamina D no organismo prejudica bastante o tratamento e traz riscos ao paciente.

Essa injeção pode ser aplicada em hospitais ou farmácias mediante autorização por escrito do médico responsável pelo tratamento.

Obs.: em hipótese alguma o paciente deverá aplicar essa injeção sozinho.

Interações Medicamentosas

Não há registros de efeitos inadequados provocados pela interação do Prolia juntamente com outros medicamentos.


No entanto, ainda é necessário sempre informar ao médico o uso de outros medicamentos antes de iniciar o tratamento com o Prolia.

Além dessas informações, cabe sempre ao médico responsável pelo tratamento da osteoporose ou demais quadros de perda óssea de acordo com as condições clínicas de cada paciente e prescrever o melhor tratamento.

Depois de conhecer sobre o Prolia, converse com seu médico e esclareça todos os detalhes quanto ao uso desse medicamento.


Dessa maneira, você garante mais saúde, qualidade de vida e bem-estar de um modo geral.

Para que os medicamentos possam ser comercializados, eles devem ser registrados na Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária). Em casos de dúvida, verifique no portal da Agência em “Consulta de Produtos”, pois pode ser um medicamento irregular ou falsificado.

IMPORTANTE: Esse conteúdo é apenas para fins educacionais e não substitui de forma alguma a orientação de um médico. Consulte sempre um médico.