Noripurum: Bula, Indicações, Efeitos Colaterais, Como Usar

Confira Todas as Informações Sobre o Noripurum, Um Medicamento Que Deve Ter Prescrição Médica. Conheça Também Os Efeitos Colaterais e Modos de Uso.

O Noripurum é um medicamento específico com indicação para tratar as possíveis deficiências do ferro no organismo.


É prescrito pelos profissionais da Medicina para tratar as anemias e condições relativas a este cenário.

Noripurum: Quais as Indicações?

Noripurum

O remédio, portanto, tem indicação para tratar anemias e a deficiência do ferro. As indicações correspondem a:

  • síndromes das deficiências do ferro que não teve, ainda, manifestação ou que teve de modo suave;
  • anemia ferropriva em virtude da subnutrição ou carência alimentar – em relação a qualidade ou quantidade;
  • anemia em virtude de absorção ruim do intestino;
  • anemia ferropriva em período gestacional, bem como de amamentação;
  • anemia em virtude de sangramento recente ou pelo prazo longo e em situações que haja conveniência a suplementos de aspectos dispostos pela corrente sanguínea;

O medicamento, em questão, portanto, atua em combate a anemia e, de forma específica, tem indicação para tratar anemias de nutrição e de hemácias pequenas, então, provocadas pela deficiência do ferro.

O mineral ferro do medicamento tem apresentação, portanto, sob o formato de complexo a partir de elementos moleculares grandes, sem íons, contudo, conferindo a preparação de muitas vantagens. São elas:

  • boa absorção;
  • baixa toxicidade;
  • bom aproveitamento pelo organismo;
  • boa tolerância;
  • não interage com determinados remédios – por exemplo, o Hidróxido de Alumínio, Tetraciclinas;
  • preservação do volume usado, sem perder pelos rins ou depósitos em tecidos gordurosos.

Apresentações do Noripurum

  • Drágea mastigável de 100mg;
  • Embalagem composta por 10 ou 30 comprimidos.

Utilização oral, adulta e pediátrica.

  • cada drágea mastigável apresenta ferro III composto por 100mg.

Excipientes

  • celulose microcristalina;
  • dextrato;
  • macrogol;
  • talco;
  • vanilina;
  • ciclamato de sódio;
  • cacau;
  • aroma artificial de chocolate.

Efeitos Colaterais do Noripurum

Dentre as possíveis reações adversas, portanto, é possível que surjam os seguintes sintomas:

  • diarreia;
  • fezes escurecidas;
  • náusea;
  • dores abdominais;
  • vômito;
  • constipação;
  • gastrite;
  • escurecimento dental;
  • erupções cutâneas;
  • coceira;
  • dores de cabeça;
  • vermelhidões da pele.

Contraindicações do Noripurum

A medicação, portanto, não deve ter uso pelos indivíduos da seguinte categoria:

  • indivíduos alérgicos a substâncias que apresentem ferro ou quaisquer compostos do medicamento;
  • indivíduos que apresentem a sobrecarga do ferro – hemocromatose e hemosiderose;
  • indivíduos que apresentem patologias do fígado de teor agudo;
  • indivíduos anêmicos que não apresentam a doença provocada pela deficiência do ferro;
  • indivíduos com patologias gastrointestinais;
  • indivíduos com incapacidades de uso do ferro.

Interações por Medicamentos

O consumo em excesso do álcool, então, provoca a elevação do depósito  do ferro na região hepática e eleva a possível chance de apresentação das reações adversas, incluindo a toxidade do ferro quando em utilização prolongada.


A interação do elemento ferripolimaltose com o Hidróxido de Alumínio e a Tetraciclina tiveram investigação em três pesquisas nos humanos.

Não houve, portanto, observação de diminuição significativa da tetraciclina absorvida.

As concentrações plasmáticas do elemento não diminuiu, portanto, o nível abaixo do concentrado inibitório mínimo necessário para o grau sérico das substâncias bacteriostáticas.

O ferro absorvido pela ferripolimaltose não teve redução pelo hidróxido do alumínio ou o outro elemento mencionado.

Contudo, pode ter administração em mesma instância, então, que os demais constituintes fenólicos.

Pesquisas em ratos revelam que não houveram interações a partir da ferripolimaltose com os seguintes medicamentos:

  • hidróxido de alumínio;
  • tetraciclina;
  • acetilsalicilato;
  • carbonato de cálcio;
  • sulfassalazina;
  • fosfato de cálcio combinado com vitamina D3;
  • acetato de cálcio;
  • aspartato de magnésio;
  • bromazepam;
  • paracetamol;
  • D-penicilamina;
  • auranofina;
  • metildopa.

De mesma maneira, portanto, não houveram interações com compostos de alimentos como os seguintes:

  • ácido oxálico;
  • ácido fítico;
  • alginato de sódio;
  • tanino;
  • sais de colina;
  • colina;
  • vitamina E;
  • vitamina D3;
  • vitamina A;
  • farinha de soja;
  • óleo de soja.

Os testes sanguíneos ocultos em relação as fezes para detectar o sangue oculto sem prejuízos e, por isso, não houve necessidade de interrupção das terapias.


Como Usar o Noripurum?

A dosagem e o tempo de terapia, portanto, apresentam variação de extensão do ferro em deficiência. A sugestão da posologia mediana, então, apresentam dosagens como as seguintes:

Público Infantil Entre Um e Doze Anos

  • uma drágea mastigável, 1x por dia;

Público Infantil Entre maior Que Doze Anos, Público Adulto e Lactante

  • uma drágea mastigável, 1 a 3x ao dia pelo tempo de 5 meses, até que os valores da hemoglobina se normalizem;

Após a terapia, é preciso prosseguir por diversas semanas com uma drágea mastigável ao dia, com o intuito da restauração da reserva do ferro.

Deficiência de Ferro Latente

  • uma drágea mastigável ao dia, entre 1 a 2 meses;

Em situações da anemia ferropênica de teor grave ou a necessidade grande do ferro, as dosagens podem ter um aumento a depender do médico. Ainda, pode haver a necessidade de utilizar o medicamento parenteral como o início do tratamento.

Público em Período Gestacional

  • uma drágea mastigável, 2x a 3x ao dia, até que os valores da hemoglobina se normalizem;

Após as terapias é preciso prosseguir com uma drágea mastigável ao dia por, no mínimo, até o fim da gravidez para que haja a restauração do ferro em reservas.

Deficiência do Ferro Latente

Para o tratamento desta condição, a partir do Noripurum, é preciso fazer uso de uma drágea mastigável ao dia. Este mesmo tratamento é, então, válido para prevenir a condição de ferro deficiente.

É imprescindível, então, ter em mente que a automedicação pode ser prejudicial à sua saúde. Consulte, portanto, sempre um especialista para ter um melhor diagnóstico do seu quadro clínico.


Fazer exames periódicos é uma atitude saudável para manter a qualidade de vida. Cuidar da boa alimentação também é um ponto a seu favor.

Procure se exercitar diariamente e obter hábitos saudáveis para viver sempre bem. Saúde em primeiro lugar!