Insulina: Bula, Indicações, Efeitos Colaterais e Como Usar

Saiba Tudo Sobre o Insulina, Um Medicamento Específico Que Deve Ter a Prescrição do Médico. Confira Todas as Informações e Modos de Uso!

Insulina é como chave que faz a abertura de fechaduras dos elementos celulares do organismo, a fim de que a glicose na corrente sanguínea entre e tenha uso para a geração de energia.


Insulina: Quais as Indicações?

Insulina Humana

Este medicamento é, na verdade, um hormônio com produção pancreática que atua permitindo que a glicose entre nos elementos celulares para ter a transformação em energia.

Indivíduos diabéticos podem necessitar a injeção da insulina por razões diferentes. Isto desde a produção de Insulina com suficiência, não estarem aptos a utilizá-las de forma adequada ou ambas as situações.

A injeção de insulina têm disposto de trajeto longo, desde que passou a ter uso em tratamento para diabéticos, no ano de 1920.

Atualmente, além dos tipos diferenciados da Insulina para o atendimento de requisições de cada pessoa, existem diversos modos de fazer a injeção hormonal.

Em relação à prática, o processo de aplicação se tornou mais fácil e quase sem dor, em  razão das inovações de seringas, agulhas e caneta de BD.

Categorias da Insulina

Quase toda insulina comercializada atualmente é conhecida como insulina humana. Desenvolvida por cientistas em laboratório, a partir da tecnologia de DNA recombinante, ela se assemelha muito com o hormônio produzido pelo pâncreas.

Hoje em dia, a insulina exógena também é encontrada com variados tipos de ação, de acordo com seu tempo de atuação no organismo.

A insulina usada por portadores de diabetes não pode ser tomada em pílulas ou cápsulas, pois os sucos digestivos presentes no estômago interferem em sua eficácia.

Com o avanço das pesquisas na área, essa realidade talvez seja viável no futuro, mas, no momento, a única maneira de consumir insulina é injetando-a diretamente no tecido subcutâneo.

Embora haja outros métodos disponíveis, a maioria dos pacientes injeta a insulina com seringas ou canetas de insulina, instrumentos especialmente voltados ao tratamento.

Apresentações da Insulina

  • Insulina Regular (R) (Insulina zíncica cristalina)
  • Regular (R) Humana (100 unidades por mL)
  • NOVOLIN-R (10 mL)
  • NOVOLIN-R (3 mL)

Efeitos Colaterais da Insulina

  • Urticária, erupções cutâneas;
  • Reações anafiláticas;
  • Hipoglicemia;
  • Neuropatia periférica (neuropatia dolorosa);
  • Distúrbios de refração;
  • Retinopatia diabética;
  • Lipodistrofia;
  • Reações no local de administração, edema;
  • Hipoglicemia;

A reação adversa mais frequentemente relatada é a hipoglicemia. Ela pode ocorrer se a dose de insulina for muito alta em relação à necessidade.

Geralmente, os sintomas de hipoglicemia podem ocorrer repentinamente. Eles incluem suor frio, pele fria e pálida, fadiga, nervosismo ou tremor, ansiedade, cansaço e fraqueza incomuns, confusão, dificuldade de concentração, sonolência, fome excessiva, alterações na visão, cefaléia, náusea e palpitações.

Contraindicações da Insulina

Hipersensibilidade à substância ativa ou a qualquer um dos excipientes.


Como Usar a Insulina?

Insulina Humana (substância ativa) é para uso subcutâneo. Suspensões de Insulina Humana (substância ativa) nunca devem ser administradas intravenosamente.

Insulina Humana (substância ativa) é geralmente administrado subcutaneamente na coxa. Se for conveniente, a parede abdominal, a região glútea ou a região do deltoide também podem ser usadas.

A injeção subcutânea na coxa resulta em uma absorção mais lenta e menos variável em comparação com os outros locais de injeção.

A injeção numa prega da pele minimiza o risco de injeção intramuscular não intencional. A agulha deve permanecer sob a pele durante 6 segundos pelo menos para garantir que a dose completa foi aplicada.

Os locais de injeção deverão ser sempre alternados dentro de uma mesma região a fim de diminuir o risco de lipodistrofia.

As suspensões de Insulina Humana (substância ativa) nunca devem ser administradas intravenosamente.

Insulina Humana (substância ativa) é acompanhado por uma bula contendo instruções detalhadas para utilização que devem ser seguidas.

Os frascos foram desenvolvidos para serem usados com seringas de Insulina Humana (substância ativa) com a escala de unidades correspondente.

Posologia da Insulina Humana

Insulina Humana (substância ativa) é uma Insulina Humana (substância ativa) de ação prolongada.

A dose é individual, sendo determinada de acordo com as necessidades do paciente. A dose total diária média de Insulina Humana (substância ativa) necessária para manutenção da terapia do paciente com diabetes tipo 1, varia entre 0,5 e 1,0 UI/kg, dependendo do paciente.

Entretanto, em pré-adolescentes, a média diária de Insulina Humana (substância ativa) necessária geralmente varia entre 0,7 a 1,0 UI/kg. A dose inicial para portadores de diabetes do tipo 2 é frequentemente mais baixa, por exemplo, 0,3 a 0,6 UI/kg/dia.

A exigência diária de Insulina Humana (substância ativa) pode ser maior em pacientes com resistência à Insulina Humana (substância ativa) (por exemplo, durante a puberdade ou devido à obesidade) e menor nos pacientes com produção endógena residual de Insulina Humana (substância ativa).

O médico determina se uma ou várias injeções diárias são necessárias. Insulina Humana (substância ativa) pode ser usado isoladamente ou misturado com uma Insulina Humana (substância ativa) de ação rápida ou ultra-rápida.

Na insulinoterapia intensiva a suspensão pode ser utilizada como Insulina Humana (substância ativa) basal (injeção à noite e/ou pela manhã) com uma Insulina Humana (substância ativa) de ação rápida ou ultra rápida administrada às refeições.


Nos pacientes com diabetes mellitus, o controle glicêmico otimizado posterga o início de complicações diabéticas tardias. A monitorização da glicose no sangue é, portanto, recomendada.

Doenças concomitantes, especialmente infecções e estados febris, normalmente aumentam as necessidades de Insulina Humana (substância ativa) do paciente.

A insuficiência renal ou hepática pode reduzir as necessidades de Insulina Humana (substância ativa). O ajuste da dose também pode ser necessário se os pacientes alteram sua atividade física ou dieta habitual.

Pode ser necessário o ajuste da dose quando se transferem pacientes de uma preparação de Insulina Humana (substância ativa) para outra.

De acordo com um estudo clínico realizado em pessoas diabéticas tipo 2, foi constatado que quando a Insulina é aplicada antes de dormir, ela reduz a hipoglicemia e leva a um controle glicêmico maior.


A ação do medicamento se inicia dentro de 1 hora e meia e atinge o seu efeito máximo entre 4 a 12 horas. A ação toral dura em média 24 horas.

Para que os medicamentos possam ser comercializados, eles devem ser registrados na Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária). Em casos de dúvida, verifique no portal da Agência em “Consulta de Produtos”, pois pode ser um medicamento irregular ou falsificado.

IMPORTANTE: Esse conteúdo é apenas para fins educacionais e não substitui de forma alguma a orientação de um médico. Consulte sempre um médico.