Gliclazida: Bula, Para Que Serve, Efeitos Colaterais, Como Usar

Descubra todas as informações a respeito da Gliclazida, a partir de seus efeitos e demais indicações do medicamento, antes de fazer uso do mesmo.

A Gliclazida é um medicamento específico para aqueles que sofrem da Diabetes Mellitus. É uma medicação vendida pelo nome de Diamicron e demais nomenclaturas.


Trata-se de uma substância antidiabética utilizada para tratar o diabetes mellitus do tipo 2. É utilizado ao passo que modificações da dieta, práticas físicas e perda do peso não tenham suficiência.

Gliclazida: Quais as Indicações?

Gliclazida

A substância se caracteriza por ser um hipoglicemiante oral usado para tratar o diabetes mellitus DMNID. O medicamento faz parte da categoria de sulfonilureia de secreções insulínicas, que atuam na estimulação das células beta do pâncreas para a liberação do hormônio.

As denominadas sulfonilureias promovem um aumento da secreção insulínica basal e da liberação que tem estímulo pela alimentação do hormônio insulínico.

As medicações dessa categoria apresentam diferenças em sua dosagem, tempo de efeito, taxa de absorção, tempo de eliminação e dos locais de ligações entre o receptor de elementos celulares pancreáticos beta. 

As sulfonilureias promovem um aumento do uso da glucose periférica, reduzindo a gluconeogenese hepática, com a possibilidade de realizar o aumento e a sensibilidade dos receptores insulínicos.

Estas substâncias, anteriormente citadas, têm associação com o peso elevado, ainda que menos que os elementos insulínicos.

Em virtude do mecanismo da ação, estes elementos sufonilureicos são passíveis da hipoglicemia e solicitam o consumo de alimentos que tenham consistência para a redução dos riscos.

Apresentações do Gliclazida

Utilização adulta, administrada via oral.

Componente composto por 15, 30 ou 60 drágeas constituída por 30mg da substância.

Cada drágea apresenta 30mg.

Efeitos Colaterais do Gliclazida

Dentre as reações adversas que este medicamento apresenta, podemos citar os seguintes sintomas:

  • hipersensibilidade à substância ou demais sulfamidas e sulfonilureias;
  • diabetes 1;
  • pré ou coma diabético;
  • cetoacidose diabética;
  • tratamento pela substância miconazol;
  • insuficiência dos rins;
  • insuficiência hepática grave;
  • aleitamento.

Hipoglicemia

Assim como para outros elementos sulfonilureicos, em situação de alimentação consumidas em intervalo irregular, de maneira particular em situação de omitir uma refeição, este tratamento pode causar a patologia da hipoglicemia.

Os sinais possíveis de uma hipoglicemia correspondem a:


  • fome intensa;
  • cefaleias;
  • vômito;
  • náusea;
  • sono;
  • perturbação de sono;
  • lassidão;
  • agitação;
  • redução de concentração;
  • agressividade;
  • redução da vigilância;
  • redução da reação;
  • confusão;
  • depressão;
  • perturbações da vista;
  • perturbações de fala;
  • tremor;
  • afasia;
  • paresia;
  • perturbação sensorial;
  • vertigens;
  • autocontrole perdido;
  • convulsão;
  • delírio;
  • bradicardia;
  • respiração fraca;
  • sono;
  • perda de consciência;
  • coma ou óbito.

Ainda, é possível que se observem os sintomas de contra-regulação adrenérgicos:

  • pele úmida;
  • taquicardia;
  • hipersudação;
  • ansiedade;
  • palpitação;
  • taquicardia;
  • hipertensões;
  • arritmia do coração;
  • angina de peito.

Contraindicações do Gliclazida

Este remédio é contraindicado nos casos citados abaixo:

  • hipersensibilidade a esta substância e demais sulfonamidas e sulfonilureias ou um dos componentes usados;
  • diabetes 1;
  • pré ou coma diabético;
  • ceto-acidose diabética;
  • insuficiência dos rins;
  • amamentação;
  • período de gravidez.

O remédio tem contraindicação para o público infantil.

Como Usar o Gliclazida?

A dosagem é específica, conforme a indicação do especialista, a depender dos níveis de glicose na corrente sanguínea e, de forma possível, na urina.

Um melhor controle da glicose na corrente sanguínea podem alter a dosagem do remédio, bem como as modificações de fatores externos abaixo:

  • redução de peso;
  • modificação no estilo de vida;
  • stress.

O início recomendado para tal remédio corresponde a um comprimido ao dia, 30mg.

A dosagem de costume é de 1 a 4 comprimidos, sendo até 120mg, em única dosagem a refeição do meio dia. Isso varia muito em relação a resposta ao período de tratamento.

Se começou uma terapia combinada com o remédio, em questão, e a metformina, que se trata de inibidor da alfa-glucosidase ou insulínico, o especialista pode determinar a dosagem correta de cada remédio.

Gliclazida Engorda?

Os medicamentos como o citado, além de Glimepirida e Glibenclamida, costumam elevar taxas insulínicas da corrente sanguínea, de modo a provocar a elevação do apetite, acumulando gorduras.

Observações

A concentração ou a capacidade de efeito possibilitam ter redução em situação de hiperglicemia ou hipoglicemia, ou que tenha desenvolvimento e, de forma consequente, as condições de problemas da vista.


É preciso que você saiba que pode pôr a vida de pessoas e a sua mesma em risco ao, por exemplo, dirigir ou utilizar equipamentos.

É imprescindível perguntar ao especialista se é possível a direção de automóveis em situação de:

  • crises de hipoglicemia frequentes;
  • pouca ou nenhum sinal de alerta da hipoglicemia

É preciso, também, deixar o especialista informado sobre o consumo de remédios que esteja realizando ou que tenha consumido, ainda que seja uma medicação que pode ser adquirida sem uma receita de um médico. Isto em razão de que o remédio pode ter interação com a substância, em questão.


A automedicação pode trazer riscos irremediáveis à saúde. Por isso, a consulta de um profissional da Medicina é essencial para que isso seja evitado.

Procure manter, também, o cuidado com exames anuais. Cuidar da saúde é imprescindível para uma boa qualidade de vida!

IMPORTANTE: Esse conteúdo é apenas para fins educacionais e não substitui de forma alguma a orientação de um médico. Consulte sempre um médico.