Furosemida: Para Que Serve, Como Usar e Efeitos

Não conhece o Furosemida e quer saber se o seu uso pode auxiliar nas condições patológicas que está vivenciando? Veja as informações!

O Furosemida é uma medicação muito utilizada na forma diurética e que é capaz, também, de agir no tratamento da pressão alta, bem como prevenindo a complicação a partir de acidente vascular cerebral, ataque cardíaco e condições acometedoras dos rins.

Trata-se de uma nomenclatura genérica que pode ser encontrada como Lasix, um elemento referência e similares.

Indicações da Furosemida

A substância da Furosemida corresponde a uma categoria medicamentosa denominada de diuréticos. Desse modo, o elemento é utilizado de forma principal para o tratamento de retenções de líquidos e a redução dos fluidos no organismo.

Tal retenção é famosa por se tratar de edemas, que pode ser provocado por situações cardíacas insuficientes, condições do fígado como patologias de hepatite e condições renais.

Apresentações da Furosemida

Furosemida

  • Em pílulas de 40mg – embalagem composta por 20, 100 e 300 pílulas;
  • Solução injetável – 100 ampolas compostas por 2mL.

Utilização intravenosa ou intramuscular, adulta e pediátrica.

Efeitos da Furosemida

Dentre os principais efeitos colaterais do medicamento, destacam-se comumente os seguintes:

  • distúrbio eletrolítico;
  • distúrbio sintomático 
  • hipovolemia;
  • desidratação;
  • elevação dos níveis triglicérides e de creatinina na corrente sanguínea.

Dentre os sintomas que menos acometem o organismo a partir do medicamente, estão:

  • hipocloremia;
  • hiponatremia;
  • hipocalemia;
  • elevação dos graus do colesterol;
  • elevação do ácido úrico na corrente sanguínea;
  • crises da gota;
  • elevação do volume de urina.

Contraindicações da Furosemida

Furosemida em pílulas não pode ter o consumo a partir das seguintes situações:


  • insuficiência renal a partir de anúria – estagnação de forma total da urina a ser eliminada;
  • comas e pré-comas;
  • redução dos graus do elemento potássio na corrente sanguínea;
  • redução dos graus do elemento sódio na corrente sanguínea;
  • redução de volume líquido que circula na corrente sanguínea;
  • alergias à substância, em questão.

Casos de Período Gestacional e Amamentação

A Furosemida faz a travessia de barreiras da placenta. Por isso, não pode ter a administração em período gestacional, a não ser que seja uma indicação estrita e curta do especialista.

Em fase de amamentação, se houver a necessidade da utilização da substância, é preciso lembrar que a Furosemida irá se comporta no leite e inibir o processo de lactação.  O conselho é fazer a interrupção da amamentação ao longo do tratamento com a substância.

Dosagem Para Consumo

A dosagem precisa ser reduzida para que se atinja a ação desejada. A não se que tenha a prescrição diferenciada, a indicação é a seguinte:

Indicação a Adulto

Iniciar com 20 a 80mg ao dia. A dosagem corresponde a 20 e 40mg manejadas ao longo do dia.

Indicação a Criança

Se houver a possibilidade, é preciso administrar a substância oralmente a menores de 15 anos.

A recomendação corresponde a 2mg por kg do peso total, alcançando o máximo de 40mg ao dia.  Este tratamento deve ter determinação médica.

Em caso de, posteriormente, a dosagem única de 20 a 40mg da substância, a ação diurética não tiver satisfação, a dosagem pode ter um aumento gradual, em pausas de 2h em 2h, entre 20mg por vez, ao passo que se consiga tal resultado da eliminação da urina satisfatória.

O período em que se tratará a condição deve ter a determinação de um especialista, a depender da gravidade e condição patológica.

Indicação a Lactentes e Menores de 15 anos

A recomendação é administrar a solução de forma parenteral apenas em situações em que há o risco de vida.

Em caso de injeção pela veio ou músculo, a recomendação é de 1mg por kg de peso total, até o quantitativo total de 20mg.

Os tratamentos e terapias da posologia precisam ter modificações para via oral assim que haja a possibilidade – em comprimidos ou afins.

Furosemida é Diurético?

Sim. A substância é um elemento diurético que age no organismo, estimulando a eliminar a urina de forma mais assídua e, consequentemente, auxilia o corpo a eliminar fluidos e todo o sal que está presente de forma excessiva no corpo.

De forma básica, a substância age nas funções renais elevando o fluxo urinário e reduzindo a quantidade de líquidos retidos. O sistema de ação deste elemento age de maneira diurética, tornando visível o aumento de excreção do elemento sódio e dos fluidos presentes a partir da diurese.

Não esqueça de manter o cuidado em relação a quaisquer medicamentos ingeridos sem o auxílio médico. O risco em fazer a automedicação é grande, pois não há informações exatas ao seu organismo, que precisa de uma visão especialista.

Todo e qualquer tipo de medicamento precisa ser prescrito por um profissional da Medicina, que saberá dizer exatamente o que será necessário para sanar os problemas relativos a quaisquer condições patológicas.

Não deixe de visitar o seu médico periodicamente. Consulte um especialista imediatamente, em caso de efeitos colaterais que modifiquem sua rotina e prejudiquem o seu organismo de forma grave.