Transtorno Bipolar: O que é, Causas, Sintomas e Tratamento

Confira Todas as Informações Sobre o Transtorno Bipolar. Veja as Causas, Sintomas e Opções de Tratamento Para Esta Condição que Acomete a Saúde!

O Transtorno Bipolar é uma condição que pode acometer o organismo cerebral provocando modificações comportamentais da pessoa.


Isto porque ele oscila entre situações felizes e depressivas de forma muito repentina. As denominadas oscilações de humor trazem a significância de alternar a mania – que seria o estado de euforia para uma situação depressiva.

A frequência varia, de modo a intensificar o cenário que pode se caracterizar leve, moderado ou grave.

O Que é Transtorno Bipolar?

Transtorno Bipolar

Há categorias diferenciadas do Transtorno Bipolar e todos acabam afetando os níveis do humor, da eficiência e da energia do paciente.

Dessa forma, há a possibilidade de o indivíduo manifestar estados variados do humor que podem ter energia extrema – nomeados como crise maníaca – ou de extrema tristeza e falta de energia – crise de depressão.

É possível que ocorram crises brandas, também disponíveis como a hipomania.

As crises de modificação do humor podem ocorrer em espaço variado de tempo, raramente ou em diversos momento do ano.

Ainda que esta condição seja categorizada como incurável, há a possibilidade de fazer o controle das modificações do humor com remédios determinados e o acompanhamento de psicoterapias.

Ao passo que um indivíduo que apresente o transtorno bipolar esteja sem tratamento, cada etapa pode perdurar entre 3 a 6 meses, e posteriormente há uma etapa de normalidade que varia e, por conseguinte, a euforia que também pode ter duração de 3 a 6 meses.

Ao tratar corretamente a condição, este prazo pode sofrer abreviações.

Causas do Transtorno Bipolar

As razões específicas para o Transtorno Bipolar são desconhecidas. Contudo, a ciência crê que vários aspectos podem ter o envolvimento em oscilação humor causadas pela patologia, como os seguintes critérios:

Especificações da Biologia

Indivíduos com este problema apresentam alguns pontos diferentes físicos em relação ao cérebro, o que, em alguns casos, pode fazer com que os cientistas descubram as razões com exatidão da patologia.

Neurotransmissor

Trata- de um tipo de desequilíbrio entre os elementos neurotransmissores que parece ter importância na razão deste problema.

Hormônio

Um desequilíbrio de hormônio que, também, está entre as possibilidades de desencadeadores.

Genética

Indivíduos que tenham parentesco com pessoas que também apresentam a condição estão mais submissas a esta patologia. Portanto, determinados estudiosos creem que a hereditariedade possa ter envolvimento nas razões da patologia.

Meio ambiente

Aspectos exógenos, como abuso sexual, estreses ou demais experiências que causem traumas podem ter relação a este problema.

Riscos

Determinados aspectos, portanto, podem fazer a contribuição para que se desenvolva o Transtorno Bipolar:

  • hereditariedade;
  • estresse intenso;
  • utilização e abuso de substâncias ilícitas, bem como o álcool;
  • mudança que ocorreu na vida, e experiências que causaram traumas;
  • faixa etária entre 15 a 25 anos.

Sintomas do Transtorno Bipolar

Os sinais do Transtorno Bipolar dependem da categoria exata da patologia e têm o costume de apresentar variações de indivíduo para indivíduo.

Em relação a determinadas pessoas, os picos depressivos provocam problemas maiores. Para demais, o que preocupa mais são os picos maníacos.

Isto porque é possível que ocorra, também, sinais de hipomania e depressão, em mesma instância. Veja quais são os sinais principais:


Etapa de mania

  • distração fácil;
  • reduz-se a necessidade de dormir;
  • reduz-se o discernimento;
  • temperamento descontrolado;
  • consumo maior de bebida, alimentos e drogas;
  • relação sexual com várias pessoas;
  • gastos em excesso;
  • energia exacerbada;
  • hiperatividade;
  • pensamento acelerado que se atropela;
  • autoestima exagerada;
  • fala excessiva;
  • irritação;
  • grande agitação;
  • envolvimento grande em diversas atividades.

A etapa de mania do problema, em questão, pode ter duração de dias e, inclusive, meses. Estes sinais são os que mais se destacam em indivíduos que apresentam a categoria 1 da patologia.

Em relação a categoria 2, portanto, os sintomas se assemelham, porém com menor intensidade.

Etapa da Depressão

  • tristeza;
  • desânimo diário;
  • dificuldade de concentração, de lembrança e tomada de decisão;
  • perda do apetite;
  • perda do peso;
  • aumento do peso – consome mais comida;
  • cansaço;
  • falta de energia;
  • sente-se inútil, desesperançoso ou com culpa;
  • interesse perdido nos exercícios que antes causam prazer;
  • baixa autoestima;
  • pensamento de suicídio;
  • não consegue dormir ou apresenta muito sono;
  • afasta-se dos amigos e das coisas que lhe causavam prazer, anteriormente.

Os riscos de suicídio em indivíduos que apresentam o problema, portanto, são grandes. Os indivíduos podem usar muito álcool ou demais drogas, de modo a piorar os sinais.

Em determinadas situações, as duas etapas acabam sobrepondo uma a outra. Os sinais da mania e da depressão podem acontecer em conjunto ou de forma rápida, um depois do outro.

Esta condição, portanto, acaba sendo denominada como estado misto.

Oscilação do humor

É possível que as oscilações ocorram também conforme a estação do ano. Determinados indivíduos, por exemplo, apresentam picos maníacos ou hipomaníacos ao longo do verão e da primavera – que são as estações de maior calor.

Por conseguinte, apresentam sinais depressivos ao longo da estação mais fria, como inverno e outono. Para demais indivíduos, isto ocorre de forma oposta.

Este problema é, por vezes, mais dificultoso de fazer a identificação e diagnóstico. O motivador é a hipomania, sintoma precoce da patologia.

Esta condição pode desencadear alto níveis energéticos, pensamento grandioso ou ideia bem como comportamento impulsivo.

Os sinais podem, ainda, fazer com que o indivíduo se sinta bem de algum modo, desencadeando a negação de que existe algum problema.

Outro motivador para a ausência do reconhecimento é que tal problema pode surgir com sinal de outra patologia ou acontecer paralelamente com demais condições como abuso de drogas, transtornos comportamentais irregulares nos ambientes de estudo ou profissional.


Tratamento para Transtorno Bipolar

O tratamento para este problema tem o costume de apresentar duração longa, até por anos. O costume é ser realizado por vários especialistas de diversas especialidades.

Equipes tentam fazer a descobertas das possibilidades que desencadearam a modificação do humor e, por conseguinte, a investigação de problemas clínicos ou relativos a emoção.


  • hospitalização, se o indivíduo apresentar comportamento de perigo, que possa ameaçar a vida própria ou dos demais;
  • remédios para controlar modificação do humor que têm o costume de ser prática recomendada inicialmente para tratar a condição.

Ao passo que haja o controle dos sinais, o tratamento tem seu avanço e foca-se em manter a modificação do humor estável.

Por mais que você se sinta bem, faça um Check-up  uma vez por ano.  Exames regulares ajudam seu médico acompanhar sua saúde e identificar alguma ameaça de doença, colocando você no caminho do tratamento.

IMPORTANTE: Esse conteúdo é apenas para fins educacionais e não substitui de forma alguma a orientação de um médico. Consulte sempre um médico.