Codeína: Saiba Mais Sobre as Indicações, Contraindicações, Efeitos Colateriais e Superdosagem

Codeína se trata de um tipo de medicação com efeito analgésico, derivado do ópio. É indicado para o uso oral, por adultos e crianças.

Tem apresentação em comprimidos revestidos e em solução oral (gotas). A versão líquida, porém, encontra-se em falta nas farmácias e drogarias.

Para Que Serve o Medicamento?

Codeína

Como mencionado a Codeína tem efeito analgésico, portanto, é recomendado para dores em geral de leves a moderadas. Por ser derivada do ópio também ajuda a controlar crises de tosse, em pacientes acometidos por gripe ou resfriado.

Além disso, o medicamento ajuda a abaixar a febre, possuindo uma leve ação antitérmica.

Apresentação e Composição do Remédio

Codeína é encontrada geralmente na forma de comprimidos revestidos e nas dosagens de 30 mg e 60 mg.

Cada comprimido de 30 mg contém 30 mg do Fosfato de Codeína – enquanto o de 60 mg, apresenta 60 mg da substância ativa da medicação.

Os comprimidos possuem excipientes inativos como: celulose microcristalina, polividona, croscarmelose sódica, dióxido de silício coloidal, estearato de magnésio, metabissulfito de sódio, corante azul FD&C 2 (60 mg) e corante amarelo FD&C 6 (30 mg).

Já a Solução Oral da medicação contém, a cada 1 ml, 3 ml de Fosfato de Codeína. Além dos veículos: sacarina sódica, sacarose,  edetato de sódio, benzoato de sódio, glicerol, cloreto de sódio, aroma framboesa, corante vermelho ponceau e  água  purificada.

Como Usar?

Não há um esquema pré-definido da dosagem indicada de Codeína. No entanto, geralmente as doses recomendadas pelos médicos são:

Crianças

Recomenda-se a dose de 0,5 mg/kg, a cada 4 ou 6 horas, ou, então, conforme a prescrição médica.

Adultos

A dose indicada é de 1 comprimido de 30 mg a cada 3 horas ou a cada 6 horas, dependendo da gravidade do quadro do paciente.

Vale saber que não se deve exceder a quantidade diária de 120 mg (crianças) e 360 mg (adultos) do medicamento. E caso os sintomas não passem com 3 ou 5 dias, o paciente deve consultar um médico para avaliação do seu estado de saúde.

Codeína Possui Contraindicações?

Como acontece com praticamente todos os remédios derivados de opioides, em diversas algumas situações, a medicação não deve ser usada. As principais delas são:

  • Pessoas com diarreia;
  • Pacientes que apresentem reações alérgico de derivados de opioides;
  • Portadores de colite pseudomembranosa;
  • Pessoas que sejam dependentes de drogas ilícitas;
  • Pessoas que sofrem de dificuldades respiratórias, como bronquites;
  • Portadores de doenças psiquiátricas que tenham como sintomas desequilíbrio emocional acentuado ou histórico de tentativa de suicídio – pois derivados de opioides podem piorar essas situações;
  • Alcóolatras;
  • Portadores de arritmias cardíacas;
  • Pacientes com tendência a elevação da pressão intracraniana;
  • Portadores de problemas nas funções do fígado ou dos rins; Pessoas que apresentem algum tipo de inflamação gastrointestinal;
  • Pessoas com epilepsia;
  • Portadores de hipotireoidismo;
  • Pacientes com a próstata aumentada ou obstruída;
  • Pessoas com histórico de sensibilidade a quaisquer um dos componentes da fórmula da medicação;
  • Pessoas que passaram por alguma intervenção cirúrgica recentemente, no trata urinário ou intestinal;
  • Mulheres grávidas sem prévia autorização médica;
  • Mulheres em fase de amamentação sem prévia autorização médica.

Quais são as Reações Adversas?

Com exceção dos pacientes que apresentam contraindicações para o uso do remédio, conforme as situações citadas anteriormente, reações adversas acontecem com pouca frequência. As principais delas, com baixa incidências, mas que podem vir a ocorrer são:

  • Inchaço no rosto;
  • Erupções na pele;
  • Casos de Broncoespasmos;
  • Dificuldades respiratórias;
  • Espasmos na laringe;
  • Edemas pelo corpo;
  • Confusão mental;
  • Alterações no Sistema Nervoso Central, em especial, em crianças;
  • Alterações no pulso;
  • Despersonalização;
  • Pulsação acelerada;
  • Produção de histamina, que leva a redução drástica da pressão arterial;
  • Aumento da quantidade de urina;
  • Rubores faciais;
  • Sensação de boca seca;
  • Alterações na visão, como visão borrada ou dupla;
  • Pressão baixa;
  • Desconforto inexplicável;
  • Náuseas, enjoos e vômitos;
  • Anorexia (falta de apetite);
  • Tonturas;
  • Espasmos na uretra;
  • Euforia;
  • Sensação de desmaio;

Além dessas reações adversas em pouquíssimos casos ocorreram: convulsões, alucinações, rigidez dos músculos, depressão, espasmos biliares, paralisia no início dos quadris, dificuldade de controlar os movimentos do corpo, problemas de sono e incidência de pesadelos.

