Topiramato: Bula, Indicação, Efeitos Colaterais, Como Usar

Saiba Tudo Sobre o Topiramato, Um Medicamento Que Deve Ter a Prescrição de Um Médico. Confira Também Todas As Indicações, Efeitos Colaterais e as Formas de Uso Desta Medicação!

O Topiramato é um medicamento específico para aqueles que apresentam quadros de epilepsia e demais síndromes.


Se o seu especialista recomendou esta medicação a você, confira na íntegra tudo sobre a bula e demais critérios relacionados a este tipo de tratamento.

Topiramato: Quais as Indicações?

Topiramato

O elemento ativo tem indicação para monoterapias em indivíduos epiléticos diagnosticados de forma recente.

Nestes casos, os indivíduos são aqueles que já receberam tipos de terapias adjuvantes e terão a conversão ao tipo monoterapêutico.

O medicamento tem indicação para crianças e adultos, como um adjuvante para tratar a crise epiléptica parcial, que tenha ou não generalização secundária e crise tônico-clônicas com generalização primária.

O remédio tem indicação, também, para as crianças e público adulto para tratar as crises com associação à síndrome de Lennox-Gastaut.

O produto tem indicação também para a profilaxia de enxaquecas. A utilização, contudo, para tratar a enxaqueca aguda não teve pesquisas.

Apresentações do Topiramato

  • Drágea revestida em embalagens de 10 a 60 comprimidos com revestimento;
  • Drágea revestida em embalagens hospitalares compostas por 500 comprimidos com revestimento.

Utilização adulta e pediátrica.

Efeitos Colaterais do Topiramato

Os efeitos adversos são associados a algumas condições referentes ao princípio ativo, baseando-se na análise abrangente de informação de evento adverso disponível.

Em situações individuais, a relação da causa com o princípio ativo não pode ter estabelecimento confiável. Por isso, em virtude do estudo direto comparado as taxas de pesquisas clínicas de demais medicações, podem não permitir o reflexo da taxa observada clinicamente.

Contraindicações do Topiramato

A medicação, em questão, não pode ter administração em período gestacional do tipo D..

O remédio não deve ter o uso pelo público feminino em período de gravidez sem a recomendação do médico. Informar de forma imediata ao clínico, o caso de suspeitas de gravidez.

Como Usar o Topiramato?

Para controlar de forma correta, tanto ao público adulto quanto o público infantil, a recomendação é dar início ao tratamento com dosagens baixas, seguidas de títulos até uma dosagem de maior eficácia.

O medicamento está disponibilizado em drágeas e em fórmula de cápsulas com os elementos microgranulos com revestimento.

A recomendação é não partir as drágeas. A fórmula em cápsula é, de forma especial, recomendada aos indivíduos que apresentam dificuldades para engolir, como idosos e crianças.

Cápsula

Este tipo de revestimento pode ser engolido inteiro ou, então, pode ter a abertura do conteúdo. Isto porque a administração deve ser espalhada em um pequeno quantitativo de água ou alimento do tipo pastoso.


Misturar o remédio ao alimento deve ser realizado de forma imediata. A deglutinação, também, deve ocorrer sem mastigação ou sem a espera para utilização posteriormente.

Não há a necessidade, contudo, de fazer o monitoramento da concentração plasmática do princípio ativo para a otimização do tratamento com o elemento.

De forma rara, tratar de forma concomita com a substância fenitoína pode ter a exigência de ajustes de dosagens do elemento, porque desta forma o resultado alcançado clinicamente é excelente.

Adicionar ou, então, retirar a fenitoína e a carbamazepina deste tipo de tratamento com o princípio ativo pode ter a exigência de ajustes.

Ele pode, portanto, ter a administração acompanhada ou não de alimentos.

Tratamento para Epilepsia

A dosagem mínima com eficácia corresponde a 200mg por dia. De modo geral, a dosagem por dia tem variação de 200mg a 400mg.

Deve existir uma variação das ingestões. Determinados indivíduos, de forma eventual, podem precisar das dosagens de até 1600mg ao dia, tratando-se da dosagem máxima.

A recomendação, então, é que o tratamento tenha início com uma dosagem menor, acompanhado por titulação da dosagem até alcançar a dosagem correta.

Este tratamento deve ter início a partir de 25 a 50mg, com administração em período noturno, em 7 dias.

De forma posterior, a pausas de uma ou duas semanas, a dosagem deve ter o aumento de 25 a 50mg ao dia, com divisão em duas ingestões.

A dosagem, portanto, deve ter orientação a partir de resultado clínico. Determinados indivíduos podem alcançar eficácia a partir de uma dosagem por dia.

A indicação posológica tem aplicação a todas as faixas etárias adultas, com a inclusão dos idosos, não existindo quadros de patologias dos rins.

Contudo, em indivíduos que estejam passando por hemodiálises, pode-se encontrar uma dosagem suplementar.

Crianças maiores de 2 anos

A dosagem total por dia, portanto, tem recomendação para o público de 5 a 9mg por kg e dia, com divisão em duas ingestões.

Deve-se ter início entre um a três mg por dia, à intervalo de uma ou duas semanas, até que se alcance uma resolução clínica excelente.

A dosagem deve ter orientação a partir de resposta médica.

As dosagens por dia correspondem até 30mg por dia tiveram boa tolerância nas pesquisas realizadas.

Monoterapia em Epilepsia

Para crianças que tenham mais de dois anos de idade, a dosagem de início tem variação de 0,5 a 1mg por kg, em período noturno, em período de sete dias.

Depois desta dosagem, é preciso aumentá-la em intervalos de uma a duas semanas, com divisão em duas ingestões.


Caso a criança tenha a incapacidade da tolerância do esquema de dosagens, aumenta-se de forma menor ou em períodos maiores entre dosagens.

A dosagem e a velocidade do título deve ter orientação a partir do resultado médico.

A dosagem de início deve ter recomendação em monoterapias ao público infantil, sendo de três a seis mg por dia.

O público infantil com crise de início deve ter o diagnóstico recente das dosagens até 500mg.

Enxaqueca

A faixa etária adulta, portanto, deve iniciar o tratamento para enxaqueca a partir de 25mg em período noturno de sete dias.

A dosagem deve ser maior que 25mg por dia, uma vez a cada sete dias. Caso o indivíduo tenha a incapacidade da tolerância para a gradação, os intervalos devem ser elevados entre ajustes das dosagens.


A dosagem em sua totalidade por dia, tem recomendação para o tratamento de enxaquecas. O quantitativo, portanto, é de 100mg ao dia, com divisão em 2 ingestões.

Determinados indivíduos podem ter benefícios de 1 dosagem por dia com 50mg. Indivíduos que receberam dosagens podem ter benefícios de dosagem por dia de 50mg.

IMPORTANTE: Esse conteúdo é apenas para fins educacionais e não substitui de forma alguma a orientação de um médico. Consulte sempre um médico.