Tetraciclina: Bula, Indicações, Efeitos Colaterais, Como Usar

Confira Tudo Sobre a Tetraciclina, Uma Medicação Específica Prescrita Pelo Seu Médico. Conheça as Principais Indicações e Modos de Uso do Remédio!

A Tetraciclina é um medicamento que trata condições específicas como sífilis, otites, acnes, clamídia e diversas infecções que podem, portanto, acometer o organismo.


Confira, então, todas as informações sobre esta medicação que deve ter a prescrição pelo médico especialista.

Tetraciclina: Quais as Indicações?

Tetraciclina

A Tetraciclina, apresenta a indicação para as condições, a seguir, de acordo com a recomendação do médico especialista.

  • tratamento de acne vulgar;
  • tratamento de actinomicose provocada pelo Actinomyces israelii;
  • tratamento de infecções geniturinárias como gonorreia e clamídia;
  • tratamento de antrax provocado pelo Bacillus anthracis;
  • tratamento de gengivoestomatite provocada pelo Fusobacterium fusiformisans;
  • tratamento de otite média;
  • tratamento de faringite;
  • tratamento de pneumonia e sinusite;
  • tratamento de granuloma inguinal provocada pelo Calymmatobacterium granulomatis;
  • tratamento de tifo provocado por rickettsias;
  • tratamento de linfogranuloma venéreo pela Chlamydia sp;
  • tratamento de sífilis provocada pelo Treponema pallidum;
  • tratamento de infecções bacterianas do aparelho urinário provocado por escherichia coli e Klebsiella sp;
  • tratamento de infecção do reto menor;
  • enterocolite provocada por shigella sp;
  • amebíase extra do intestino provocada pelo Entamoeba histolytica, utilizado em conjunto ao metronidazol.

Apresentações da Tetraciclina

Esta medicação é composta por 500mg de substância antibiótica indicada, portanto, para tratar infecção provocada pelos organismos que apresentam sensibilidade à tetraciclina, em faixa etária adulta.

  • 500mg de Tetraciclina.

Efeitos Colaterais da Tetraciclina

É possível que mulheres grávidas, indivíduos que tenham recebido dosagens altas da tetraciclina de modo intravenoso e aqueles que, então, apresentam funcionalidade dos rins comprometida apresentem pré-disposições para adquirir hepatotoxicidade com indução pela utilização da tetraciclina.

Contudo, a hepatotoxicidade pode, também, acontecer em indivíduos que não apresentem tal pré-disposição.

Em ambas as situações, portanto, tal incidência desta reação adversa é rara.

Situações de alergia aos elementos das tetraciclinas são, de forma muito comum, cruzadas e apresentam manifestação como:

  • hipoplasia de esmaltes;
  • modificações da pele;
  • descolorações dos dentes;
  • vômito;
  • diarreia;
  • náusea;
  • dores e queimações epigástricas;
  • candidíase oral;
  • coceira anal;
  • vulvovaginite;
  • descoloração da língua;
  • escurecimento da língua;
  • fotossensibilidade da pele;
  • colite pseudomembranosa.

Interações por Medicamentos

É possível que haja interação com as substâncias antiácidas, suplementações de cálcio, ferro, salicilato e colina ou magnésio e lavante composto por magnésio.

O uso de tetraciclina de forma concomita, então, pode causar a composição de complexos estáveis que não sofrem absorção.


  • Bicarbonato de sódio;

O consumo concomitante a partir do bicarbonato do sódio pode trazer resultados em absorções reduzidas de tetraciclina em virtude do pH gástrico elevado.

O consumo deste medicamento pode reduzir o teor de absorção gastrointestinais de tetraciclinas.

  • Digoxina;

As tetraciclinas podem aumentar o grau da digoxina pelo soro.

  • Insulina;

As tetraciclinas, contudo, podem promover a redução da necessidade insulínica, havendo, então, a necessidade do controle e monitoramento da glicose pelo sangue.

Contraindicações da Tetraciclina

Este cloridrato não pode ter administração aos indivíduos que são hipersensíveis aos elementos de tetraciclinas. Há também a contraindicação específica, portanto, para mulheres grávidas e em período de lactação.

Como Usar a Tetraciclina?

Na utilização como substância antibacteriana – antiprotozoários:


  • 500mg de 6h em 6h ou 500mg a 1g de 12h em 12h;

Na utilização em tratamento da acne, portanto:

  • de forma inicial, 500mg a 2g por dia, em dosagens com divisão, nas situações moderadas a graves como adjuvantes de terapia; ao perceber melhoras – de modo geral entre três semanas – a dosagem deve ter a redução gradual para uma dosagem por dia de até 1 grama.

Na utilização em tratamento de brucelose:

  • 500mg de 6h em 6h, em período de três semanas, com administração concomita de 1g da estreptomicina pelo músculo de 12h em 12h, em 1ª semana e 1x por dia na 2ª semana.

Na utilização em tratamento de gonorreia:

  • 500mg de 6h em 6h, em período de cinco dias;

Na utilização em tratamento da sífilis:

  • 500mg de 6h em 6h pelo tempo de 15 datas ou pelo tempo de um mês – sífilis tardia;

Observação: a indicação para a sífilis em relação a este medicamento é para o caso de houver contraindicação da penicilina.

Em infecção uretral não complicada, infecção retal provocada pela clamídia ou endocervicites:

  • 500mg, quatro vezes por dia, em período de, no mínimo, sete dias;

O máximo deste ingestão, portanto, por dia é de 4g.

Tetraciclina é bom para acne?

A acne trata de uma condição que recorre e que traz prejuízos a grandes números de indivíduos no mundo inteiro, portanto, comum na puberdade de muitos jovens.

Trata-se de uma dermatose de caráter crônico que apresenta características lesionadas de inflamação e que acometem de modo geral a face.

As acnes ou espinhas, portanto, são patologias que atingem os folículos da sebácea da cútis e se origina em grande quantidade em aspectos que variam de indivíduo para indivíduo, de origem hereditária, disfuncionalidades hormonais, excesso de óleo no corpo ou, então, elevação de parasitas acnes.

Em diversas situações, contudo, as espinhas podem, então, desencadear problemas muito insatisfatórios por prejudicar o teor estético e provocar desconfortos como descontentamentos de aparências.

As tetraciclinas são medicamentos que podem trazer resultados positivos em relação a acne do tipo vulgar, que se destaca em grandes quantidades no rosto.

Este antibiótico apresenta a capacidade de eliminar a bactéria que produz a acne vulgar. Portanto, pode-se sim afirmar que o, então, medicamento é um bom elemento para a acne.

Automedicação

Todo o medicamento apresenta condições adversas em seus efeitos e precisam, então, ser prescritos, portanto, por um médico especialista.


Do contrário, é possível que as situações clínicas disponíveis possam acabar desencadeadas a quadros ainda piores da saúde. Consulte, portanto, um especialista e não deixe fazer exames periódicos!

Para que os medicamentos possam ser comercializados, eles devem ser registrados na Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária). Em casos de dúvida, verifique no portal da Agência em “Consulta de Produtos”, pois pode ser um medicamento irregular ou falsificado.

IMPORTANTE: Esse conteúdo é apenas para fins educacionais e não substitui de forma alguma a orientação de um médico. Consulte sempre um médico.