Serotonina: Bula, Indicação, Efeitos Colaterais, Como Usar

Saiba Tudo Sobre o Medicamento Serotonina, Bem Como os Possíveis Efeitos Colaterais. Confira As Indicações, Contraindicações e Ainda As Formas de Uso Deste Remédio Que Deve Ter Prescrição Médica.

A Serotonina é uma substância neurotransmissora que age na região cerebral, de modo a estabelecer comunicação entre os elementos celulares nervosos, com a possibilidade também de serem disponibilizados no sistema digestório e plaquetas sanguíneas.


O hormônio tem produção por meio de aminoácidos denominados triptofanos, alcançados por meio de alimentações.

Serotonina

A Serotonina é uma categoria hormonal que age de modo a regular:

  • Sono;
  • Humor;
  • Apetite;
  • Ritmo do coração;
  • Temperatura do corpo;
  • Sensibilidade;
  • Funções intelectuais.

Portanto, quando o hormônio se localiza numa baixa concentração, é possível provocar o mau humor, bem como:

  • Ansiedade;
  • dificuldade para dormir;
  • Depressão.

Um dos modos de promover o aumento de concentrações da serotonina na circulação do sangue é a ingestão de alimentos que sejam fontes de triptofano, bem como a prática de atividades físicas regulares e em situações mais severas, o consumo de medicamentos.

Serotonina: Quais as Indicações?

Este elemento é imprescindível para várias funcionalidades do organismo. Portanto, é revelante que os quantitativos do hormônio permaneçam equilibrados.

Age na movimentação intestinal

A substância se localiza em grandes quantitativos na região estomacal e intestinal, auxiliando a controlar a funcionalidade e movimentação do intestino.

Regulagem do humor

A substância é capaz de atuar na região cerebral de modo a regular a ansiedade, de modo a aumentar a felicidade e melhorar o humor. Portanto, os níveis baixos do hormônio são capazes de provocar ansiedade e desencadear depressão.

Regulagem de náusea

A produção desta substância promove o aumento para auxiliar a eliminação de elementos tóxicos intestinais, a exemplo de situações como a diarreia. Tal elevação promove o estímulo também de uma área cerebral que consegue controlar as náuseas.

Regulagem do sono

A substância também promove o estímulo de áreas cerebrais que promovem o controle do sono e despertar.

Coagulação do sangue

As plaquetas sanguíneas promovem a liberação da substância, em questão, para auxiliar no processo de cicatrização de feridas. O elemento desencadeia a vasoconstrição, de modo a facilitar a coagulação sanguínea.

Saúde Óssea

A substância é capaz de desempenhar o papel da saúde óssea. Graus significativos nas camadas ósseas podem desencadear a osteoporose, tornando os ossos fraquíssimos.

Função Sexual

Nível baixos da substância se associam com a elevação do apetite sexual, ao passo que altos dosagens deste hormônio se associação a um diminuição do apetite sexual.

Apresentações da Serotonina

Em situações de maior gravidade, como depressões ou ansiedade excessiva, é possível que haja a necessidade de consumo de medicamentos.

Há diversos remédios que apresentam este hormônio. São medicações prescritas por um médico.

Eles são utilizados como inibidores seletivos de recaptação do hormônio em questão. Podem ser destacados com os seguintes nomes:


Efeitos Colaterais da Serotonina

Além das reações adversas e do formato do efeito, o especialista também leva em consideração o estado da saúde, a faixa etária e a utilização de demais remédios.

Determinadas patologias devem ser mencionadas ao especialista, pois influenciam na seleção dos remédios.

Para que se evite engordar

Os indivíduos que portam a obesidade precisam evitar as substâncias antidepressivas que promovem o aumento do peso ou do apetite como os seguintes:

A preferência deve ser as substâncias como Fluoxetina.

Para que se possa parar de fumar

É possível encontrar vantagens na utilização do medicamento Bupropiona, neste caso, porque auxilia na redução do vício.

Para aqueles que apresentam insônia

Neste caso, a recomendação é utilizar os medicamentos que aprimoram o sono como os seguintes:


Para aqueles que apresentam patologias do coração

Nestas situações, é preciso evitar as substâncias antidepressivas tricíclicas como as seguintes:

  • Imipramina;
  • Amitriptilina;
  • Clomipramina;

Estes medicamentos podem causar interferências nos batimentos do coração.

Para aprimorar a vida sexual

A recomendação é que se evite a categoria de ISRS, como a substância denominada pela paroxetina. Deve-se fazer a preferência a demais medicamentos como:

  • Mirtazapina;
  • Trazodona;

Para aqueles que apresentam epilepsia

Nesta patologia, a orientação é que se evite determinadas categorias antidepressivas como  a Bupropiona. É preciso conversar com o especialista de Neurologia.

Porém, além destes medicamento, utilizar psicoterapias também é imprescindível para que o tratamento tenha maior eficácia. Além disso, é a principal alternativa para situações de depressão de teor leve.

Baixa Serotonina no Organismo

A concentração baixa deste hormônio no corpo pode desencadear o surgimento das seguintes situações:

  • Mau humor pelo período da manhã;
  • Sono ao longo do dia;
  • Inibição do apetite sexual;
  • Desejo de comer doce;
  • Comer a todo o momento;
  • Dificuldades em aprender;
  • Transtornos da memória e de concentração;

Além desta situação, o indivíduo pode acabar se sentindo cansado e ficar impaciente de modo muito fácil, indicando que o organismo necessita de maior quantidade do hormônio na circulação do sangue.

Como Usar a Serotonina?

As substâncias antidepressivas, como as já mencionadas Fluoxetina; Paroxetina; Sertralina e Amitriptilina, são tipos de medicações que tratam a depressão atuando em relação a noradrenalina, serotonina e dopamina. Isto faz com que haja o reequilíbrio do humor do paciente.

As medicações têm indicação para tratar a depressão moderada ou grave, em que há os sinais de:

  • Modificação do sono;
  • Angústia;
  • Tristeza;
  • Modificação do apetite;

A dosagem de início é baixa em virtude de que, de modo geral, a substância antidepressiva inicia a sua ação posteriormente a duas semanas e pode demorar entre seis a oito semanas para que se perceba a ação totalizada no organismo.


Tempo de Uso

A utilização da substância antidepressiva não provoca a dependência e precisa de uso enquanto houver a necessidade para que o indivíduo tenha tratamento, sendo que a indicação é de:

  • Uma média de 12 meses para depressão leve;
  • Uma média de 24 meses para a depressão moderada;
  • Considerar o consumo do remédio ao longo da vida para a depressão grave.

O imprescindível é sempre consultar os especialistas! Saúde em primeiro lugar.

IMPORTANTE: Esse conteúdo é apenas para fins educacionais e não substitui de forma alguma a orientação de um médico. Consulte sempre um médico.