Propranolol: O Que é, Para Que Serve, Como Usar

Você, provavelmente, já escutou falar do remédio Propranolol. Isso porque ele é um medicamento antigo e bastante receitado para pessoas com diversos tipos de problemas, em especial, de pressão arterial alta.

Apresentação e Composição do Propranolol

Propranolol tem apresentação em comprimidos revestidos de 40 mg e 80 mg e está indicado para o uso adulto e pediátrico.


A versão de 40 mg contém 40 mg de Cloridrato de Propranolol, enquanto a de 80 mg apresenta 80 mg de Cloridrato de Propranolol.

Além disso, os comprimidos possuem os excipientes inativos: estearato de magnésio, amido, manitol, povidona, talco celulose microcristalina e álcool etílico.

Propranolol

Para Que Propranolol é Usado

É uma medicação indicada para tratar diversas doenças. Trata-se de um medicamento betabloqueador, ou seja, que inibe a estimulação de receptores beta-adrenérgicos do organismo. Assim, o medicamento é indicado para as seguintes situações:

  • Portadores de arritmias cardíacas (batimentos cardíacos irregulares);
  • Portadores de angina pectoris (doença que traz sensação de dor e de pressão na região do peito);
  • Para controlar tremores em geral;
  • Para prevenir a enxaqueca;
  • Para controlar a tireotoxicose (elevação das secreções da tireoide);
  • Para tratar crises tireotóxicas;
  • Pessoas com taquicardia devido à ansiedade;
  • Para controlar o Feocromocitoma (um tipo benigno de tumor, que de desenvolve na glândula suprarrenal);
  • Portadores de cardiomiopatia hipertrófica obstrutiva (distúrbios no funcionamento do coração e aumento do seu tamanho e volume).

Qual a Dose Indicada de Propranolol

As doses da medicação variam bastante, conforme a doença e a idade do paciente. Em geral, a recomendação das doses de Propranolol são:

Adultos – Hipertensão

É recomendado 80 mg como dose inicial, 2 vezes ao dia. A dosagem pode ser aumentada semanalmente conforme a resposta do paciente, até 320 mg ao dia.

Adultos – Angina, Ansiedade, Enxaqueca e Tremores

Nesses casos, a dose inicial costuma ser de 40 mg, 2 ou 3 vezes ao dia. A posologia pode ser aumentada em intervalos semanais, frente à resposta do paciente, até 240 mg ao dia.

Vale ressaltar que o máximo das doses de Propranolol para adultos são:

  • Ansiedade: 160 mg;
  • Angina pectoris: 480 mg;
  • Tremores: 160 mg;
  • Enxaqueca: 240 mg.

Adultos – Arritmia, Taquicardia Por Ansiedade, Cardiomiopatia Hipertrófica Obstrutiva e Tireotoxicose

Para tais patologias, a dose inicial indicada é de 40 mg, 3 vezes ao dia. A medicação pode ter a sua dosagem aumentada gradualmente até os seguintes limites diários:

  • Taquicardia por Ansiedade: 160 mg;
  • Arritmia: 240 mg;
  • Tireotoxicose: 160 mg;
  • Cardiomiopatia: 160 mg;
  • Feocromocitoma: 60 mg.

Crianças – Arritmias, Feocromocitoma e Tireotoxicose

  • Para essas doenças, as doses indicadas vão de 0,25 mg a 0,50 mg por quilo, de 3 a 4 vezes ao dia.

Crianças – Enxaqueca

  • Pacientes com menos de 12 anos de idade: 20 mg, 2 a 3 vezes ao dia.
  • Pacientes com mais de 12 anos de idade: a mesma dosagem de adultos (80 mg).

Crianças – Insuficiência Hepática ou Insuficiência Renal

A dose fica a critério do médico, devido ao fato de que a meia-vida do medicamento pode ter aumento significativo em crianças que sofram desses problemas.

Pessoas idosos

A posologia deve ser individualizada pelo médico, conforme a resposta do paciente ao tratamento.

