Lidocaína: Bula, Indicação, Efeitos Colaterais, Como Usar?

Conheça Tudo Sobre A Medicação da Lidocaína. Saiba Como Usar, Todos os Possíveis Efeitos Colaterais e As Principais Indicações e Contraindicações do Medicamento.

A Lidocaína é uma medicação utilizada para aliviar dores em períodos de tratamentos de exames e instrumentos, bem como anestesias específicas. Confira tudo isso abaixo.

Lidocaína: Quais as Indicações?

Lidocaína

A lidocaína tem indicação para aliviar dores em período de procedimentos de exames e instrumentações como cistocopia, proctoscopia, intubações endotraqueais, bem como para aliviar temporariamente as dores que têm associação a queimaduras da pele ou leves.

É indicada também para queimaduras específicas como as solares.

O medicamento também tem indicação para o herpes nos lábios e o zoster, bem como rachaduras dos seios, coceiras, picadas de insetos e anestesias de mucosa.

Odontologia

Trata-se de uma anestesia superficial para a gengiva, anteriormente à injeção de substâncias anestésicas e remoções de tártaros.

Pomada sabor laranja – tem indicação para anestesiar topicamente a mucosa oral.

A lidocaína é um tipo de anestesia local e provoca a perda da sensação temporária da região em que tem a aplicação.


Esta substância também apresenta teor efetivo ao passo que ocorra a aplicação em pele com danificações e mucosas. Porém não quando da aplicação à pele.

Este elemento apresenta efeito em período de 0,5min a 5min posteriores ao uso.

Apresentações da Lidocaína

  • Solução por injeção sem ou com vasocontritor de 1% ou 2%; caixa composta por 10 frascos amplos de 20ml;
  • Xylestesin sem vasoconstritor: composto por metilparabeno, cloreto de sódio, água para injeção.
  • Xylestesin com vasoconstritor: composto por metilparabeno, cloreto de sódio, edetato dissódico, metabissulfito de sódio, bicarbonato de sódio,  água para injeção.

Efeitos Colaterais da Lidocaína

Os efeitos adversos posteriores a aplicação do medicamento são de caráter semelhante aos que são observados a partir de outros elementos anestésicos locais.

Essa é a categoria anestésica amida. Os efeitos correspondem, em geral, a dosagem relacionada e podem trazer resultados de alto nível plasmático, provocados pela dose em excesso.

  • apreensão;
  • nervosismo;
  • confusão;
  • euforia;
  • zumbidos;
  • sono;
  • visão dupla;
  • vômitos;
  • sensação de frio;
  • sensação de calor;
  • contração;
  • tremor;
  • convulsão;
  • inconsciência;
  • parada de respiração;
  • depressão.

O sono posteriormente à administração do medicamento é, de modo geral, um sintoma precoce do alto nível do sangue da substância e pode acontecer de forma consequente ao absorver rapidamente.

Em relação a alergias, as características são as urticárias, as lesões da pele, edemas ou efeitos anafilatoides. É possível que resultem da sensibilidade ao elemento anestésico localizado.

Contraindicações da Lidocaína

Não é possível fazer uso da medicação, em questão, caso tenha alergia a esta substância, outros elementos anestésicos locais ou demais compostos do remédio.

Não pode ter aplicação na região dos olhos.

Como Usar a Lidocaína?

Esta pomada deve ser aplicada topicamente na pele ou mucosas.

Utilize o menor quantitativo necessário para o controle dos sinais. A aplicação deve ser a partir de camada pequena, utilizando o suficiente para a cobertura da região afetada. Reaplicar quando houver a necessidade de intervalos toleráveis.

Não pode ter a aplicação na região dos olhos. Em odontologia, é preciso secar a mucosa antes de se aplicar a pomada. Aguarde por dois a três minutos para o efeito anestésico tornar-se efetivo.

Em testes de endoscopia, a pomada tem aplicação no tubo anteriormente à introdução. A indicação do uso do chumaço da gaze esterilizada na aplicação dos tecidos danificados ou em queima.

Na região dos seios, é preciso fazer a aplicação da pomada sobre uma gaze pequena. A pomada deve ter a retirada de acordo com a higienização anteriormente à amamentação seguinte.

Lidocaína é Anestésico?

A substância é, sim, um anestésico que tem ação local em spray ou gel que, de modo geral, tem uso para a facilidade de processos clínicos.

Isto como endoscopia ou cistoscopia, em virtude dos elementos anestésicos e lubrificantes.

Trata-se de uma composição anestésica de efeito rápido e profundo da mucosa da pele, de mesma forma que promove a lubrificação e redução de fricções.

Lidocaína e Fluocortolona

Estes elementos ativos são recomendados para aliviar dores, ardores, inchaços e coceiras associadas com fissura anal, hemorroidas, eczema do ânus e proctite.

Em situação de eczemas e fissuras do ânus, apenas estas substâncias em creme podem ter uso. Trata-se de um elemento que apresenta muitas vantagens em relação ao alívio de dores pós-cirúrgicas proctológicas.

Neste caso, espalhe um pequeno quantitativo do creme – uma média do tamanho de uma ervilha – na área em volta da região anal e na entrada do ânus com o auxílio do dedo.

Utilize a ponta do dedo para ultrapassar o esfíncter resistente dessa área.

Caso haja a necessidade, use o creme na região interior do ânus, aplicando o medicamento pelo aplicador e inserindo na região anal.

Um pequeno quantitativo do creme deve ter aplicação na região retal, apertando a bisnaga devagar. Nas situações da área do ânus inflamado e que tenha lesões doloridas, o recomendado é fazer a aplicação, de início, com o creme interno a partir do dedo.

Nos nódulos com saliência, espalhe uma camada com densidade e pressione de forma cuidadosa para a região interna do dedo.