Hepatite: O Que é, Informações, Causas, Tratamentos

Confira Todas as Informações Sobre a Hepatite. Veja as Causas, Sintomas e Opções de Tratamento Para Esta Condição que Acomete a Saúde!

A Hepatite é uma doença que pode acometer a saúde das pessoas a partir do vírus da categoria A à C. Ela surge por meio de uma saúde debilitada, em virtude de atitudes como a ingestão excessiva do álcool ou medicamentos tóxicos.


Por isso, é imprescindível consultar um especialista para que haja um acompanhamento da situação e melhor qualidade de vida.

O Que é Hepatite?

Hepatite

A doença, em questão, é a designação de quaisquer degenerações do fígado em virtude de diversos desencadeadores, tendo uma maior frequência os elementos infecciosos do vírus A, B e C.

O álcool que é consumido de forma excessiva e demais elementos tóxicos são elementos que causam a doença.

Ao passo que o vírus ataca o órgão do fígado, ao parasitar seus elementos celulares para a reprodução, a patologia da cirrose de quem é alcoólatra é provocada pelo consumo com frequência do álcool.

O que acontece, em relação ao organismo, é que o álcool tem a transformação em ácido que prejudica os elementos celulares hepáticos.

Tipos

A doença em questão pode ter a divisão conforme seus desencadeadores. São eles:

  • tipo A;
  • B;
  • C;
  • álcool;
  • remédios;
  • autoimunidade.

Causas da Hepatite

Há uma especificidade para cada tipo da doença. Confira a seguir.

Tipo A

Neste caso, o vírus da patologia A tem a transmissão através da água, bem como alimentação contaminada ou outro indivíduo pela relação sexual.

Tipo B

O vírus, neste caso, tem transmissão de forma principal através de fluidos do corpo. Pessoas que fazem uso de drogas injetáveis e indivíduos que estejam submetidos a utilização de utensílio de cirurgias com contaminação apresentam maiores chances de contração da patologia.

Além disso, lâminas e alicates que são compartilhados podem elevar estes riscos.

O vírus, em questão, pode ser passado por meio da relação sexual. Portanto, deve-se reforçar a necessidade da utilização de metodologias de barreira como camisinhas e afins.

É possível ainda que haja a transmissão de forma vertical (mãe para filho).

Tipo C

O vírus da C tem transmissão, acima de tudo, através dos fluidos do corpo. Quem utiliza drogas injetáveis e os indivíduos que são submetidos a utilização do material de cirurgias e não descartáveis podem apresentar riscos da doença.

É também transmitido pela relação sexual.

Tipo alcoólico

É possível que a causa aconteça pela utilização abusiva do álcool que desencadeia uma categoria alcoólica de teor crônico.

Ainda, pode levar o desencadeamento do processo de cirrose e demais condições da patologia.

Tipo medicamentoso

Diversos remédios, incluindo as substâncias fitoterápicas, são capazes de lesionar o fígado.

Para determinados tipos de medicamentos, os riscos são elevadíssimos, sendo que o fígado deve ter monitoramento a partir de exame laboratorial periódico para as situações de ocorrências hepáticas.


Tipo autoimune

A partir de resultado de falhas no sistema de imunidade, este inicia a produção de elementos anticorpos que terão reação em combate ao próprio órgão.

De forma mais comum no público feminino, o processo é capaz do desenvolvimento de modo crônico, apresentando período de exacerbações, até que desencadeia a cirrose, caso não tenha o devido tratamento.

Esteato-hepatite de teor não alcoólico

A gordura acumulada no órgão denominada de esteatose, ocorre em média de 20% do povo brasileiro. É capaz de ter evolução para um modo inflamatório com riscos de:

  • insuficiência do fígado;
  • cirrose;
  • carcinoma hepatocelular.

Outras substâncias etiológicas

  • vírus da patologia D e E;
  • vírus, parasitas e bactérias;
  • elementos tóxicos como toxina industrial e elementos produzidos por fungos.
  • patologias metabólicas;
  • patologia de Wilson;
  • amiloidose secundária a patologia biliares;
  • deficiência de alfa-1-antitripsina.

Sintomas da Hepatite

Os sinais têm variação de acordo com a categoria da patologia.

Sinais do tipo A

De modo normal, o vírus da patologia A tem incubação entre 10 a 50 dias, não sendo possível a causa dos sinais. Contudo, ao passo que haja a manifestação, os sintomas que mais se destacam são:

  • icterícia;
  • febre;
  • falta do apetite;
  • vômito;
  • náusea;
  • desconforto do abdômen;
  • mal-estar;
  • fezes brancas;
  • urina de coloração alaranjada escura;

Sinais do tipo B

De modo geral, a categoria B não revela sinais e só é percebível anos posteriores a infecção. Isto porque nesta fase já pode ter a evolução da cura de forma espontânea ou para um cenário de caráter crônico, de forma possível a um câncer ou cirrose.

Sinais do tipo C

De forma frequente, os sintomas do tipo C são passíveis de surgirem em fase inicial da infecção e muitos só fazem a descoberta da patologia em testes sanguíneos para tais vírus ou posteriormente a diversos anos com o aparecimento da complicação da infecção.

Ao passo que surjam, os sinais da patologia se assemelham ao tipo A.

Sinais do tipo alcoólico

Os sinais de início se assemelham ao do tipo A. Em situações de maior avanço, é possível que apresentem sintomas como:

  • fluídos acumulados da região abdominal;
  • convulsão;
  • modificação do comportamento em virtude de toxinas com liberação pelo fígado;
  • insuficiência do fígado e rins;
  • sinais de patologia autoimune.

Os sinais deste cenário podem aparecer repentinamente e fazem a inclusão de:


  • cansaço;
  • desconforto do abdômen;
  • icterícia;
  • elevação do fígado;
  • regiões avermelhadas na pele;
  • surgimento de veias pela pele;
  • dores articulares;
  • diminuição da menstruação em público feminino.

Tratamento Para Hepatite

Não há, de fato, um tratamento para a patologia de teor agudo. Caso haja necessidade, portanto, somente aos sintomas dos vômitos e náuseas.

O descanso é um método de tratamento imprescindível para tratar a situação do indivíduo. Nas condições do tipo A, não há nenhum tipo de tratamento determinado.

Já para a categoria B, é possível que haja a prescrição de remédios antivirais. Nas condições do tipo C, portanto, há o uso de remédios antivirais, para a etapa aguda e para a etapa de teor crônico.


Consulte sempre um especialista para que possa ter um diagnóstico correto da sua situação. Além disso, fazer exames periódicos é uma maneira de tornar a qualidade de vida sempre em dia.

Cuide bem de sua saúde a partir de bons hábitos alimentares e práticas físicas!

IMPORTANTE: Esse conteúdo é apenas para fins educacionais e não substitui de forma alguma a orientação de um médico. Consulte sempre um médico.