Insônia: O Que é, Causas, Tratamentos, Recomendações

Você sabia que cerca de 2 milhões de pessoas são afetadas pela Insônia a cada ano?

Segundo a Associação Brasileira do Sono (ABS), 73 milhões de brasileiros sofrem com Insônia, e sobre isso, o pneumologista Maurício da Cunha Bagnato, da Unidade de Medicina do Sono do Hospital Sírio-Libanês, afirma que cerca de 40% das pessoas ainda vão sofrer de Insônia em alguma fase da vida, o que em muito incrementará as estatísticas.


Neste post, você vai conhecer os diferentes tipos de Insônia e saber como tratar, para ter uma vida mais saudável e com qualidade. Confira!

O Que é Insônia?

Trata-se de um transtorno no ciclo do sono que além de impedir que a pessoa durma, afeta o humor, a capacidade de raciocínio e a produtividade, sendo, portanto, uma grande potencializadora de doenças, cujas causas podem ser orgânicas e psíquicas.

Insônia

Tipos de Insônia e diferenças Entre Elas

A Insônia pode ser definida pela dificuldade dormir, neste caso é chamada de Insônia inicial caracterizada pela ansiedade, quanto para voltar a dormir depois de despertar durante a madrugada, e pode estar associada à depressão.

Dentre elas, existem dois tipos:

  • Aguda: refere-se à dificuldade de dormir devido a uma situação de estresse, geralmente tem a ver com problemas familiares ou no trabalho, até mesmo a perda de um ente querido, por exemplo.
  • Crônica: voltada aos problemas de saúde que acometem faixas etárias  avançadas em maior grau.

Quais Fatores Podem Causar a Insônia?

Não é sempre se percebe o que exatamente causa Insônia, porque ela pode ser motivada de maneira orgânica e psíquica, tais como:

  • Transtorno de ansiedade;
  • Depressão;
  • Problemas hormonais;
  • Acúmulo de trabalho;
  • Gestação;
  • Má alimentação;
  • Mudança no ambiente ou horário de trabalho.

Muitas pessoas podem apresentar um quadro ocasional, porém o risco é ainda maior em mulheres por causa das mudanças hormonais durante o ciclo menstrual e na menopausa, também na gravidez.

Bem como, em pessoas acima dos 60 anos de idade por conta das alterações de sono e problemas de saúde.

Outros sintomas que indicam que o problema está se agravando são: queda no rendimento, distração acentuada, problemas de memória, cansaço durante o dia, irritabilidade e mau humor.

Se a pessoa dormiu mal 20 noites, pode-se considerar que ela tem Insônia crônica, segundo os especialistas.

Quais Problemas a Insônia Pode Desencadear?

Dormir é tão importante quanto comer e fazer atividade física regularmente e quando isso não é feito de maneira saudável devido à Insônia, podem surgir  problemas com a saúde física e mental, por conta da baixa qualidade de vida que é atribuída.

A Insônia pode gerar adversidades no desempenho do trabalho ou estudos, a diminuição do reflexo que pode gerar acidentes, problemas psiquiátricos como:


  • Depressão;
  • Transtorno de ansiedade;
  • Excesso de peso;
  • Obesidade;
  • Irritabilidade.

Existe também uma grande probabilidade de aumentar o risco de aquisição de doenças de longo prazo como a hipertensão, doenças cardíacas e diabetes e excesso de substâncias como o cigarro, álcool e cafeína.

Como Tratar a Insônia?

A terapia cognitivo-comportamental é como uma higiene do sono, sendo o principal tratamento por meio de técnicas de relaxamento e controle dos estímulos.

Já em casos mais graves que envolvem ansiedade e depressão, especialistas indicam o uso de antidepressivos e medicamentos.


Que Hábitos Adotar Para Amenizar a Insônia?

  1. Fique longe das luzes e desligue o celular 2h antes de dormir, e se possível fique em um ambiente com a luz de um abajur.
  2. Faça atividades relaxantes durante a noite, ouça uma música tranquila, procure meditar, relaxar, ler um livro.
  3. Não tente dormir para sentir sono, para que ele venha naturalmente, tome um banho e um chá, relaxe e procure soltar seu corpo e sua mente.
  4. Evite café durante a tarde. Apesar de ser uma delícia tomar um cafezinho, em excesso ele pode prejudicar o descanso.
  5. Evite sonecas durante o dia.
  6. Coma alimentos saudáveis à noite.
  7. Use máscaras para os olhos ou cortinas blackouts e protetores de ouvido para evitar barulhos e claridade.

Tipos de Medicamentos Para Insônia

Apenas um médico pode receitar o melhor remédio para o tratamento da Insônia, os tipos mais usados para esse caso são:

  • Cloxazolam;
  • Diazepam;
  • Dormonid;
  • Frontal;
  • Maracugina;
  • Midazolam.

Ao receber a indicação do remédio pelo médico, siga sempre à risca as orientações e evite o automedicamento, atente-se às instruções da bula.

É Possível Curar a Insônia?

O tratamento pode ajudar, mas essa doença não tem cura. Se a pessoa tiver bons hábitos, ela conseguirá dormir bem e tranquila. Porém, caso a Insônia seja crônica é ideal procurar um médico.

Vale lembrar que as pessoas possuem necessidades de sono distintas, umas ficam bem com apenas 4h por noite, já outras rendem melhor com uma variável de 10h.

Contudo, a média indicada é de aproximadamente 6h a 8h diariamente, embora as necessidades também podem variar de acordo com a idade.

Em Qual Estágio Procurar um Especialista?

Se houver frequência e nenhuma das formas de tratamento conseguem solucioná-lo, a melhor maneira de tratar a Insônia é com o acompanhamento de um médico especialista.

Neurologistas, pneumologistas, otorrinolaringologistas e psiquiatras são os profissionais que atendem esse tipo de problema.

Para diagnosticar o tipo de Insônia e cuidar disso, o profissional faz uma série de perguntas para analisar o comportamento e histórico do paciente.

Além disso, é pedido um exame físico que detecta sintomas de outros problemas que podem causar a Insônia.

Se a causa não apresentar sinais claros de distúrbios como: apneia do sono ou síndrome das pernas inquietas, o especialista pode solicitar uma polissonografia.

Um exame feito em um centro especializado em monitoramento do sono que verifica a quantidade de horas dormidas, as atividades corporais exercidas, ondas cerebrais, respiração, batimentos cardíacos, movimentos dos olhos etc.


Ao identificar o diagnóstico, o médico especialista pode indicar o tratamento adequado com medicamentos ou terapias cognitivo-comportamentais, ainda sim com o acompanhamento de um profissional.

Por mais que você se sinta bem, faça um Check-up  uma vez por ano.  Exames regulares ajudam seu médico acompanhar sua saúde e identificar alguma ameaça de doença, colocando você no caminho do tratamento.