Nitrofurantoína: O Que é, Para Que Serve e Como Usá-lo

Nitrofurantoína é um antibiótico que promete tratar diversos tipos de infecções no trato urinário. Também alivia os desagradáveis sintomas dessas doenças.

O Que é a Nitrofurantoína?

Trata-se de antibiótico, que tem como função aliviar os sintomas e tratar processos infecciosos do trato urinário sensíveis a ação da substância, como:


  • Pielites;
  • Pielotecistes;
  • Cistetes;
  • Piolonefrites; entre outros.

Apresentação e Composição

Nitrofurantoína

O antibiótico tem apresentação em cápsulas. Cada cápsula da medicação contém 100 mg de Nitrofurantoína- principal substância ativa. Além dos excipientes: lactose monoidratada, talco e amido).

Como Ele Age no Organismo?

O medicamento, como se trata de um potente antibiótico, é capaz de inibir processos de proliferação bacteriana, em especial, no trato urinário. A substância ainda atua na síntese de proteínas, provocando a morte das bactérias que se aloja nos órgãos do sistema urinário.

A ação do medicamento se dá em apenas algumas horas da ingestão dele.

Nitrofuratoína deve ser ingerido inteiro, sem ter a sua cápsula aberta, repartida ou mastigada.

Qual a Forma de Usar?

Não há uma prescrição pré-definida para o tratamento contra infecções urinárias com o medicamento . O tratamento depende da doença, da gravidade do quadro e da resposta do paciente à medicação.

No entanto, a grande maioria dos médicos indicam a seguinte forma de usar a Nitrofurantoína para o combate de infecções no trato urinário:

Ingerir uma cápsula da medicação a cada 6 horas. O tratamento deve ser mantido por 7 ou 10 dias, dependendo da indicação médica e da intensidade dos sintomas da infecção.

Ainda pode ser necessário utilizar a Nitrofuratoína por prazos mais longos. Nesses casos, o paciente deve ingerir uma cápsula de 100 mg apenas ao dia, antes de se deitar para dormir.

Vale ressaltar que o tratamento com o antibiótico necessita ser continuado por, no mínimo, 3 dias depois de a urina voltar a sua apresentação normal e os sintomas da infecção cessarem.

No caso de o tratamento não apresentar resultados satisfatórios, o paciente deverá ser reavaliado pelo médico.

Quais os Efeitos Colaterais?

Assim como todos os medicamentos, esse antibiótico também pode causar efeitos colaterais em alguns usuários. A maioria das reações adversas, porém, não exigem a interrupção do tratamento. São eles:

Efeitos colaterais comuns (podem ocorrer entre 1% a 10% dos usuários)

Vômitos, Dor de Cabeça, Diarreia, Dores estomacais, Pneumonia, falta de Apetite, Náuseas, Vômitos, Diarreia, Dor epigástrica, Anorexia e Pneumonia intersticial.

Efeitos colaterais incomuns (podem ocorrer entre 01,% e 1 dos usuários)

Anemia, Leucopenia, Flatulência, Polineuropatia.


Efeitos colaterais raros (podem ocorrer entre 0,01% a 0,1% dos usuários)

Parestesias, Hipertensão benigna intracraniana, Necrose no fígado, Fibrose, Dermatites alérgicas, Icterícia, Lúpis, Urticárias, Prurido, Eritema, Reações anafiláticas, Alergias e Anemia.

Ainda podem acontecer : Constipação, Febre, Calafrios, Tonturas, Sintomas de Depressão, Alopécia, Sonolência, Astenia, Psicose, Neurite ótica, Síndrome de Stevens-Johnson), Cianose.

Quais são as Interações Medicamentosas?

Nitrofuratoína pode interagir com diversas substâncias e acabar interferindo no tratamento do paciente. Algumas substâncias exacerbam os efeitos da medicação, enquanto outras, reduzem.

Dessa forma, o médico deve ter cautela com as seguintes interações medicamentosas do antibiótico, como:

  • Antiácidos que contenham trisilicato de magnésio, pois reduzem a absorção de Nitrofurantoína;
  • Medicamentos Drogas uricosúricas, como a sulfimpirazona  e a probenecida, pois correm o risco de inibir a ação e  e a sulfimpirazona podem inibir a secreção tubular renal de Nitrofurantoína nos rins;
  • Magnésio trissilicato, sulfimpirazona, nitrofurantoín, probenecida, ácido nalidíxico, sulfimpirazona e orfloxacina, ácido oxolínico. Tais substâncias podem ter seus efeitos contracenstâncias costumam re duzir a eficácia do fármaco;
  • O uso concomitante desse remédio pode interferir no efeito contraceptivo de diversos anticoncepcionais orais. Assim, é aconselhável que os pacientes utilizem métodos contraceptivos de barreira (preservativo), enquanto estiverem em tratamento com o antibiótico.

Nitrofurantoína Interfere em Resultados de Exames?

Sim. A substância na urina pode oferecer resultados falsos-positivos para exames de glicosúria – a não ser, durante o teste, sejam empregadas soluções do tipo Fehling e Benedict (o que é muito raro de acontecer).

Qual a Maneira Correta de Armazenar a Nitrofurantoína?

As cápsulas do antibiótico devem permanecer em suas embalagens e apenas serem retiradas quando forem ingeridas. Além disso, a embalagem do medicamento deve ser mantida em temperatura ambiente, entre 15 °C e 30 °C e longe de ambientes úmidos, que possam interferir na eficácia do fármaco.

Por precaução, manter o medicamento armazenado fora do alcance das crianças e de animais domésticos.

Atenção também com a data de validade. Nitrofurantoína, em geral, é valido por 24 meses a contar da data de fabricação. Após esse período, o medicamento deve ser descartado e substituído por outro.

Atenção! Usar medicamentos com o prazo de validade ultrapassada, além de não fazer o efeito esperado, pode fazer mal a sua saúde.


Como Proceder no Caso de Superdosagem?

Pacientes que ingerirem doses maiores do que as recomendadas pela bula ou pelo médico, devem ser levados, de preferência, até o serviço de atendimento médico mais próximo. De preferência, levar a bula ou a embalagem do antibiótico.


Ingerir doses altas do medicamento pode causar toxidade ao organismo.

Caso não seja possível se deslocar com o paciente e ele tenha utilizado doses muito maiores do que as indicadas, entre em contato com o SAMU, pelo número 192. A ligação é gratuita e pode ser feita de qualquer aparelho de telefone. A equipe de socorro médico irá até o local onde o paciente que sofre de superdosagem se encontra.

IMPORTANTE: Esse conteúdo é apenas para fins educacionais e não substitui de forma alguma a orientação de um médico. Consulte sempre um médico.