Omcilon: Bula, Indicações, Efeitos Colaterais, Como Usar

Confira Tudo Sobre o Omcilon , Uma Medicação Específica Prescrita Pelo Seu Médico. Conheça as Principais Indicações e Modos de Uso do Remédio!

O Omcilon é uma medicação corticosteróide sintética que apresenta efeito anti-inflamatório em ação no alívio dos sinais com associação a lesão inflamatória oral e lesão ulcerativa que resultam de traumas. É um medicamento de ação temporária.


Omcilon: Quais as indicações?

Omcillon

A substância da triancinolona acetonida é o elemento ativo do Omcilon.

Trata-se de um elemento corticosteróide sintético que apresenta efeito anti-inflamatório, antialérgico e antipruriginoso, que atua reduzindo inflamações, pruridos e reação alérgica da mucosa da boca.

Omcilon age como um transporte adesivo para a aplicação do remédio ativo ao tecido oral.

O transporte é capaz de proporcionar coberturas de proteção que podem atuar para a redução temporária das dores, com associação a irritações orais.

Apresentações do Omcilon

  • Bisnaga composta por 10g;

Utilização tópica e adulta.

  • cada 1g do medicamento apresenta 1 mg da triancinolona acetonida.

Excipientes

  • gelatina;
  • pectina;
  • petrolato líquido;
  • carmelose sódica;
  • polietileno.

Efeitos Colaterais do Omcilon

O consumo prolongado de Omcilon pode levar a condução de efeitos colaterais conhecidos da ocorrência de preparação esteroide sistêmica.

A exemplo disso podem surgir os sintomas de:

  • supressão adrenal;
  • modificação do metabolismo glicêmico;
  • catabolismo proteico;
  • ativação da úlcera péptica e demais.

Tais situações são de caráter reversível e somem ao passo que o hormônio tem sua descontinuação. É importante informar ao especialista o surgimento de reação indesejável pela utilização do remédio.

Contraindicações do Omcilon

Omcilon contraindicado em indivíduos que apresentam história de hipersensibilidades a quaisquer compostos da fórmula.

Em virtude da apresentação da substância corticosteroide, o medicamente tem contraindicação para a presença de infecção fúngica ou por bactérias da garganta ou boca.

Exemplo disso é a tuberculose e as lesões provocadas pelo herpes.

Como Usar o Omcilon?

Faça a aplicação de pequenos quantitativos, uma média de 6mm da Omcilon, sem que esfregue, nas lesões até que haja o desenvolvimento de películas finas.

É possível haver a necessidade de aumentar a cobertura em determinadas lesões.

Para que haja um resultado melhor, utilize somente um quantitativo com suficiência para a cobertura das lesões a partir de películas finas.

Não esfregue. Tentar espalhar o medicamento pode apresentar granulados e areias, causando um produto desagregado.

Contudo, posteriormente ao aplicar o Omcilon, há o desenvolvimento de uma película que escorrega e é lisa.


O medicamento pode ter aplicação, geralmente, em período noturno.

A depender do teor de gravidade dos sinais, é possível que haja a necessidade de aplicar entre duas a três vezes por dia, preferencialmente depois das alimentações.

Caso não ocorra a melhora em sete dias, o conselho é realizar demais testes.

Seguir a recomendação do especialista, é imprescindível. Observe o horário, a dosagem e o tempo do tratamento.

Triancinolona Acetonida

Trata-se, então, do princípio ativo deste medicamente de suspensão nasal, mas não disponibiliza ação imediata a sinais de alergias.

Pode-se perceber melhora em sintomas de indivíduos em primeira data do tratamento, bem como alívio entre três a quatro dias.

O princípio ativo, ao passo que descontinuado, pode não reincidir sintomas por muitos dias.

Esta substância, portanto, é um elemento que deriva da triancinolona e, uma média de 8x maior em relação a sua potência do que o elemento de prednisona nos modelos inflamatórios nos animais.

Ainda que o sistema de precisão do efeito antialérgico corticosteroide não seja conhecido, portanto, compreende-se que são de forma clínica muito eficientes para tratar patologias como alergias.

Administrar intranasal a dosagem única do princípio ativo em público adulto sadio e em indivíduos que apresentam rinites alérgicas apresentar absorções baixíssimas do elemento.


Cuidados com a saúde da boca

A excelente higiene da boca é um tipo de atitude imprescindível para que se adote e mantenha a saúde bucal em dia.

Os dentes bem cuidados não apenas fazem a contribuição para uma aparência mais bonita, mas é relevante para que se possa fazer a devida mastigação e falar adequadamente.

Fazer a manutenção da saúde da boca é imprescindível para, inclusive, a autoestima dos indivíduos.

Cuidados todos os dias são preventivos. Eles correspondem a escovações boas e utilização correta dos fios dentais.

Tudo isso colabora para que se evitem problemas de dentes que se caracterizem gravíssimos.

É preciso ter em mente que prevenir é o modo mais econômico, menos dolorido e menos estressante de manter o cuidado com esta saúde.

Ao se realizar a prevenção, portanto, evitam-se tratamentos que podem se tornar graves.

Há diversas atitudes simples que, cada um pode exercer para a redução significativa dos riscos de cáries sendo desenvolvidas, gengivites e demais condições bucais.

Confira as principais dicas para seguir com a mucosa da boca sempre bem cuidado e saudável. Não deixe de conferir estes hábitos.

  • Fazer a boa escovação dos dentes e utilizar fios dentais todos os dias;
  • Consumir alimentação balanceada;
  • Evitar o consumo entre as refeições principais;
  • Utilizar produto de higiene bucal, incluindo cremes dentais que apresentem flúor;
  • Utilizar enxaguante da boca com o flúor, se houver a recomendação do dentista;

É importante fazer a garantia de que o público pediátrico menor que 12 anos faça, então, o consumo da água em temperatura potável com flúor ou suplementação composta por ele, caso haja a residência em região que não á água fluoretada.

Automedicação

A automedicação pode apresentar riscos graves à saúde. Proteja o seu organismo contra aquilo que pode piorar a situação pela qual está tentando melhorar.


Procure o auxílio médico e faça exames todos os anos, periodicamente. A saúde deve vir, portanto, sempre em primeiro lugar!

Para que os medicamentos possam ser comercializados, eles devem ser registrados na Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária). Em casos de dúvida, verifique no portal da Agência em “Consulta de Produtos”, pois pode ser um medicamento irregular ou falsificado.

IMPORTANTE: Esse conteúdo é apenas para fins educacionais e não substitui de forma alguma a orientação de um médico. Consulte sempre um médico.