Omeprazol: O que é, Para que Serve, Como Usar?

Saiba, aqui, as informações sobre o Omeprazol, um medicamento eficaz para patologias relacionadas a condições estomacais.

O Omeprazol é um dos medicamentos mais conhecidos do mercado, pela categoria de inibição de bomba dos prótons, classe de remédios usados para tratar patologias estomacais em relação ao ácido excessivo. É utilizado para o tratamento de úlceras pépticas e gastrites.


Dentre as nomenclaturas do comércio, é possível encontrar as seguintes:

Omeprazol

  • Loprazol;
  • Gastrium;
  • Loseprel;
  • Neprazol;
  • Losec;
  • Meprazan;
  • Omenax;
  • Novoprazol;
  • Omeprotec;
  • Omeprazin;
  • Omepramed.

Quais as Indicações do Omeprazol?

O medicamento tem indicação para tratar patologia estomacais, esôfagos ou duodeno que se relacionem com o ácido gástrico. De modo mais específico, o medicamento pode ser usado em indivíduos que apresentem as seguintes condições patológicas:

  • Úlcera péptica;
  • tratamento auxiliar para erradicar o H.Pylori;
  • Esofagite;
  • Dores estomacais;
  • Refluxo gastroesofágico;
  • Síndrome de Zollinger-Ellison;
  • Hemorragia alta de digestão;
  • Prevenções anti-inflamatórias e pós-cirúrgicas;

O medicamento, em questão, auxilia na proteção das paredes estomacais ou duodenais, já que se inibe o ácido facilitando o procedimento de úlcera cicatrizada, erosão e inflamação.

Apresentações do Omeprazol

Utilização oral, adulta e pediátrica.

Revestidos da liberação em retardamento de 10mg – embalagens composta por 14 revestidos;

Revestidos da liberação em retardamento de 20 mg – embalagem composta por 7, 14, 28 ou 42 revestidos;

Revestidos da liberação em retardamento de 40 mg – embalagem composta por 7 revestidos.

Efeitos do Omeprazol

As ações colaterais que são possíveis de ocorrer com a utilização do medicamento se destacam, de modo geral, como reversíveis e leves, bem como os sinais de:


  • vertigem;
  • dores de cabeça;
  • vômito;
  • diarreia;
  • candidíase;
  • dores abdominais;
  • enjoo;
  • modificação do paladar;
  • prisão de ventre;
  • dores nas costas;
  • cãibras;
  • fraqueza;
  • poliúria.

Ao passo que tenha uso em dosagens maiores que 40mg, de forma contínua por mais de vinte e quatro meses, é possível desencadear a demência e deficiência do elemento vitamínico B12.

Contraindicações do Omeprazol

O medicamento tem contraindicação em situações de hipersensibilidade a quaisquer constituintes da composição.


Advertência

Em casos de gravidez e período de amamentação, o consumo do medicamento, em questão, só pode acontecer depois da análise clínica, a verificar se as vantagens de tratamento são válidos em relação aos riscos possíveis ao bebê.

Como Usar o Omeprazol?

O remédio deve ser consumido, preferencialmente, antes do café da manhã, porque é neste instante que  os elementos celulares parietais surgem em quantitativo maior das bombas com prótons em descanso, com aptidão para terem inibição.

A dosagem e o tempo para tratamento têm variação conforme a patologia a qual se tem a pretensão de cuidar. Veja alguns exemplos:

Úlcera Duodenal

  • Uma cápsula com 20mg ao dia em quatro semanas. Caso haja a necessidade, o tratamento pode ter a extensão por até oito semanas.

Gastrite

  • Uma cápsula com 20mg ao dia por quatro a oito semanas. Gastrites que apresentem úlceras maiores que um cm têm o costume de ter o tratamento composto por 40mg ao dia em oito semanas.

Esofagite Erosiva

  • Uma cápsula com 20mg ao dia em quatro a oito semanas. Caso haja a necessidade, o tratamento é possível de extensão por até três meses e meio.

Refluxo Gastroesofágico

  • Uma cápsula com 20mg ao dia em quatro semanas.

Síndrome de Zollinger-Ellison

  • Dosagem de início de 60mg ao dia, que pode ter reajuste até 120mg, 3x ao dia. O tratamento precisa ter o mantimento ao passo que haja necessidade.

Se o indivíduo não conseguir engolir o medicamento, é possível abrir a cápsula e misturar o pó do produto em água para consumo.

Omeprazol é Bom Para Azia?

Sim, é muito eficaz para a azia. O efeito da queimação estomacal e na região da garganta, de modo geral, é provocado pelas condições de refluxo e má digestão, que é o momento em que o conteúdo que se localiza na região estomacal sobe pela região do esôfago provocando desconfortos, tendendo a ficar pior ao se deitar.

É muito comum, tanto em período inicial como em fim do período gestacional, porém há determinadas técnicas simples que auxiliam no alívio da sensação da queimação e azia.

Os remédios têm atuação em grau do estômago reduzindo a produção de sucos gástricos, que se responsabilizam pelo efeito da queimação e só podem ter o consumo por meio de recomendação médica, em virtude de ação colateral e contraindicação. Dentre os efeitos colaterais, estão a prisão de ventre e as dores de cabeça.

Atente-se a automedicação: os riscos em fazer a ingestão de medicamentos sem o aval de um especialista são inúmeros. O seu organismo pode não responder da mesma forma que o de outros pacientes. Portanto, utilize qualquer medicação de forma consciente e sob orientação médica.


Além disso, faça exames periódicos, todos os anos, para manter a certeza de uma saúde e qualidade de vida efetiva. Alimente-se bem e siga bons hábitos físicos e sociais.

Se as informações foram úteis a você ou ainda ficou alguma dúvida sobre o remédio, em questão,  ligue para 0800 722 6001. Procure sempre orientação médica.

IMPORTANTE: Esse conteúdo é apenas para fins educacionais e não substitui de forma alguma a orientação de um médico. Consulte sempre um médico.