Verrugas: O Que é, Causas, e Tratamento

Confira Todas as Informações Sobre a Verrugas. Veja as Causas, Sintomas e Opções de Tratamento Para Esta Condição que Acomete a Saúde!

As Verrugas são caracterizadas como um tipo de tumor benigno da pele provocadas por elementos como o vírus denominado como HPV – papiloma vírus humano.


Ele é responsável por ativar, portanto, o aumento anormal dos elementos celulares da epiderme, que têm lançamento para a região superior do corpo, constituindo a verruga.

O Que são as Verrugas?

Verrugas

Tamanhos, aspectos e formatos das Verrugas estão ligadas, de forma direta, portanto, a um ou demais sorotipos do HPV que se responsabilizam pelo elemento infeccioso.

Este tipo de contágio pode acontecer pelo ato direto com indivíduos ou objetos portantes da infecção. Isto através de autoinoculações, ferimentos pequenos que atuam como uma entrada do vírus, em relação sexual ou pela mãe em momento de nascimento.

Indivíduos que se caracterizam como imunodeprimidos são de maior vulnerabilidade ao surgimento de verruga provocada pelo HPV.

Este incidente acontece entre a faixa etária dos 12 aos 16 anos. Depois deste contato, portanto, é possível que as lesões demorem meses ou semanas para surgirem.

Muitos nem imaginam, mas estas condições são extremamente contagiosas. A transmissão pode ocorrer pelo contato entre indivíduo ou objeto com infecção ou autoinoculação.

Em relação de anogenitais, este contágio acontece a partir da relação sexual desprotegida e por meio de parto, ao nascer.

É imprescindível dizer que,portanto, qualquer indivíduo está propenso ao surgimento das verrugas a partir do HPV.

Contudo, indivíduos com imunidade baixa, jovens e crianças apresentam maior vulnerabilidade.

A fim de que se evite a contaminação de outros indivíduos e, até mesmo, autoinoculações, é essencial o cuidado da limpeza da lesão aberta, evitando coceiras e a relação sexual sempre protegida.

Causas das Verrugas

Estas condições são provocadas por contaminações da pele a partir do HPV. O vírus faz a penetração e parasita os elementos celulares da epiderme, contribuindo para que surjam mais, de modo anormal.

Estes elementos contaminados têm o lançamento para a camada da superfície do corpo, gerando a verruga.

É possível a eclosão em quaisquer partes do corpo, porém são comuns em cotovelos, mãos, pés e joelhos, bem como áreas em que o indivíduo têm o costume de fazer depilação – como o rosto, nos homens e pernas para as mulheres.

Sintomas das Verrugas

Os aspectos da verruga têm variação conforme o local prejudicado. Tem o costume de fazer a apresentação sem sinais.

Contudo, é normal que, de forma ocasional, apresente dores ou sangramentos. De forma frequente, são vegetantes, de caráter áspero, cor da pele.

Porém, podem se apresentar macias, planas e de cor escura. A lesão clínica que decorre das infecções do HPV podem ter apresentação de diferenciados formatos.

Verruga Vulgar

Estas categorias da condição são as mais comuns. De modo geral, a lesão é pápula irregular, áspera e endurecida. É possível ter apresentação como lesão isolada ou em agrupamento.

Disponibiliza-se em região que se sujeita a traumas maiores, como dedos, joelhos, cotovelos e em volta das unhas.


Verruga Filiforme

Tem apresentação como uma projeção fina e com alongamento. É isolada e com poucos quantitativos. De forma comum, aparecem no rosto, no pescoço, nos lábios e nas pálpebras. É incidente de forma alta em indivíduos mais velhos.

Verruga Plana

Apresenta-se como bolinhas pequenas, na cor amarelada ou castanha, com no máximo 5mm, de forma lisa e plana. Aparece frequentemente na região do rosto e na dorso da mão dos jovens.

Plantares

Esta categoria se situa na planta dos pés. Confundem-se com calos. O peso do corpo atua no crescimento de forma interna, provocando dores ao caminhar.

Presença de anel periférico espesso com pontos escurecidos na região central de lesão, lembrando a imagem de olho de peixe, nomenclatura popular.

Anogenital

São destacáveis como lesão vegetante, isolada, úmida ou agrupada, lembrando aspectos de couve-flor. É possível prejudicar o paciente na mucosa dos genitais, vagina, uretra, área perianal, mucosa da boca ou colo do útero.

Há diferenciados subtipos do vírus que envolvem as infecções genitais, estabelecendo relação entre infecções genitais por determinadas categorias do HPV consideradas de alto risco, bem como o câncer.

Tratamento Para Verrugas

O primeiro passo a ser tomado ao notar a condição de qualquer categoria é passar por consultas com dermatologistas.

Em situação da verruga anogenital, ginecologistas e urologistas são capazes de um exame completo para dar início a tratamentos.

Estes elementos podem ter involução espontânea, em meses, ou continuar por muito tempo. Público infantil, de modo geral, têm cura sem que haja a necessidade de se medicar.

Contudo, em razão dos riscos de vírus disseminados para outros indivíduos e o aparecimento da lesão no indivíduo por autocontaminação, a recomendação é tratar.

Já na faixa etária adulta, portanto, a verruga não tem o costume de sumir sem tratamentos. Há diversos tipos de terapias que desencadeiam a destruições ou a lesão removida.

Há o uso de remédios tópicos, ácidos ou, ainda, procedimento de cirurgia. Cada elemento traz a exigência de tratamentos diferenciados.

Há, ainda, a necessidade de remoção das verrugas sem que, portanto, dependa do caráter benigno ou maligno.

A recomendação da remoção é indicada por se tratar de vírus e capacidade de disseminação pelo organismo ou outros indivíduos.

Anogenitais

São caracterizadas de maior dificuldade para tratamento e podem, portanto, ter necessidade não apenas para combinar terapias como, em determinadas situações, intervenções cirúrgicas para retirar a lesão.

Em razão dos riscos de causar o câncer, esta categoria deve ter tratamento de forma atenta.

São diversos, então, os modos de remoção das verrugas:

  • crioterapia;
  • eletrocirurgia;
  • curetagem;
  • desbastamento e ácido em aplicação;
  • remoção caseira;

O tratamento depende da análise do especialista e de demais recomendações. A vacina em combate ao HPV tem indicação para prevenir infecções genitais, de modo a reduzir riscos de evolução para câncer nos genitais.

É recomendada para meninas maiores de 9 anos, e para meninos entre doze a treze anos. 


Em razão de se destacar como uma vacina que atua de forma a prevenir, deve ter aplicação de forma preferencial antes do começo da vida sexual, e tem disponibilidade em posto de saúde.


De mesmo modo, o fato de ter transmissão por autoinoculação, é imprescindível que não coce e nem fira as lesões para os elementos virais não realizarem a penetração pela escoriação.

Por mais que você se sinta bem, faça um Check-up  uma vez por ano.  Exames regulares ajudam seu médico acompanhar sua saúde e identificar alguma ameaça de doença, colocando você no caminho do tratamento.

IMPORTANTE: Esse conteúdo é apenas para fins educacionais e não substitui de forma alguma a orientação de um médico. Consulte sempre um médico.