Captopril: Saiba Mais Sobre a Sua Eficácia e Como Usar

Captopril é uma medicação que é usada para o tratamento de pessoas que têm ou passaram por:

  • Hipertensão;
  • Insuficiência cardíaca congestiva (geralmente é usado com outras medicações, como digitálicos e diuréticos);
  • Nefropatia diabética (doença renal que tem como causa a diabetes);
  • Infarto do miocárdio.

Composição

Captopril é apresentado em 3 dosagens, cuja substância ativa é mesmo o Captopril : 12,5; 25 mg e 50 mg.


Os comprimidos ainda apresentam os excipientes: celulose microcristalina, amido, lactose monoidratada, dióxido de silício, croscarme­lose sódica e ácido esteárico.

Captopril

Como Funciona

Ação esperada de Captopril é a baixa da pressão arterial. Esse efeito, em geral, atinge seu pico máximo entre 60 a 90 minutos da administração da medicação pelo paciente.

Vale ressaltar que a redução da dose de Captopril deve ser feita de maneira progressiva, necessitando, em geral, de várias semanas para a menor dose possível ou para o paciente parar de tomar o remédio.

Essa baixa na da dosagem deve ser orientada pelo médico responsável, geralmente, um cardiologista.

Contraindicações

Como qualquer outro tipo de medicação, Captopril pode estar contraindicado em alguns casos, como:

  • Pessoas que já tiveram reações a alérgicas a Captopril ou a qualquer substância presente na fórmula da medicação;
  • Mulheres grávidas sem indicação médica;
  • Mulheres com suspeita de gravidez.

Precauções e Advertências

Atenção: o paciente deve imediatamente procurar o seu médico, quando apresente sintomas, como:

  • Inchaço na face;
  • Inchaço dos lábios;
  • Inchaço das pálpebras;
  • Inchaço na língua
  • Angioedemas em geral;
  • Rouquidão na fala;
  • Dificuldade de respirar;
  • Dificuldade para engolir;
  • Febre;
  • Dores na garganta.

Atenção também com a transpiração excessiva e a desidratação, pois quando essas situações acontecem podem levar a queda da pressão arterial.

Além disso, pacientes com insuficiência cardíaca não devem ser submetidos a atividades físicas enquanto estiver usando Captopril .

Já a utilização da medicação em crianças ainda não tem a sua eficácia e seguranças comprovadas, ficando a critério do médico a indicação.

Uso em idosos: os inibidores da ECA (como é o caso do Captopril ) demonstram terem mais eficácia na redução pressão alta arterial em pessoas com pessoas com função de renina plasmática normal ou alta.

Como essa função pode reduzir com o aumento da idade do paciente, os efeitos, em geral, dos inibidores da ECA, costumam ser menores em pacientes mais idosos.

No entanto, a função do rim pode também reduzir com a idade, e assim, pode surgir elevação das concentrações desses inibidores sanguíneos, para compensar os menores índices de renina.


Vale saber que alguns pacientes idosos com hipotensão devem ter cautela ao utilizarem esses medicamentos, devido a ação de inibidores da ECA.

Alteração de Exames Laboratoriais

Alguns exames laboratoriais podem sofrer alterações nos resultados, caso o paciente esteja sob o uso da medicação, como:

  • Acetona urinária: pode resultar em falso-positivo.
  • Eletrólitos do soro:
  • Hipercalemia (aumento de potássio no sangue): principalmente se você apresenta insuficiência renal.
  • Hiponatremia: principalmente se você está de dieta com restrição de sal ou em tratamento juntamente com diuréticos.
  • Nitrogênio da ureia sanguínea/Creatinina sérica: aumento passageiro dos níveis de nitrogênio da ureia sanguínea ou creatinina sérica, principalmente em pacientes volume ou sal-depletados ou com hipertensão renovascular.
  • Hematológica: ocorrência de títulos positivos de anticorpo anti­-núcleo.
  • Testes de função hepática (do fígado): podem ocorrer elevações de enzimas chamadas: transaminases, fosfatase alcalina e bilirrubina sérica.

Interações Medicamentosas de Captopril

Como qualquer outra medicação, Captopril pode apresentar algumas interações medicamentosas, que, no geral, não são significativas (com exceção do lítio).

De qualquer forma, se mantém a critério do médico responsável qualquer alteração na administração das medicações.

Captopril costuma interagir com:

  • Medicamentos com efeitos diuréticos;
  • Medicamentos com poupadores de potássio;
  • Medicamentos contendo sal;
  • Ácido acetilsalicílico;
  • Medicamentos com agentes anti-inflamatórios;
  • Indometacina;
  • Lítio.

Uso de Captopril na Gestação e Amamentação

Captopril não deve ser usado, sob hipótese alguma durante a gestação. O uso dessa medicação, em qualquer mês da gravidez, pode causa sérios danos ao feto até a sua morte.


Assim que uma gestação é detectada, o medicamento deve ser descontinuado o quanto antes para preservar as boas condições da gravides.

Mulheres em fase de amamentação também não devem fazer o uso do medicamento. Há relatos da passagem dos componentes da fórmula pelo leite materno, o que pode vir a prejudicar o bebê.

Superdosagem de Captopril

A dose máxima diária aceitável da medicação é de até 450 mg. Caso exista a ingestão diária maior do que essa, um serviço médico de atendimento deve ser procurado com urgência. Leve junto, se possível, a embalagem da medicação.

No geral, medidas médicas de suporte são necessárias frente ao abuso de Captopril , como a correção da pressão arterial (que tende a reduzir demais com a superdose da medicação) .

Além disso, informações sobre a superdosagem da medicação podem ser obtidas pelo número de telefone

0800 722 6001. A ligação é gratuita para todo o país, se realizada de aparelho de telefone fixo.


Armazenamento Correto

A medicação deve ser guardada em local seguro do alcance das crianças e animais domésticos. Também deve ser mantida em sua embalagem original, guardada longe da umidade e da incidência direta da luz solar, para não ocorrerem interferências na eficácia dos componentes.

O medicamento Captopril tem 24 meses de validade a contar da sua data de fabricação. Passado esse período, não faça mais uso dessa medicação, adquira outra embalagem nova.

IMPORTANTE: Esse conteúdo é apenas para fins educacionais e não substitui de forma alguma a orientação de um médico. Consulte sempre um médico.