Gonorreia: O Que é, Causas, Sintomas e Tratamento

Confira Todas as Informações Sobre a Gonorreia. Veja as Causas, Sintomas e Opções de Tratamento Para Esta Condição que Acomete a Saúde!

A Gonorreia é um tipo de patologia que se transmite pela relação sexual desprotegida. Trata-se de uma condição que acomete uma média de 200 milhões de pessoas todos os anos.


Ela é capaz de prejudicar mulheres e homens, de forma igual, porém os sinais se diferenciam.

O Que é Gonorreia?

Gonorreia

A mulher que apresenta a Gonorreia, geralmente, não apresenta sintomas. O caso deve ser detectado em exames laboratoriais.

A condição, portanto, predomina entre os jovens, em razão da grande diversidade de parceiros nesta faixa etária. Porém, pode acontecer em quaisquer etapas da vida.

Ao passo que aconteça em público infantil, pode ser a indicação de abuso sexual.

É provocada pelo elemento bacteriano Neisseria gonorrhoeae – gonococo. É, também, conhecido como:

  • esquentamento;
  • blenorragia;
  • pingadeira;
  • blenorreia;
  • fogagem;
  • purgação;
  • gono;
  • gota matutina;
  • uretrite gonocócia.

Em nosso país, não se caracteriza como uma patologia de notificação compulsória. Trata-se de uma uretrite, inflamação que acomete a uretra.

Gonococo, a bactéria, pode aumentar de maneira fácil, portanto, entre as regiões úmidas e quentes do trato de reprodução, com a inclusão do colo do útero, trompas e uretra. Este elemento pode se disseminar nos olhos, boca, garganta e na região anal.

Transmissão

É transmitido, portanto, de duas formas:

  • relação sexual;
  • mãe e filho em momento do parto.

Não existem descrições de transmissão da condição por meio de banheiro público ou piscina. Contudo, o compartilhamento de objeto sexual, vibradores e afins, também pode se destacar como um meio de transmissão. Pode acontecer por meio de vestuário íntimo ou toalhas, de forma incomum.

Ela também pode ter transmissão, ainda que o indivíduo infectado seja assintomático. Não há a necessidade de ejacular para que aconteça a transmissão.

Há, ainda, uma estimativa de que posteriormente a uma simples relação sexual sem camisinha já ocorra a infecção. Se houver, portanto, a relação em mais de uma vez, é possível que você esteja mesmo contaminado.

Usar preservativo, portanto, é a melhor metodologia para a redução das possibilidades de transmissão. O prazo de incubação da doença tem variação entre duas datas a oito dias.

Diagnosticar esta condição, por isso, deve ser realizada a partir do corrimento purulento de uso de métodos microscópios diretos. Há a realização de diagnóstico diferencial de infecções por:

  • tricomoníase;
  • ureaplasma;
  • clamídea;
  • vaginose bacteriana;
  • micoplasma;
  • artrite séptica bacteriana.

É possível, portanto, que tenham uso de metodologias moleculares, mas demanda tempo e dinheiro.

Causas da Gonorréia

A condição é provocada pelos elementos bacterianos Neisseria gonorrhoeae, conhecidos também como gonococo.

Quaisquer pessoas que apresentam a atividade sexual podem, portanto, ter a contração da doença. Este tipo de infecção é capaz da transmissão pelo contato vaginal, oral ou anal.


Os elementos bacterianos têm proliferação em regiões úmidas e quentes, portanto, com a inclusão do canal que desencadeia a urina para a parte externa do corpo.

É possível encontrar, também, no trato de reprodução feminina, como o útero.

Sintomas da Gonorreia

Estes sinais no homem, podem surgir na região do pênis, com os seguintes critérios:

  • dores e ardências ao eliminar diurese;
  • secreções abundantes de pus pela região uretral;
  • dores e inchaços num dos testículos.

Sinais específicos no homem

O sinal principal é denominado como uretrite. Ela é caracterizada, portanto, pelo corrimento purulento e muita ardência ao eliminar a urina.

As intensidades de ardências têm variação de pessoa para pessoa. É possível que ocorra a infecção de epidídimo, causando edema na bolsa do escroto, considerando à esterilidade.

O homem que se relaciona com outros homens também podem ter a apresentação de infecções pelo gonococo na área anal ou pela faringe. A transmissão acontece pelo sexo anal ou oral.


As contaminações do gonococo em regiões não genitais não costumam provocar sinais, tendo pouca frequência na proctite e faringite.

Ao passo que ocorra a proctite, os sinais comuns são as dores ao eliminar fezes, secreções purulentas pela região anal, coceiras ou dores anais.

Sinais específicos na mulher

Quando acomete o trato genital feminino, os sinais correspondem a:

  • elevação do corrimento da vagina que passa a ser amarelada e cheira ruim;
  • ardência de urina e dores;
  • sangramentos fora do período de menstruação;
  • dor pélvica;
  • dor abdominal.

No público feminino, o elemento bacteriano provoca, de forma normal, o colo do útero, sem causar sinais aparentes.

Nas situações específicas, é possível, então, que atinja a tuba uterina e ovários, desencadeando infertilidade e patologia de inflamação pélvica, que desencadeia o óbito.

Sintoma Geral

É possível, portanto, acometer áreas específicas do corpo como:

Região retal

  • coceira;
  • sangramentos;
  • secreções de pus.

Região ocular

  • dores;
  • secreção com pus em ambos os olhos ou apenas um;
  • sensibilidade a luminosidade.

Região da faringe

  • dores;
  • dificuldade em deglutir;
  • presença de placa amarelada na região da garganta.

Região da articulação

  • prejudica as articulações;
  • sensação de calor;
  • cor avermelhada;
  • inchaços;
  • dores.

Tratamento Para Gonorreia

Este tipo de tratamento, portanto, é muito simples e é realizado de mesma forma para ambos os sexos. Faz-se uso de substâncias antibióticas como Azitromicina, em dosagem única.

A condição tem disseminação em razão de artrite infecciosa nos tornozelos, joelhos e cotovelos. Além disso, pode desencadear:

  • lesão de pele;
  • hepatite;
  • endocardite.

Os casais devem ter tratamento, portanto, em conjunto e, também, deve ter ocorrência de abstinência sexual para não existir e reincidência do caso.

Os formatos não complicados são tratados com ceftriaxona intramuscular em dosagem de 250mg. Trata-se de um esquema para a cura de, portanto, 99%.


O medicamento antibiótico denominado Azitromicina de 1g, com dosagem única pode ser, então, uma alternativa. Porém, a taxa de sucesso é menor e as reações adversas são comuns.

Por mais que você se sinta bem, faça um Check-up  uma vez por ano.  Exames regulares ajudam seu médico acompanhar sua saúde e identificar alguma ameaça de doença, colocando você no caminho do tratamento.

IMPORTANTE: Esse conteúdo é apenas para fins educacionais e não substitui de forma alguma a orientação de um médico. Consulte sempre um médico.