Quais São as Contraindicações de Propranolol

Assim como demais medicamentos betabloqueadores, em algumas situações Propranolol não deve ser usado. As principais contraindicações da medicação, sem supervisão médica, são:

  • Pessoas com a pressão arterial baixa;
  • Pessoas que apresentem reações alérgicas ao Propranolol ou a quaisquer um dos componentes da fórmula da medicação;
  • Portadores com problemas graves de circulação arterial;
  • Pessoas que tenham bradicardia (batimentos do coração reduzidos);
  • Portadores de Feocromocitoma não tratado (tumor benigno, que se desenvolve na glândula suprarenal;
  • Portadores de arritmias cardíacas;
  • Pessoas com angina;
  • Portadores de problemas cardíacos graves;
  • Portadores de insuficiência cardíaca;
  • Pessoas com índices altos de acidez no sangue;
  • Pessoas com histórico de asma;
  • Pessoas com histórico de broncoespasmo;
  • Portadores de problemas nos impulsos elétricos dos batimentos cardíacos.

Vale ressaltar que a medicação não deve ser ingerida após períodos de jejuns prolongados, pois pode reduzir demasiadamente a pressão arterial, fazendo mal ao paciente.

Antes de tomar a dose recomendada pelo médico, fazer uma refeição.

Efeitos Colaterais de Propranolol

Propranolol é bem tolerado, em geral, pela maioria dos pacientes. No entanto, como qualquer medicação algumas pessoas podem ter efeitos colaterais com o uso do medicamento.

Entre os efeitos colaterais relatados com o uso do Propranolol são divididos em:

  • Comuns, quando ocorrem entre 1% a 10% das pessoas que fazem uso da medicação.
  • Incomuns, quando ocorrem entre 0,1% a 1% das pessoas que fazem uso da medicação.
  • Raros, quando ocorrem entre 0,01% e 0,1% das pessoas que fazem uso da medicação.
  • Muito raros, quando ocorrem em menos do que 0,01% das pessoas que fazem uso da medicação.

As Incidência dos Efeitos Colaterais São:

  • Relaxamento excessivo, extremidades do corpo frias, cansaço e fadiga e bradicardia passageira, fadiga, palidez, sensação de dormência dos dedos, pesadelos e problemas de sono.
  • Diarreias, náuseas, vômitos, enjoos.
  • Trombocitopenia (redução das plaquetas no sangue), vertigens, piora de quadros de insuficiência cardíaca, hipotensão postural (quando a pessoa fica de pé), bloqueios elétricos nos batimentos cardíacos, psicoses, alucinações, confusão mental, alteração de humor e manchas avermelhadas na pele. Também podem ocorrer problemas de pele, queda de cabelos, pele escamada, piora de casos de psoríase, erupções na pele, secura nos olhos, alterações na visão, parestesia, broncoespasmos, piora da asma.
  • Elevação dos anticorpos antinicelares do organismo, hipoglicemia e miastenia (fadiga muscular intensa).

Vale ressaltar que o médico deve ser informado caso o paciente apresente qualquer um dos efeitos colaterais.

Também não interrompa o tratamento com Propranolol sem informar o seu médico, pois pode ser perigoso para a sua saúde.

Como Proceder Em Casos de Superdosagem Com Propranolol

Ingerir doses mais altas do que as indicadas da medicação podem causar diversos males ao usuário, como:

  • Queda da pressão arterial;
  • Bradicardia;
  • Broncoespasmo;
  • Piora de quadros de insuficiência cardíaca; etc.

Por esses motivos, o paciente deve ser levado a um serviço de atendimento médico, pois algumas medidas de suporte devem ser tomadas para reverter essas reações causadas pela superdosagem.

Podem ser realizados nos pacientes  procedimentos como: lavagem gástrica, internação para tratamento em unidade de terapia intensiva, uso de carvão ativado, uso de laxantes e de outros medicamentos, se necessário.