ER: O Que é, Para Que Serve, Efeitos Colaterais, Como Usar

Quer saber mais sobre o medicamento chamado ER? A substância é, na verdade, o divalproato de sódio. Confira as informações sobre este remédio!

O ER, ou Depakote ER, tem seu princípio ativo pela substância do divalproato de sódio. Trata-se de um elemento que tem dissociação em íons valproato no sistema gastrointestinal.


Não há muito conhecimento sobre o seu sistema de ação, porém, a atuação é ligada aos níveis do ácido GABA, na região cerebral.

Tratar qualquer condição a partir do divalproato de sódio, em determinadas situações, é capaz de provocar sintomas da melhora já em início do tratamento.

Em outras situações, há a necessidade de esperar por um tempo mais longo para que se alcance o benefícios dos efeitos. Siga a orientação do seu especialista!

ER: Quais as Indicações?

ER

Dentre as principais indicações deste medicamento, separamos os sinais mais comuns da utilização desta medicação:

Episódios de Mania

A medicação é recomendada para tratar crises de mania em relação a patologia de Transtorno Bipolar, que apresente ou não qualidades psicóticas em indivíduos da faixa etária adulta.

Os sinais comuns de uma crise de mania correspondem a:

  • redução da necessidade do sono;
  • agitação;
  • pensamento acelerado;
  • hiperatividade motora;
  • aceleração do ritmo da fala;
  • sentimento de grandeza;
  • fuga das ideias;
  • agressividade;
  • prejuízo da crítica;
  • hostilidade.

Crises de Epilepsia

A substância é recomendada, de forma isolada ou combinada a outras medicações, para tratar indivíduos que apresentem episódio parcial complexo, que acontecem de maneira isolada quanto associada a outras situações convulsivas. Trata, também, os cenários de ausência complexa e simples.

Prevenção da Cefaleia

A substância é recomendada para prevenir enxaquecas em indivíduos da faixa etária adulta. Não existem evidências da utilidade para tratar a enxaqueca aguda.

Apresentações do ER

O remédio pode ter disponibilidade nas seguintes formas:

Comprimidos 250mg

Caixas com 6 ou 30 comprimidos;

Utilização Oral:

Adulta e Infantil a partir de 10 anos.

Comprimidos 500mg

Caixas com 6 ou 30 comprimidos;

Utilização Oral:

Adulta e Infantil a partir de 10 anos.

Efeitos Colaterais do ER

As reações adversas do medicamento correspondem aos seguintes sintomas:


  • dores;
  • náuseas;
  • diarreia;
  • dispepsia;
  • vômito;
  • fraqueza;
  • dores nas costas;
  • lesão acidental;
  • transtorno gripal;
  • infecções;
  • sono;
  • tonturas;
  • infecções fúngicas;
  • pressão alta;
  • dores abdominais;
  • secura da boca;
  • constipação,
  • gases;
  • equimose;
  • periférico;
  • manchas com sangue embaixo da pele;
  • inchaços;
  • dores musculares;
  • rigidez muscular;
  • marcha anormal;
  • coceiras;
  • tremores.

Contraindicações do ER

O medicamento, em questão, tem contraindicação para utilização pelos indivíduos que apresentem:

  • hipersensibilidade ao composto e demais elementos;
  • patologia do fígado ou disfunção no fígado;
  • Síndrome de Alpers-Huttenlocher e público infantil com idade menor que dois anos, que tenham a suspeita da síndrome;
  • transtornos do ciclo de ureia ;
  • transtorno genético raro que prejudica a hemoglobina sanguínea;
  • ER tem contraindicação para pacientes com menos de 10 anos.

Utilização em Período Gestacional e Lactação

Há diversos estudos na literatura médica que fazem a indicação da utilização de remédios anticonvulsivantes em período gestacional, resultando numa elevação de incidências de problemas congênitos.

Por isso, o remédio anticonvulsivante só pode ter a administração ao público feminino que apresente potencial para gravidez, em caso de demonstração clara do tratamento da crise.

Utilização na amamentação

Em virtude de o medicamento ter eliminação a partir do leite materno e, em razão de que existem dados que concluem malefícios sobre o efeito em recém-nascidos, não há a recomendação do aleitamento materno por pessoas que estejam fazendo o tratamento com tal remédio.

Orientações Antes de Fazer Uso do ER

A indicação é que se faça a contagem das plaquetas e que se realize exames de coagulação antes do início do tratamento, de forma periódica e posteriormente, porque há a possibilidade de existir modificação das plaquetas e coagulação do sangue.

O surgimento da hemorragia, desordens da hemostasia ou manchas roxas são a indicação para que se reduza a dosagem ou que se interrompa a terapia.

ER pode ter interação com outros remédios que tenham a administração de forma concomitante. Houve o relato das modificações em exames de funcionalidade da tireoide com associação a utilização do medicamento, em questão.

Como Usar ER

A administração deste remédio varia de acordo com a doença a ser tratada e peso do paciente. As dosagens para as indicações do Divalproato de Sódio, geralmente são:

Transtorno Bipolar

25 mg/kg ao dia. Em casos mais graves, o médico pode prescrever uma dosagem de 60mg/kg ao dia.

Epilepsia

Entre 10 e 15mg/kg ao dia. Em casos mais graves, o médico pode recomendar o uso de 60mg/kg ao dia.


Enxaqueca

1 comprimido de 500mg ao dia, por 7 dias. Dependendo da gravidade da enxaqueca, o médico pode aumentar a dosagem para até 2 comprimidos de 500mg ao dia, após uma semana de tratamento com uma dosagem de 500mg.


Lembre-se que a automedicação pode trazer grandes transtornos para a sua saúde. A falta de informação em relação ao próprio organismo, sem testes ou exames, pode acarretar ainda mais a atual situação do seu problema. Cuide-se! Consulte um médico!

IMPORTANTE: Esse conteúdo é apenas para fins educacionais e não substitui de forma alguma a orientação de um médico. Consulte sempre um médico.