Labirin: Bula, Indicações, Efeitos Colaterais, Como Usar

Confira Todas as Informações Sobre o Labirin, Um Medicamento Que Deve Ter Prescrição Médica. Conheça Também Os Efeitos Colaterais e Modos de Uso.

O Labirin é um medicamento que atua em diversos tratamentos de síndromes e dificuldades auditivas.

É um remédio específico para tratar zumbidos e vertigens. Confira todos os modos de uso desta medicação e compreenda a prescrição.

Lembre-se que a consulta com um especialista deve acontecer, antes de fazer uso deste produto.

Isto porque o medicamento pode apresentar efeitos colaterais indesejáveis para o quadro clínico, em questão.

Labirin: Quais as Indicações?

Labirin

O medicamento, em questão, com o princípio ativo de dicloridrato de betaistina, tem indicação para tratar as seguintes condições:

  • Síndrome de Ménière – vertigem, zumbidos e perdas ou dificuldades auditivas;
  • Sensação de tonturas – provocada quando um fragmento do ouvido interno, que promove o controle do equilíbrio não tem o funcionamento correto – chamado de vertigem vestibular.

Esta medicação é composta por betaistina, que trata-se de uma categoria de medicamento denominado como análogo-histamínico.

Ele atua de modo a melhorar o fluxo do sangue em relação ao ouvido interno. Consequentemente, há a redução do acúmulo de pressão.

O medicamento é capaz de melhorar os sinais de vertigem e do zumbido da região do ouvido.

Em determinados casos, a melhora só se observa posteriormente a semanas do tratamento. Os resultados mais efetivos são alcançados posteriormente a meses.

Há evidências de que o tratamento em fase inicial da patologia é capaz de prevenir a progressão ou a perda auditiva em etapas de teor avançado da patologia.

Apresentações do Labirin

  • Drágeas de 16mg com caixa de 30 comprimidos;

Utilização adulta e oral.

Efeitos Colaterais do Labirin

De mesmo modo como todas as medicações, o remédio é capaz de provocar efeitos adversos, ainda que não ocorra em todos.

Os efeitos colaterais podem ocorrer com a utilização do remédio da seguinte forma:

  • erupções de pele;
  • pele avermelhada;
  • pele inflamada;
  • coceira;
  • inchaços nos lábios;
  • inchaços na língua;
  • inchaços no pescoço;
  • perda de consciência;
  • queda da pressão do sangue;
  • indigestão;
  • dores de cabeça;
  • dificuldade de respiração;
  • sensação do mal estar.

É possível também sentir os seguintes sintomas com o medicamento:

  • vômito;
  • dores estomacais;
  • inchaços estomacais;

Estes sintomas podem ser evitados quando o consumo do medicamento ocorre, portanto, em companhia de alimentos.

Se perceber qualquer tipo de efeito adverso se agravando, então, informar os especialistas.

Contraindicações do Labirin

Não consuma o medicamento, então, em caso de:

  • hipersensibilidade à betaistina ou quaisquer compostos do produto;
  • tumor da glândula adrenal.

Como Usar o Labirin?

O consumo do medicamento deve acontecer sempre da forma prescrita pelo seu médico. É preciso sanar todas as dúvidas com o especialista, antes de iniciar o tratamento com o Labirin.


Só ele poderá fazer ajustes quanto a dosagem, a depender do progresso do quadro. Continuar ingerindo o remédio é importante, porque leva tempo para que ele inicie os seus efeitos.

A medicação deve ser consumida oralmente em companhia de água ou líquidos.

É possível consumir o medicamento com ou sem alimentações. Contudo, esta medicação pode provocar problemas estomacais.

Consumir o medicamento junto de comida pode auxiliar na redução dos problemas estomacais.

O alimento auxilia o estômago a não sofrer tanto com o impacto do medicamento em relação ao organismo. Prefira, portanto, a ingestão do remédio com alimentos.

Quando Consumir o Remédio?

As dosagens indicadas do remédio para a faixa etária adulta, portanto, correspondem a:

  • Caso preciso consumir mais de uma drágea ao dia, distribuir a ingestão dos medicamentos durante o dia. Consuma, no caso, uma drágea no período da manhã e outra no período da noite.
  • Tente fazer  o consumo do medicamento em mesma hora, diariamente. O hábito auxiliará a manter o quantitativo adequado no organismo. Ao consumir em mesma hora, diariamente, é possível que não esqueça de ingerir a drágea.

Drágea de 16 mg

Meio comprimido ou uma drágea, 3x ao dia.

Drágea de 24 mg

Uma drágea, 2x por dia;

Utilização em Público Idoso

Não há a necessidade, então, de ajustes de dosagens para indivíduos da faixa etária idosa;

Utilização em Público Infantil

O medicamento não tem recomendação para utilização em indivíduos com faixa etária menor que 18 anos;

Utilização em Indivíduos Que Apresentam Problemas Renais ou de Fígado

Não há a disponibilidade, então, de resultado de pesquisa clínica com tal categoria de indivíduos consumindo o remédio.

Contudo, conforme a experiência pós-comércio não há a necessidade de ajustes de dosagens.


Sobre a automedicação

A automedicação, portanto, pode ser prejudicial a saúde do seu organismo. Ainda que ouça relatos de benefícios por outro paciente, tenha em mente que cada um possui peculiaridades em relação ao seu corpo.

Portanto, o que pode ser bom para alguns pode não ser bom para outros. Cada organismo é diferente dos demais.


Consulte sempre um especialista e mantenha seus exames sempre em dia. Esta é a melhor forma de manter, também, a qualidade de vida. Saúde em primeiro lugar!