Febre Amarela: O Que é, Informações, Causas, Tratamentos

Saiba Tudo Sobre a Febre Amarela, Uma Patologia Que Acomete a Saúde Humana. Confira os Principais Sintomas e Tratamentos!

A Febre Amarela é uma doença provocada pelo vírus e com a transmissão a partir dos mosquitos. Trata-se de uma condição que precisa de atenção e tratamento específico. Acompanhe a forma de curar e se livrar deste mal!


O Que é a Febre Amarela?

Febre Amarela

A Febre Amarela é uma patologia de infecção provocada pelo vírus, com transmissão pelo mosquito. As infecções podem ter duas categorias:

  • urbana – com transmissão pelo Aedes aegypti;
  • silvestre – com transmissão pelo Sabethe e pelo Haemagogus.

A patologia hemorrágica e aguda recebem tal nomenclatura, em razão do corpo amarelo e hemorragia em vários níveis.

Ainda que leve a consideração de vírus que transmite perigo, grande parte dos indivíduos caracterizam-se assintomáticos e conseguem evoluir até a cura.

Tal febre corresponde a categoria de arboviroses, considerando diversas diferenças entre o Zika e a Dengue, ainda que pertençam a categoria de Flavivírus.

Causas da Febre Amarela

A patologia apresenta a transmissão pelo mosquito, de forma principal, o Aedes aegypti – áreas urbanas – e o Haemagogus – área rural.

Os mosquitos são infectados ao picar um indivíduo ou animal que apresentam a patologia. Em seguida, há o desenvolvimento da patologia e a transmissão para quem ele pique.

Ciclos da Doença

Categoria Silvestre – os mosquitos destas áreas acabam se infectando ao picar primatas com a patologia e podem fazer a transmissão para humanos que visitem esse ambiente.

Categoria Urbana – o humano com infecção anterior pela patologia faz a transmissão para o mosquito urbano, de mesma forma que o Aedes aegypti, que espalham o mesmo.

É imprescindível fazer o alerta para ambas as situações da patologia. São as mesmas. O diferencial do ciclo de transmissão somente auxilia nas técnicas para que se evite a doença.

O indivíduo continua em situação de viremia. Isto significa que apresenta a capacidade de transmissão do vírus para mosquito pelo prazo de uma semana posteriormente à picada.

De modo geral, o vírus provoca sinais em indivíduos que nunca apresentam a patologia ou que não foram vacinados contra a doença.

Não existem dados da transmissão da doença diretamente entre indivíduos.

A última situação da patologia urbana teve o registro no país no ano de 1942. Todos os registros decorreram depois desta época têm decorrência de transmissão silvestre.

Transmissão de Febre Amarela pelos Macacos

Além dos humanos, as infecções pelo vírus também podem prejudicar outros animais. O macaco pode acabar desenvolvendo a patologia silvestre de maneira inaparente.

Porém, pode apresentar o quantitativo de vírus com suficiência para a infecção. O macaco não é capaz de transmitis a patologia aos homens, de mesma forma que um indivíduo não pode transmitir a patologia para outro.


Esta transmissão ocorre apenas pelo mosquito. O macaco auxilia na identificação das áreas em que há a ocorrência de vírus circulando. Com tais registros, o governo faz a distribuição estratégica de vacinas pelo país.

Sintomas da Febre Amarela

Muitos indivíduos que apresentam a contração da febre não disponibilizam sinais, e quando há a disposição dos sintomas, são caracterizados por:

  • Dor muscular em todo o organismo, de forma principal nas costas;
  • Febre;
  • Perda do apetite;
  • Dores de cabeça;
  • Vômito;
  • Náusea;
  • Fotofobia;
  • Olhos vermelhos;
  • Face vermelha;
  • Língua vermelha;
  • Fraqueza;
  • Cansaço.

Os sinais, nesta etapa da patologia, apresentam duração de 3 a 4 dias e acabam passando sem intervenções químicas.

Fase Tóxica

Contudo, a porcentagem pequena de indivíduos pode fazer o desenvolvimento dos sinais de teor mais grave, por aproximadamente 24h posteriores a recuperação dos sinais simples.

A etapa denominada tóxica, o vírus é capaz de alcançar vários sistemas e órgãos, de forma principal, rins e fígado.

Nesta etapa, os sinais são os seguintes:

  • icterícia, em virtude ao prejuízo que o vírus provoca no fígado;
  • febre alta retorna;
  • urina em tom escuro;
  • dor abdominal;
  • sangramento do nariz;
  • sangramento na boca;
  • sangramento estomacal.

Em situações de maior gravidade, o indivíduo é capaz de apresentar convulsão, delírio e até estado de coma.


A depender dos danos provocados no organismo, a etapa da doença pode desencadear o óbito. Isto em intervalos de 7 a 10 datas. Portanto, os indivíduos que têm diagnóstico com a doença devem atentar-se aos sinais assim que houver a manifestação.

Os sinais da patologia podem ter confusão com os sintomas de:

  • leptospirose;
  • malária;
  • dengue hemorrágica;
  • hepatite viral.

Já os sinais da dengue comum também apresentam semelhança, ainda que tenham teor leve em relação a doença, em questão.

Tratamento Para Febre Amarela

Não há um remédio específico para o combate do vírus da febre. O tratamento é somente em casos de sintomas, requerendo cuidados para assistir ao indivíduo que, através de hospitalização, precisa continuar repousando com líquidos repostas e da perda de sangue.

Nos casos graves, o indivíduo precisa ter atendimento em UTI – unidade de terapia intensiva.

Em virtude dos riscos da patologia se desenvolver para a de caráter hemorrágico, é imprescindível que se evite a utilização da aspirina.

Prevenção da Febre Amarela

A partir da transmissão urbana da doença somente ocorre por meio da picada de mosquito aedes aegypti, prevenir esta patologia deve acontecer de modo a evitar que se dissemine. O mosquito se reproduz na água e há a proliferação em casas e aos seus redores.

Qualquer pote ou demais caixas com água como latas e demais itens que se assemelhem, contendo o líquido limpo são locais essenciais para que o mosquito fêmea coloque os ovos, de onde tiveram o nascimento com larvas que, posteriormente se desenvolvem na água, tornando-se mosquitos novos.

Por isso, é preciso que se evite acumular a água parada nos recipientes sem tampas. Para a eliminação do mosquito em fase adulta, em situações da epidemia da doença, em questão, e da dengue.


É preciso que se aplique o inseticida por meio do “fumacê”. Ainda, é preciso que se tomem atitudes protetivas individuais, como a vacina em combate a doença, de forma especial para quem reside ou irá viajar para regiões em que há indícios da patologia.

Repelentes, roupas e mosquiteiros também são alternativas interessantes para se proteger!

IMPORTANTE: Esse conteúdo é apenas para fins educacionais e não substitui de forma alguma a orientação de um médico. Consulte sempre um médico.