Espironolactona: Diurético Eficaz Para Diversas Doenças

Quer saber quando fazer uso da Espironolactona e qual sua finalidade? Acompanhe a leitura e entenda os seus benefícios e contraindicações, antes de usá-la!

A Espironolactona é uma medicação diurética utilizada como parte do tratamento de diversas patologias, como a pressão alta, cirrose, insuficiência cardíaca, entre outras.


São diversos diuréticos distintos existentes, porém, todos possuem as mesmas ações e a capacidade de acelerar o processo que elimina a água e o sal através da urina.

A medicação Espironolactona atua, também, impedindo que o hormônio Aldosterona aumente, pois quando isto acontece, ocorre o agravamento da cirrose e insuficiência cardíaca.

É um medicamento genérico, portanto possui a mesma nomenclatura do sal. Entretanto, pode ser encontrado pelo nome de referência Aldactone e pelos nomes comerciais similares, como o Diacqua e o Aldosterin.

Indicações da Espironolactona

Espironolactona

A indicação da Espironolactona é para tratar as seguintes condições:

  • pressão alta;
  • distúrbio edematoso – edemas, ascite de condição insuficiente do coração congestivo;
  • cirrose hepática;
  • síndrome nefrótica;
  • terapia que auxilia a pressão alta de teor maligno;
  • edema idiopático;
  • profilaxia de hipopotassemia;
  • profilaxia de hipomagnesemia;
  • hiperaldosteronismo primário;
  • pré-cirúrgico de indivíduos que disponibilizem o hiperaldosteronismo primário.

Ainda, o medicamento é recomendado para a prevenção de redução dos graus do magnésio e do potássio na corrente sanguínea em tratamentos com substâncias diuréticas.

Suas Apresentações

Utilização oral, adulta e pediátrica.

  • pílulas de 25mg; embalagens de 15, 30, e 450 pílulas;
  • pílulas de 50mg; embalagens de 15, 30, 450 e 500 pílulas;
  • pílulas de 100mg; embalagens de 15, 16, 30, 450 pílulas.

Efeitos

As ações colaterais que possibilitam acontecer com a utilização do Espironolactona são:


  • ginecomastia;
  • náuseas;
  • tontura;
  • sono;
  • ação hepática dotada de anormalidade;
  • insuficiência dos rins de forma aguda;
  • leucopenia;
  • trombocitopenia;
  • fadiga;
  • dores de cabeça;
  • alopecia;
  • erupções da pele;
  • neoplasmas e dores nos seios;
  • mal estar;
  • modificações na libido;
  • confusão mental;
  • urticária;
  • febre;
  • impotência;
  • cãibras.

Ainda, é possível que ocorra o carcinoma das mamas, como percebido em estudos aqueles que consomem o medicamento.

Contraindicações

A utilização deste remédio tem contraindicação em situação de hipersensibilidade de conhecimento à espironolactona ou os outros compostos da fórmula.

A Espironolactona não pode ter a utilização em mulheres que estejam em período gestacional ou amamentando.

Posologia

A dosagem indicada da espironolactona varia em relação a condição a ser tratada:

Hipertensão Essencial

  • Dosagem: 50 a 100mg ao dia, que nas situações de resistência ou de gravidade podem ter o aumento gradual em pausas de 2 semanas em até 200 mg ao dia.

Insuficiência Congestiva do Coração

  • Dosagem : 100mg ao dia. Em situações de resistência ou gravidade, a dose pode ter o aumento gradual em até 200mg ao dia. Ao passo que o edema esteja sob controle, a dosagem habitual de manutenção precisa ser especificada para cada indivíduo.

Tratamento e Diagnóstico de Aldosteronismo Primário

A Espironolactona é passível de ter emprego como medida de diagnóstico de início para o estabelecimento evidente de aldosteronismo primário, ao passo que o indivíduo apresente uma alimentação adequada.

Análise a Longo Prazo

O medicamento é administrado em dose por dia de 400mg por três ou quatro semanas.

Análise a Curto Prazo

A Espironolactona tem administração em uma dose por dia de 400mg dentro de quatro dias. Se a substância potássica sérica tem elevação ao longo do medicamento administrado, mas reduz quando ocorre a descontinuação, tal diagnóstico do hiperaldosteronismo primário precisa ser levado em consideração.

Ao passo que o diagnóstico do hiperaldosteronismo tenha um bom estabelecimento por exames com maior definição, o medicamento pode ter administração em dosagens por dia de 100 a 400mg, a partir de preparação para intervenção cirúrgica.

Para indivíduos destacados como não aptos para o procedimento cirúrgico, o medicamento pode ser empregado como um tipo de terapia de manutenção a longo prazo, com a utilização de menor dosagem efetiva de forma individual para cada pessoa.

Pressão Alta Maligna

A Espironolactona é utilizada apenas como um tipo de terapia que auxilia tratamentos e em casos de secreções excessivas de alcalose de metabolismo, hpopotassemia ou aldosterona.

A dosagem de início corresponde a 100mg ao dia, de forma a se elevar quando há necessidade de pausas de 2 semanas para até 400mg ao dia. A terapia de início pode fazer a inclusão de combinações de outros remédios.

Hipopotassemia/ Hipomagnesemia

A dose de 25mg a 100mg ao dia tem utilidade para tratar a hipopotassemia e/ou hipomagnesemia com indução pelas substâncias diuréticas, ao passo que a suplementação oral do potássio ou do magnésio sejam consideradas inadequadas.



Espironolactona é Bom Para Pele?

Diversos especialistas fazem a prescrição do remédio em questão para o tratamento da acne, em virtude de que o medicamento reduz a ação androgênica entre os folículos dos peles e as glândulas sebáceas, provocando a produção menor deste sebo, bem como a redução do surgimento de cravos e espinhas. Portanto, é um elemento bom para a pele.

É importante sempre consultar o seu médico de plantão antes de fazer a ingestão de quaisquer medicamentos. Certifique-se de não fazer uso de automedicação sem orientação médica.

IMPORTANTE: Esse conteúdo é apenas para fins educacionais e não substitui de forma alguma a orientação de um médico. Consulte sempre um médico.