Gelol: Conheça as Indicações, Como ele Age, Efeitos Colaterais e Como Guardá-lo

Quem não conhece Gelol? A pomada é amplamente conhecida e utilizada em casos, principalmente, de dores musculares.

Apresentação e Composição

Gelol tem apresentação em gel/pomada, que é absorvido rapidamente pela pele e de fácil distribuição. Está disponível em embalagens contendo 20 g ou 45 g.


Sua fórmula é composta por (cada g):

  • Cânfora: 44,40mg;
  • Salicilato de metila: 52,50 mg;
  • Mentol: 20 mg.

Além dos excipientes: essência de mostarda, erebintina, essência de alfazema, essência de alecrim , parafina, butil-hidroxitolueno, petrolato branco e petrolato líquido.

Gelol

Como Age no Organismo?

As 3 substâncias ativas que compõem a fórmula do gel possuem ação analgésica, reduzindo a dor local. Já a presença da cânfora e do mentol esfriam a região, estimulando a circulação da região – o que contribui também para amenizar dores e incômodos.

A elevação da temperatura produzida pelo uso de Gelol ainda ajuda na vasodilatação da região onde é aplicado, promovendo alívio de dores localizadas mais profundamente.

Esses efeitos promovidos pelo gel acontecem de forma rápida, após cerca de 20 ou 30 minutos da aplicação as dores já são amenizadas.

Veja como age cada componente da fórmula:

Cânfora

De fácil absorção pela pele e pelos músculos, promove o resfriamento da região, estimulando a circulação sanguínea local – o que contribui para amenizar a dor.

Salicilato de metila

Substancia que com propriedades analgésicas e anti-inflamatórias. Alivia a dor e trata eventuais inflamações musculares ou que afetem os nervos, por meio de sua ação local e no Sistema Nervoso Central.

Tem ação nas regiões mais profundas dos músculos e dos nervos.

Mentol

Tipo de álcool que causa resfriamento local, estimulando a circulação sanguínea da região. Ainda possui leve efeito analgésico.

Quando o Uso de Gelol é Indicado?

O gel é indicado, geralmente, para aliviar e tratar processos inflamatórios musculares e nervos, que causam dores. Entre as principais indicações para o uso do medicamento estão:

  • Nevralgias (dores que envolvem lesões nos nervos);
  • Reumatismo;
  • Contusões;
  • Torcicolo;
  • Dores musculares em geral.

Qual a Forma de Uso?

Gelol deve ser aplicado na região que necessita do tratamento por 2 a 3 vezes ao dia, no máximo – não ultrapassar essa margem, pois pode irritar a pele.

O medicamento deve ser usado no local até que cessem as dores.

Caso os sintomas não desaparecem em torno de 1 semana, indica-se que o paciente procure atendimento médico, para uma avaliação mais minuciosa da dor ou da sensação de incômodo.


Gelol Tem Contraindicações?

Apesar de parecer inofensivo para a saúde, estamos falando sobre um medicamento e como todos eles, o gel pode não estar indicado em algumas situações.

O salicilato de metila contido na fórmula do gel, por exemplo, pode ocasionar alguns efeitos colaterais indesejáveis em pessoas sensíveis, como coceiras, inchaços e vermelhidão na pele. Além disso, existem pacientes com reações alérgicas aos componentes da fórmula da medicação.

Nos casos indicados acima, não se recomenda o uso de Gelol e deve-se considerar a substituição por outras pomadas, que apresentem outros componentes.

Além disso, a pomada não deve ser usada por pacientes com menos de 2 anos de idade.

O Gel Tem Efeitos Colaterais?

Sim, como toda medicação, ainda que o medicamento se trate de uma pomada, alguns pacientes estão sujeitos a apresentar indesejáveis efeitos colaterais com o uso do gel – embora sejam raros.

Os efeitos colaterais mais relatados com o uso do medicamento são:

Efeitos Colaterais Comuns (podem acontecer entre 1% a 10% das pessoas que fazem uso da pomada)

Náuseas, vômitos, indigestão, alterações em geral no trato gastrintestinal, crises de asma em pessoas asmáticas, rinites crônicas, urticárias, inchaços nos olhos e/ou lábios, broncoespasmos, falta de ar.

Efeitos Colaterais Incomuns (podem acontecer entre 0,1% e 1% das pessoas que fazem uso da pomada)

Alteração no tempo e processo de coagulação do sangue, artrite, alterações nos tecidos conjuntivos diversos (como adiposo, muscular, etc.), Síndrome de Reye em crianças (doença grave que afeta o fígado e o cérebro).

Grávidas e Lactentes

Mulheres grávidas ou com suspeita de gravidez, além daquelas em fase de amamentação (lactentes) só devem usar Gelol com a autorização de um médico, de preferência ginecologista e pediatra.

As substâncias do gel podem ser excretadas pelo leite materno, fazendo com que o bebê se alimenta no peito ingira os componentes da fórmula da medicação.

Existem Interações Medicamentosas?

Não foram relatadas, até o momento, interações medicamentosas. No entanto, não se recomenda utilizar outros tipos de produto junto a medicação para tratar o problema que o paciente apresenta.

Casos de Superdosagem com Gelol

Pacientes que utilizem doses acima das recomendadas podem apresentar vermelhidão e problemas de reações alérgicas cutâneas – o que não é um problema – mas não trará mais benefícios para a região tratada.

Já se houver ingestão acidental do gel, não provoque o vômito. Leve o paciente até um serviço de atendimento médico. A ingestão indevida do medicamento pode causar problemas gastrointestinais de leves a graves.


O mesmo deve ser feito se Gelol entrar em contato com os olhos.

Como Guardar a Gel

Mantenha Gelol sempre fechado corretamente e deixe-o guardado em locais com temperatura ambiente, entre 15 °C e 30 °C.


Recomenda-se ainda manter o gel longe do alcance das crianças e de animais de estimação, para evitar a ingestão indevida do medicamento.

Atenção à data de validade. Não utilize o gel se ele estiver com a data de vencimento vencida. Além de perder a eficácia, medicamentos fora da data de validade podem trazer males à saúde.

IMPORTANTE: Esse conteúdo é apenas para fins educacionais e não substitui de forma alguma a orientação de um médico. Consulte sempre um médico.