Asma – O Que é, Sintomas, Causas e Tratamentos

Asma é uma doença crônica de origem inflamatória, caracterizada por afetar as vias respiratórias e provocar sérias dificuldades para a respiração.

Quer saber todos os detalhes sobre esse assunto e como fazer para melhorar a saúde e qualidade de vida de quem sofre com essa doença? Confira nosso artigo.


Quais os Sintomas da Asma?

Asma

A Asma se manifesta por meio de uma série de sintomas característicos do problema.

Embora eles, muitas vezes, possam ser confundidos com outras doenças respiratórias, por se tratar de um problema crônico, com o tempo, é possível identificar com exatidão quando se está passando por uma crise de Asma.

Vejamos quais são esses sintomas.

– Significativa dificuldade de respirar (que piora com exercícios ou atividades físicas);

Tosse (que pode ocorrer com ou sem presença de muco);

– Falta de ar ao ser exposto a grandes irritações provocadas por fatores externos como, por exemplo, fumaça;

– Respiração ofegante;

– Sensação da pele repuxando entre as costelas ao respirar;

– Aumento da dificuldade de respirar logo ao acordar e à noite;

– Maior dificuldade de respirar ao inspirar ar frio.

Os sintomas acima são considerados os mais comuns da Asma. Entretanto, é possível também que o organismo também apresente os sinais abaixo:

– Sensação de aperto e/ou dores no peito;

– Respiração fora do normal;

– Interrupção temporária da respiração.

Além disso, nos casos mais graves e emergenciais em uma crise de Asma, é possível que a pessoa apresente:

– Pulsação rápida;

– Transpiração excessiva;

– Intensa dificuldade de respirar;

– Cor azulada no rosto e nos lábios (provocada pela falta de ar);

– Quadros graves de ansiedade em decorrência da dificuldade de respirar (sensação de desespero);

– Sonolência intensa ou confusão mental.

O aparecimento desses sintomas varia em quantidade e intensidade de acordo com o quadro geral do paciente e grau da Asma.

Causas da Asma

Na Asma, ao mesmo tempo que as causas não são totalmente conhecidas, há uma série de fatores desencadeantes do problema, que podem ser definidos como origem da doença e motivo de cuidado por parte das pessoas.

No caso de quem sofre de Asma, o pulmão apresenta maior sensibilidade e reage de maneira intensa ao menor fator de irritação dos brônquios.

Outro elemento importante para entender essa doença é que a Asma se manifesta por variados tipos de “gatilhos”.

Logo, as crises são manifestadas em cada paciente devido a determinados fatores. Vejamos os principais deles.

Determinadas substâncias e agentes alérgenos: esse fator responde pela maioria dos casos de Asma, afetando em torno de 80% dos pacientes.

As substâncias e agentes alérgenos mais conhecidos são:

  • Poeira;
  • Ácaros;
  • Poluição;
  • Mofo;
  • Pólen;
  • Fumaça de cigarro;
  • Pelos de animais;
  • Pedaços de insetos;
  • Determinados tipos de tinta;
  • Desinfetantes e outros tipos de produtos de limpeza;
  • Quadros de infecções provocados por vírus (gripes e resfriados).

Alimentos: Crises de Asma podem ser desencadeadas pelo consumo de determinados tipos de alimentos, aos quais o paciente apresenta maior sensibilidade.

Entre os alimentos mais comuns ao apresentar reações asmáticas, estão:


  • Camarão e demais tipos de crustáceos e frutos do mar;
  • Soja e seus derivados;
  • Ovos;
  • Saladas;
  • Frutas frescas;
  • Castanhas, amendoins, amêndoas etc.;
  • Peixes;
  • Leite de vaca;
  • Trigo e seus derivados;
  • Determinados tipos de aditivos e conservantes utilizados nos alimentos industrializados.

Exercícios ou atividades físicas: nesse caso, o quadro de Asma é provocado por esforço físico como, por exemplo, em tarefas domésticas ou no trabalho e também durante a prática de atividades físicas (caminhada, corrida, andar de bicicleta etc.).

Fatores noturnos: Asma noturna pode ser causada devido às influências no ciclo biológico que controla as funções do organismo (que atua de acordo com a luz solar).

Alterações na temperatura: bruscas alterações no clima ou choques de temperatura (do calor para o frio) os quais a pessoa exposta também pode desencadear crises de asma.

Remédios: determinados tipos de medicamentos podem provocar crises asmáticas, principalmente os anti-inflamatórios não hormonais (ibuprofeno, diclofenaco e ácido acetilsalicílico).

Fatores de Risco da Asma

Na Asma, além de conhecer as causas, é importante ter atenção quanto aos fatores de risco, que são:

  • Fatores genéticos;
  • Predisposição a quadros alérgicos;
  • Peso acima do normal (obesidade);
  • Refluxo gastroesofágico (quando o conteúdo do estômago se desloca em direção oposta para o esôfago);
  • Baixo peso ao nascer;
  • Tabagismo durante a gravidez (bebês nascem com grande predisposição a doenças respiratórias).

Como Tratar a Asma

Tratar a Asma envolve agir principalmente na prevenção e controle da doença com a finalidade de evitar as crises ou fazer com que elas sejam rapidamente resolvidas.

O médico geralmente prescreve medicamentos que devem ser ingeridos de maneira contínua (diariamente), que abrange os seguintes tipos:

  • Teofilina;
  • Corticosteroides inalados;
  • Beta-agonistas de longa duração;
  • Modificadores de leucotrienos;
  • Broncodilatadores;

Além do uso dos medicamentos, é essencial que os pacientes evitem ao máximo a exposição dos “gatilhos” que desencadeiam as crises de asma.

Por essa razão, é de suma importância saber quais são esses gatilhos e compreender as reações do organismo.

O acompanhamento de um médico, clínico geral ou pneumologista, também é indispensável para cuidar da saúde e qualidade de vida de quem sofre de Asma, já que essa doença requer atenção contínua e rápido atendimento nas situações emergenciais.


Alternativas Naturais de Tratamento

Na Asma, como forma de tratamento complementar, é possível contar com alternativas naturais como forma de prevenção e redução dos sintomas e desconfortos provocados pelo problema. Vejamos quais são essas alternativas.


  • Chá de Tomilho (essa planta também pode ser usada no preparo de sopas e caldos);
  • Chá de unha-de-gato;
  • Sementes de abóbora (que podem ser usadas na alimentação);
  • Óleo essencial de alfazema (que pode ser usado para inalações caseiras);
  • Chá de gengibre;
  • Chá de gengibre com mel;
  • Alho e cebola (devem ser consumidos em quantidades maiores no dia a dia, preferencialmente crus);
  • Óleo de mostarda;
  • Mel (pode ser consumido principalmente no café da manhã com iogurte natural, frutas e aveia).

Compartilhe esse conteúdo sobre Asma com seus amigos e familiares para que eles também fiquem bem informados sobre este assunto tão essencial para a saúde.

Por mais que você se sinta bem, faça um Check-up  uma vez por ano.  Exames regulares ajudam seu médico acompanhar sua saúde e identificar alguma ameaça de doença, colocando você no caminho do tratamento.