Addera D3: Indicações, Efeitos e Características

Quer saber quando se deve utilizar o Addera D3 e qual sua finalidade? Acompanhe o texto e entenda os seus benefícios e contraindicações, antes de usá-lo!

O Addera D3 é conhecido pelo seu composto vitamínico D que é essencial para os seres humanos e é disponibilizada, principalmente, pela própria natureza, em seus raios solares.

Pessoas que não costumam se expor muito ao sol, são indivíduos propensos a ter baixa ou vitamina D insuficiente no organismo. A ausência deste elemento pode causar cansaço e, inclusive, depressão aos pacientes.

Indicações do Addera D3

Addera D3

Addera D3 – colecalciferol – trata-se de uma medicação baseada em Vitamina D, recomendada como uma suplementação vitamínica em alimentações que estão restritas ou incorretas.

É reservado a prevenir e tratar de forma auxiliar a desmineralização dos ossos, em etapa inicial e posterior à menopausa, bem como prevenir raquitismo – ossos fracos.


Addera D3 tem ação que regula de forma positiva o processo e fixação de cálcio no corpo. É fundamental para que se possa promover o uso do fosfato e do cálcio, bem como sua absorção, para que se calcifique os ossos de maneira normalizada.

Para tratar de forma auxiliar a:

  • desmineralização dos ossos antes e depois do climatério;
  • raquitismo;
  • osteoporose;
  • osteomalácia;
  • a fim de prevenir fraturas e quedas em indivíduos na faixa etária idosa.

O Addera D3 é indicado para pessoas com insuficiência em Vitamina D.

A etapa inicial da função da vitamina D depois que é consumida acontece entre o prazo de 10h a 24h.

Suas Apresentações

O medicamento é utilizado oralmente.

  • 1.000U.I. – comprimido com revestimento e branco;
  • 3.300U.I/ml – em gotas.
  • 5.000U.I. – comprimido com revestimento e amarelo;
  • 7.000U.I. – comprimido com revestimento e alaranjado;
  • 10.000U.I. – comprimido com revestimento e rosa;
  • 10.000U.I/ml – em gotas.
  • 50.000U.I. – comprimido com revestimento e vermelho.

Efeitos

Os indivíduos que possuam arteriosclerose – que se caracteriza pelo acúmulo da gordura e substâncias demais nas paredes arteriais – insuficiência do coração, hiperfosfatemia – fosfato em excesso na corrente sanguínea – e insuficiência dos rins, precisam buscar auxílio médico para fazer a avaliação dos riscos e vantagens em se administrar a vitamina D.

Em situações de hipervitaminose D, a recomendação é fazer a administração de um alimentação com baixo quantitativo de cálcio, quantitativos grandes de líquidos e, se houver necessidade, os glicocorticoides:

  • betametasona;
  • hidrocortisona;
  • prednisolona.

Em casos extremos, os efeitos colaterais do medicamento são passíveis de acometer a pressão alta, a insuficiência dos rins e, ainda, episódios de psicose.

É importante que o paciente não efetue superdosagens ou se automedique sem que haja o consenso médico. Pacientes de outras condições patológicas precisam do aval de um especialista para iniciar o consumo do remédio.

Contraindicações

Há algumas restrições para o consumo do Addera D3, especificamente a pacientes que se encontram em tratamento de determinadas outras doenças. Consultar um médico é imprescindível antes de qualquer automedicação.

Utilização na Gravidez

O remédio pode ter seu uso em período gestacional, desde que estejam sob prescrições médicas ou odontológicas.

Utilização em Idosos

Não há restrição ou cuidados específicos em relação a utilização do medicamento por pessoas entre a faixa etária idosa, visto que não há relatos de problemas com o consumo adequado da vitamina D, indicada aos idosos.

Pesquisas relatam que os idosos possibilitam ter graus de menores da vitamina D em relação aos adultos, de forma especial os que têm pouco tempo expostos ao sol.

Posologia

Em relação a dosagem adulta, a variação é de 1.000U.I. a 50.000U.I., a depender da doença e do grau sérico da Vitamina D, recomendada pelo especialista, considerando dados de segurança e eficácia.

Os prazos longos da utilização do remédio, só sob recomendação médica.

Seguir a recomendação médica é imprescindível, observando horários, dosagens e tempo de tratamento.
Não interromper tratamento sem que se conheça o parecer do médico.

O remédio não pode ser aberto, partido ou consumido em mastigação.

Em situação de esquecer do consumo do medicamento, reintroduza o remédio observando o período indicado. Não dobre a dosagem para que se compense a dosagem esquecida.

Addera D3 engorda?

O consumo da vitamina D3 engorda. Contudo, a recomendação é que se preste atenção no espelho e não exatamente nas balanças.

A razão disso é que ao fazer o consumo ou absorção da vitamina D3, o nosso organismo estimule a produção hormonal e também auxilie o cálcio. Isso quer dizer que a densidade dos ossos em virtude do cálcio, é o acúmulo de maior quantidade dos músculos que é muito mais pesado do que gordura.

Por isso, ingerir a vitamina D3 engorda em balança, mas em relação ao espelho pode ser excelente. É óbvio que, isso depende de diversos aspectos, bem como o exercício físico e uma dieta balanceada.

Contudo, a Vitamina só traz benefícios.  É possível, com certeza, fazer o consumo do Addera D3 e tomar muito sol para complementar o tratamento.

Além de seguir o tratamento com o medicamento, recomenda-se fazer uma alimentação que contenha a vitamina D, para um melhor resultado em pouco tempo.

Antes de se automedicar, não esqueça de sempre consultar o seu médico!