Fibromialgia: O Que é, Causas, Sintomas e Tratamento

Confira Todas as Informações Sobre a Fibromialgia. Veja as Causas, Sintomas e Opções de Tratamento Para Esta Condição que Acomete a Saúde!

A Fibromialgia é um tipo de Síndrome denominada como Joanina Dognini. Trata-se de uma condição reumática e crônica, caracterizada pelas dores na extensão do corpo inteiro, ainda que não tenha se machucado ou lesionado parte do organismo muscular ou articulatório.


O Que é Fibromialgia?

Fibromialgia

Há a estimativa de que uma média de 2 a 3% do público brasileiro está sofrendo deste problema no país e, destas situações, 80 a 90% do público acometido são mulheres entre os trinta até cinquenta anos de idade.

Não existe, ainda, uma razão determinada para o aparecimento da condição. Contudo, pesquisas revelam que existe uma determinada relação entre o começo dos sinais a partir de uma situação traumática, que pode ter caráter psicológico, físico ou infecção de gravidade.

Em grande parte das situações, as dores iniciam-se num ponto determinado do organismo e de modo crônico, com progresso, posteriormente ao resto do organismo.

Em razão da inexistência desta identificação é que a condição se considera uma patologia, uma síndrome. Isto porque trata-se de um grupamento de sinais e problemas clínicos que apresentam a tendência de acontecer de modo simultâneo, porém que não têm relação a um motivador específico.

Contudo, ainda que não se saiba de forma exata a motivação deste cenário, o que não se discute são se, as dores do indivíduo, são de fato reais ou não.

Estudos fazem a comprovação de que os indivíduos que sofrem da fibromialgia sentem a dor descrita. Isto porque ocorre a estimulação reiterada dos nervos que fazem a sinalização das dores modificando a região cerebral.

Causas da Fibromialgia

As causas desta doença não são conhecidas. Contudo, conhece-se que a região cerebral destes indivíduos interpretam as dores de um modo intenso e, de maneira geral, a patologia aparece posteriormente a condições de:

  • infecções graves;
  • acidentes ou trauma psicológico.

Entende-se, também, que os graus da serotonina caracterizam-se baixos em portadores da condição. Além disso, o desequilíbrio hormonal, o estresse e tensões podem ter envolvimento com o surgimento da dor, em questão.

Diagnosticar esta condição deve ser realizado por especialistas da Reumatologia. Isto, por meio de descrições de sinais apresentados.

De modo normal, a inclusão da presença das dores severas acontecem em três a seis regiões diferenciadas do corpo em período de três meses ou dor com menor intensidade, em sete ou mais regiões diferenciadas.

Ainda, o especialista pode fazer a recomendação de exames para fazer a exclusão de patologias que se assemelhem em relação aos sintomas.

Sintomas da Fibromialgia

Os sintomas que mais se destacam nesta condição patológica, fazem a inclusão de:


  • dores pelo corpo inteiro – dificuldade de fazer a definição do local exato, mas com evidência nos músculos;
  • transtornos de sono – acorda com o sentimento de que continua cansado;
  • fadiga com frequência e sono;
  • formigamento dos pés e mãos;
  • modificações do intestino com aparecimento de prisão de ventre e diarreia;
  • sinais de depressão;
  • ansiedade;
  • musculatura dura;
  • tonturas;
  • dores de cabeça;
  • concentração alterada, bem como a atenção;
  • perda da memória.

Determinados indivíduos fazem referência à dores intensas que não podem ter o abraço ou carícia de outros, em razão de a dor se tornar insuportável. De modo geral, as dores são mais intensas no período matutino.

De modo normal, a condição prejudica a musculatura, os ligamentos, os tendões e, portanto, é capaz de atrapalhar a qualidade de vida do enfermo. Mas, a patologia não leva a óbito e, também, não provoca deformação.

Caso o tratamento seja realizado de forma adequada, é possível que não piore com o passar do tempo, sendo que pode até reduzir a manifestação clínica.

Os pontos das dores da condição se localizam nas regiões da:

  • frente e posterior do pescoço;
  • traseira dos ombros;
  • superior do peitoral;
  • quadril;
  • cotovelos;
  • joelhos;
  • superior da nádega.

Indivíduos que são prejudicados pela condição apresentam dores de caráter crônico, porém pode, ainda, apresentar ou tornar o agravamento da condição quando chove ou quando há a mudança do tempo.

Tratamento para Fibromialgia

Deste modo, como não existe um tipo de exame determinado para diagnosticar tal síndrome, a condição também não apresenta tratamento com exatidão.

Uma vez que não apresenta cura, o tratamento é todo baseado no aprimoramento e controle dos sinais:


  • aliviar dores;
  • melhorar o sono;
  • restabelecer equilíbrio da emoção.

Para esta situação da síndrome, os tratamentos podem ser realizados por meio de duas maneiras – medicamentosa e não-farmacológica.

É imprescindível que o conhecimento de tal atitude do indivíduo frente a condição seja essencial para evolução. Portanto, é importante compreender o que atrapalha a qualidade de vida e a motivação em tentar ajudar a si próprio.

Remédios

Entre as principais medicações disponíveis no mercado, determinadas têm a aprovação para utilizar no tratamento da condição, em questão.

Outras delas, não são indicadas pelos médicos. Veja quais as categorias medicamentosas deste conjunto:

  • analgésicos;
  • tramadol;
  • antidepressivos;
  • pramipexol;
  • relaxante muscular;
  • tropisetrona;
  • zolpidem;
  • pregabalina.

Os remédios que não devem ser consumidos são os seguintes:

Maneira não-farmacológica

Para que haja o alívio das dores no corpo, o especialista pode fazer a recomendação de analgésicos e substâncias anti-inflamatórias como o Tramadol.

Contudo, não é sempre que há a eficácia destes remédios. Portanto, é possível, também, a indicação de substâncias antiparkinsonianos e antidepressivas que podem auxiliar na redução das dores pela atuação do sistema nervoso central.


Ainda, especialista de Psiquiatria, portanto, pode fazer a indicação de remédios para a redução de depressão, ansiedade e demais condições do sono.

  • prescrição de medicamentos para depressão e dores;
  • realizar fisioterapias;
  • praticar exercício físico;
  • acupuntura;
  • consumo de potássio, magnésio e ômega 3.

Por mais que você se sinta bem, faça um Check-up  uma vez por ano.  Exames regulares ajudam seu médico acompanhar sua saúde e identificar alguma ameaça de doença, colocando você no caminho do tratamento.

IMPORTANTE: Esse conteúdo é apenas para fins educacionais e não substitui de forma alguma a orientação de um médico. Consulte sempre um médico.