Sinvastatina: Para Que Serve e Como Usar

Sinvastatina é uma medicação que tem apresentação em comprimidos revestidos com dosagens de: 10 mg, 20 mg, 40 mg e 80 mg.

Trata-se de um medicamento indicado para a redução dos riscos de portadores de doenças cardiovasculares.


Utilidade da Sinvastatina

A medicação tem ampla utilização no caso de pessoas que apresentam históricos de doenças arteriais coronarianas (Dac), acidente vascular cerebral (AVC – derrame), diabetes ou diversos outros problemas cardiovasculares.

Sinvastatina

Nesses casos, o uso da Sinvastatina beneficia o paciente ao:

  • Reduzir os riscos de infarto do miocárdio,
  • Reduzir os riscos de acidente vascular cerebral,
  • Reduzir os riscos de ataques cardíacos,
  • Reduzir a necessidade de intervenções cirúrgicas para melhorar o fluxo de sangue das pernas e de órgãos como o coração,
  • Reduzir a necessidade de o paciente ser hospitalizado por dores no peito causados por angina, por exemplo.

Isso se dá devido a capacidade de a Sinvastatina reduzir os índices do chamado colesterol ruim (LDL) no sangue.

Os altos índices do mal colesterol no sangue é uma das principais causas de complicações decorrentes de problemas da artéria coronária, pois ele estreita os vasos que transportam o sangue, o oxigênio e os nutrientes para o funcionamento saudável do coração.

Com isso, costumam ocorrer problemas de entupimentos e endurecimentos arteriais, que são conhecidos como aterosclerose.

Essa doença costuma ocasionar dores no peito (angina) e infarto do miocárdio (ataque cardíaco) duas condições que podem levar a pessoa a óbito.

A Sinvastatina ainda retarda a progressão de ateroscleroses já instaladas, reduzindo o seu desenvolvimento e gravidade.

O medicamento também aumenta os níveis do chamado bom colesterol do sangue (HDL), beneficiando e protegendo ainda mais o portador de doenças cardiovasculares.

Além disso, a Sinvastatina pertence ao grupo de medicamentos chamados de inibidores da hidroximetilglutaril-coenzima A (HMG-CoA) redutase que diminui a produção do colesterol ruim pelo fígado e elevava o colesterol bom pela corrente sanguínea.

Os pacientes com históricos de problemas cardiovasculares que fazem uso da Sinvastatina, juntamente com uma alimentação e hábitos saudáveis, conseguem controlar muito bem os índices do mal colesterol no sangue e aumentarem os níveis do bom colesterol.


Apenas Tomando a Sinvastatina Estarei Livre de Complicações?

Não. Conforme já foi mencionado, o uso da medicação deve ser associado a hábitos saudáveis de vida, para que as pessoas com doenças a mantenham sob controle problemas cardiovasculares reduzam os riscos de terem problemas. Para isso, o paciente deve:

  • Não fumar, pois o tabagismo aumenta muito os riscos de o paciente sofrer infartos do miocárdio;
  • Ter uma rotina de exercícios físicos, pois as atividades físicas aumentam ainda mais o colesterol bom, além de beneficiar o bom funcionamento cardíaco;
  • Não interromper o tratamento, já que parar de tomar a medicação faz com que o paciente se torne mais susceptível aos problemas decorrentes das doenças cardiovasculares;
  • Manter uma dieta saudável, baixa em gorduras, sal, açúcar, carboidratos em excesso, já que a alimentação está diretamente relacionada a produção do colesterol;
  • Manter o peso ideal, pois o excesso de gordura é também um dos principais vilões para o mau funcionamento do coração.

Contraindicações da Sinvastatina

Apesar de extremamente eficaz, nem todo paciente com doenças cardiovasculares podem se beneficiar da medicação. A Sinvastatina está contraindicada nos casos de:

  • Alergia a algum dos componentes da fórmula da medicação;
  • Portadores de doenças do fígado;
  • Mulheres grávidas;
  • Mulheres que estejam em fase de amamentação;
  • Caso a pessoa estiver usando medicações antifúngicas, como cetoconazol, posaconazol, itraconazol ouvoriconazol;
  • Caso o paciente use medicamento inibidores da protease do HIV, como o nelfinavir, o indinavir, o ritonavir e o saquinavir;
  • Pessoas utilizando alguns tipos de inibidores da protease do vírus da hepatite C, como o telaprevir e o boceprevir;
  • Pacientes utilizando certos tipos de antibióticos, como claritromicina, eritromicina e telitromicina;
  • Pessoas usando o antidepressivo nefazodona;
  • Pacientes em uso de medicações que contenham cobicistate;
  • Pessoas que usam genfibrozila, um medicamento derivado do ácido fíbrico para redução do colesterol ruim;
  • Pessoas usando ciclosporina;
  • Pacientes em uso do danazol.

É de extrema importância que o paciente informe ao médico sobre todas as condições descritas acima ou que estejam usando qualquer um medicamento.

Isso para que Sinvastatina seja receitada com segurança para o paciente.


Como usar a Sinvastatina

Em geral, a dose inicial para o tratamento com a Sinvastatina é de 20 mg ou 40 mg ao dia. O comprimido deve ser, preferencialmente, todas as noites, próximo do mesmo horário e em dose única.

Com o decorrer do tratamento e se for necessário, o médico responsável poderá aumentar a dose do medicamente até o máximo de 80 mg ao dia.

O aumento ou não da dosagem depende do quadro do paciente e de sua resposta ao uso da medicação.

No entanto, há também pacientes que já se beneficiam com doses baixas de Sinvastatina, como 10 mg ao dia, em especial, se a pessoa estiver em tratamento concomitante com ciclosporina ou for portadora de algum tipo de doença dos rins.


O tratamento com Sinvastatina, para trazer realmente benefício ao paciente, ele deve ser seguido até que o médico indique.

Há relatos de pacientes que interromperam o tratamento com a medicação antes do tempo adequado e tiveram os níveis do colesterol ruim (LDL) elevados no sangue, colocando a saúde em risco.