Interações Medicamentosas da Codeína

Em geral, os efeitos da depressão do Sistema Nervoso causados  pelo medicamento é aumentada se o fármaco for usado em conjunto com outros medicamentos ou substâncias que também  deprimem o Sistema Nervoso. Entre eles estão:

  • Medicações com ação sedativa ou ansiolítica;
  • Anti-Histamínicos;
  • Bebidas alcoólicas;
  • Anticolinérgicos, que costumam alterar ou mesmo cessar o funcionamento normal e adequado do intestino;
  •  Alguns tipos de antidepressivos, como os da classe dos tricíclicos;
  • Além disso, o uso da medicação junto com a utilização da quinidina costuma bloquear a ação analgésica da Codeína.

Precauções no Uso da Medicação

Como já mencionado, devido a medicação ser derivada de opioides, é preciso fazer uso dela com muita cautela em diversas situações. De preferência, nas condições abaixo citadas, contar com autorização médica para administrar o medicamento.

Gravidez

O uso da Codeína deve ser feito após o médico avaliar a relação risco e benefício do medicamento. Isso porque os opioides podem atravessar a placenta da gestante.

Além disso, a utilização constante ou exagerada do remédio pode fazer com que o feto acabe adquirindo dependência da medicação. E se ficar sem receber o derivado opioide, o recém-nascido corre o risco de apresentar sintomas graves como: irritação, convulsões, choro em excesso, diarreia, tremor pelo corpo, estados febris e vômitos;

Trabalho de Parto

A administração da medicação próximo ou durante o parto do recém-nascido pode resultar em dificuldades respiratórios para o feto e para a mãe;

Fase de Amamentação

Mulheres em fase de amamentação só devem fazer uso da medicação com a autorização de um médico, de preferência, pediatra. Isso porque existem riscos de a Codeína ser excretada pelo leite materno, fazendo com que o bebê amamentado no peito ingira quantidades da medicação.

Uso Geriátrico

Idosos costumam estar mais sujeitos ao efeito colateral da medicação, como a dificuldade respiratória. Assim, são recomendadas doses mais baixas do que para adultos e não fazerem uso do medicamento a longo prazo.

Uso Pediátrico

Recomenda-se que Codeína seja usada apenas para crianças que precisem realmente a medicação. Além disso, deve-se optar pela  versão em solução oral líquida do medicamento.

Uso odontológico

O uso desse medicamento é muito eficaz para aliviar dores de dentes, apesar de reduzir a produção de saliva, dando sensação de boca seca. Por outro lado, o remédio é útil para evitar a formação de cáries, candidíases orais, problemas desconfortáveis periodontais;

Guiar ou Operar Máquinas

Durante o tratamento com o medicamento, o paciente deve ter extrema cautela para guiar veículos ou operar máquina. A medicação pode interferir na capacidade de concentração do usuário.

Testes de Doping

O medicamento não deve ser usado por pessoas que necessitam passar por exame de doping, pois o medicamento pode acusar a presença de substância suspeita.

Como Proceder em Casos Superdosagem?

O principal sinal do uso excessivo de Codeína é a dificuldade para o paciente respirar. Ainda podem ocorrer sintomas de superdosagens semelhantes com a superdose da morfina, como muito sono e dificuldade de o paciente se manter acordado.

Ainda podem ser sintomas da superdosagem com Codeína:

  • Sensação de estupor,
  • Constrição das pupilas (miose);
  • Sonolência incontrolável;
  • Tonturas;
  • Desmaios;
  • Cefaleia intensa;
  • Retenção urinária;
  • Prisão de ventre;
  • Descoloração da pele e de mucosas;
  • Falta de oxigenação adequada;
  • Sensação de frieza cutânea;
  • Falta de reflexos;
  • Bradicardia;
  • Pressão arterial baixa;
  • Convulsões, em geral, em pacientes pediátricos;
  • Coma (raro).

Caso o paciente faça uso excessivo de Codeína, recomenda-se levá-lo o quanto antes a um serviço de atendimento médica. Alguns procedimentos ambulatoriais, provavelmente, serão necessários.

Na impossibilidade de se deslocar com o paciente em superdosagem, ligue imediatamente para o SAMU, no número de telefone 192.


A superdosagem com a medicação pode causar sintomas perigosos e irreversíveis ao usuário.