Vertix: Bula, Indicações, Efeitos Colaterais, Como Usar

Confira Todas as Informações Sobre o Vertix, Um Medicamento Que Deve Ter Prescrição Médica. Conheça Também Os Efeitos Colaterais e Modos de Uso.

O Vertix é uma medicação que promove o controle da entrado do cálcio nos elementos celulares. Isto, portanto, evita que a entrada em excesso da vitamina resulte em prejuízos a células.


O remédio é utilizado também para conter, não somente os diversos sintomas, mas as patologias e condições específicas. 

Deste modo, o impedimento a contrações de vasos em cenários que o fluxo sanguíneo tem comprometimento, ocorrem como em modificações de vasos do cérebro e periféricos. Por isso, a eficácia da medicação.

Apresenta, também, um efeito em combate a tonturas pela redução da entrada em excesso do cálcio até os elementos celulares sensoriais.

O prazo de início do efeito terapêutico, portanto, tem variação, conforme as características do indivíduo. Isto porque também varia do grau e tipo da patologia.

Vertix: Quais as Indicações?

Vertix

Dentre as recomendações para o uso do Vertix, há, portanto, a seguinte indicação:

  • patologia de Méniere;
  • vertigem;
  • perda de audição;
  • zumbido;
  • disfunção do labirinto.

Além disso, o medicamento também é, portanto, indicado para patologias cerebrovasculares de teor crônico, amenizando os sinais de:

  • modificação da memória;
  • confusões mentais;
  • distúrbios do sono;
  • dificuldade de atenção;
  • sintomas de comportamento;
  • aterosclerose do cérebro;
  • sequela funcional pós-trauma cerebral.

Outras indicações possíveis para o medicamento, porém, correspondem a:

  • sensações de cãibra na região das pernas ao longo de atividades físicas;
  • síndrome de Raynaud;
  • modificação da circulação do sangue nas áreas do corpo com associação ao Diabetes Mellitus;
  • patologia bascular inflamatória oclusiva;
  • enxaqueca.

Apresentações do Vertix

  • drágeas de 19 mg;
  • embalagem composta por 20 ou 50 drágeas;

Utilização oral e adulta. 

Fórmula

Cada drágea do medicamento é composta por:

  • Dicloridrato de flunarizina constituída de 11,80 mg;

Excipientes

  • celulose microcristalina;
  • amido;
  • corante amarelo FDC;
  • estearato de magnésio;
  • laca de alumínio – tartrazina;
  • fosfato de cálcio dibásico di-hidratado.

Efeitos Colaterais do Vertix

Dentre os principais efeitos colaterais, podemos citar, portanto, os seguintes:

  • cansaço em excesso;
  • sono;
  • visão turva;
  • dores de cabeça;
  • depressão;
  • insônia;
  • náusea;
  • boca seca.

Demais Reações

  • tontura;
  • irritabilidade;
  • sensação de cabeça muito leve;
  • dificuldades de concentração;
  • aumento da gengiva;
  • aumento de peso;
  • alteração na pele.

É possível, também, que possam acontecer ações extrapiramidais que fazem a inclusão de:


  • parkinsonismo;
  • inquietação;
  • movimentação involuntária da face e da boca;
  • tremores faciais;
  • torcicolo.

A reação mais comum é nos indivíduos maiores de 65 anos, que apresentam:

  • tremores essenciais;

Estes sinais acabam melhorando com a interrupção do tratamento em prazo que varia sem exatidão, mas entre quatorze dias até seis meses.

Nas situações raras, é possível, portanto, que aconteça a depressão com a ideia de suicídio em indivíduos com predisposição, bem como alucinação e pesadelos.


O elemento, no formato de drágeas, é composto por corante amarelo da tartrazina. Este elemento é, por isso, capaz de provocar reação como alergias, como as seguintes:

É imprescindível, portanto, informar ao seu especialista, o surgimento de reação indesejável pela utilização do remédio.

Informar também ao fabricante por meio do atendimento SAC.

Contraindicações do Vertix

Nas situações de hipersensibilidade aos elementos da composição do remédio, há a contraindicação.

O medicamento também é contraindicado a substância da cinarizina, que trata-se de um bloqueador de canal do cálcio.

Não deve ter utilização, também, em etapa aguda do AVC e em momento de amamentação.

Nos indivíduos que portem patologias do coração em descompensação, o medicamento também é contraindicado, bem como nas condições a seguir:

  • patologias infecciosas graves;
  • depressão severa;
  • sinais extrapiramidais como o Parkinsonismo.

É importante que mulheres grávidas ou que estejam amamentando verifiquem a segurança do remédio para ser utilizado neste período. Consultar um médico é imprescindível.

Interação dos Medicamentos

Não existem dados de interações de medicamentos nas pesquisas in vivo. A base dos dados não apresenta interação medicamentosa.

Contudo, há a inibição das ações em determinadas drogas como os monoamina-oxidase. A partir da betaistina, a interação pode acontecer e prejudicar a efetividade dos remédios.

Como Usar o Vertix?

É possível dar início a utilização do medicamento somente com uma drágea à noite, promovendo o aumento conforme a severidade da patologia para uma drágea na parte da manhã e outra à noite. Consumir a drágea com água, oralmente.

As dosagens maiores estão disponíveis pelo especialista. A dosagem de manutenção, porém, é, de modo geral, uma drágea por dia, depois da melhora dos sinais.

O tratamento tem duração que estará prescrito pelo especialista e depende de recomendação. É possível, portanto, ter variação de 14 dias a diversos meses.

A eficácia e a segurança do remédio tem garantia para a administração de forma oral. Seguir a orientação dos especialista é imprescindível, de modo a respeitar horários, dosagens e tempo de tratamento.

É importante também não interromper o período deste tratamento. O remédio não pode ser aberto, partido ou sofrer mastigação.

É imprescindível que o paciente busque sempre um médico para a orientação. A automedicação pode acarretar a sua saúde e desencadear problemas ainda maiores.

Portanto, buscar uma qualidade de vida e fazer exames periódicos é essencial. Não corra riscos. Consulte um especialista sempre, mas mantenha a sua postura em cuidado da saúde!

Vertigem

A vertigem é caracterizada como uma categoria da tontura, onde existe a perda de equilíbrio do corpo. Isto porque é acompanhada da sensação em que o local ou o próprio corpo parece estar rodando.

De modo geral, a vertigem aparece, portanto, em conjunto dos seguintes sintomas:

  • suor;
  • vômitos;
  • náuseas;
  • palidez;
  • zumbidos;
  • redução da audição.

Em grande parte das vezes, esta patologia é, porém, provocada por outras doenças que se relacionam aos ouvidos.

Isto porque são denominadas como síndromes vestibulares periféricas. Estas doenças são conhecidas, portanto, como labirintites.

Elas fazem a inclusão de doenças como:

  • vertigem posicional paroxística benigna (VPPB);
  • patologia de Méniere;
  • neurite vestibular;
  • intoxicação por medicamentos.

É possível, porém, que possam aparecer em virtude de alterações da neurologia de teor grave, incluindo as seguintes condições:


  • AVC;
  • tumores cerebrais;
  • enxaqueca.

É, portanto, uma condição a ser tratada por especialistas. Pode apresentar gravidade, mas se tratada desde a fase inicial é possível que o paciente consiga uma excelente qualidade de vida.

A importância de se consultar um especialista, portanto, é destacável. Isto porque, só ele saberá guiar o seu caso de forma correta.

IMPORTANTE: Esse conteúdo é apenas para fins educacionais e não substitui de forma alguma a orientação de um médico. Consulte sempre um médico.