Coqueluche: O Que é, Causas, Sintomas e Tratamento

Confira Todas as Informações Sobre a Coqueluche. Veja as Causas, Sintomas e Opções de Tratamento Para Esta Condição que Acomete a Saúde!

A Coqueluche é um tipo de patologia da respiração que apresenta um contágio grande. Tem transmissão pelo elemento bacteriano denominado Bordetella pertussis.


Esta condição é caracterizada, portanto, pela tosse seca e severa.

Ao oposto do que acontece em resfriados, por exemplo, que costumam ter duração de, no máximo, dez dias, esta condição tem duração de, no mínimo, 3 semanas.

O indivíduo com a infecção não tem produção de secreção como catarros.

O Que é Coqueluche?

Coqueluche

Os seres humanos são os únicos reservatórios naturais deste elemento que causa a Coqueluche. Ainda que não tenha a constatação da existência de caráter crônico da patologia, é possível, portanto, que ocorram situações sem sinais ou com sinais irrelevantes para que a infecção se dissemine.

Este tipo de transmissão acontece, de forma principal, a partir do contato direto com o paciente à um indivíduo próximo, através de gotículas de secreção que tem eliminação com a tosse, espirros ou, inclusive, ao falar.

Em determinadas situações, as transmissões podem acontecer a partir de objetivos com contaminação recente, a partir de secreção de indivíduos enfermos.

Isto não tem muita frequência, em razão da dificuldade do elemento que provoca a patologia, ter sobrevivência, portanto, em outro lugar que não seja o organismo humano, porém não se trata de algo que não possa acontecer.

O tempo da incubação do elemento, é de, aproximadamente, cinco a dez dias e pode ter variação de quatro a vinte e um dias.

De forma rara, pode chegar até quarenta e dois dias. Grande parte da transmissibilidade desta patologia pode acontecer em fase de catarro.

O melhor modo de prevenção da condição clínica é se vacinar. Aqui, em nosso país, esta vacina de prevenção se denomina como “tríplice bacteriana”.

Ela é capaz de proteger o organismo em relação a tétano e, também, difteria.

Causas da Coqueluche

A patologia é provocada pela infecção de um elemento bacteriano denominado Bordetella pertussis, que prejudica a faringe. Os elementos bacterianos provocam incômodos na região da garganta, que originam a tosse.

Ao passo que o indivíduo infectado com a condição ri ou espirra, algumas gotículas salivares ou, até mesmo, o muco composto por elemento bacteriano têm lançamento no ar.

A condição é capaz de gerar infecções a outros indivíduos que acabam respirando o ar que apresenta estas partículas.

Os sinais podem surgir entre 7 dias ou duas semanas posteriormente ao indivíduo ter infecção com o elemento bacteriano.

Sintomas da Coqueluche

Os sinais da condição podem ter manifestação em 3 graus. Em primeiro grau, mais leve, os sinais se assemelham com os de resfriados.


Etapa catarral 

  • coriza;
  • mal estar;
  • febre baixa;
  • tosse seca.

Etapa aguda

  • a tosse acaba piorando e demais sinais surgem;
  • a tosse seca leve passa a ser severa e se descontrola;
  • a tosse pode ter tanta intensidade que pode acabar comprometendo a respiração;
  • assim que puxa o ar, o paciente pode sentir um grito de teor agudo;
  • a crise das tosses podem causar cansaço extrema ou, ainda vômito.

Em 3ª etapa, é possível ainda apresentar determinados sinais, porém se sentir recuperado e melhor.


Convalescença

  • a tosse se caracteriza com mais ruídos;
  • as crises podem ocorrer em cenários isolados ao longo de semanas;
  • se pegar uma gripe ou resfriado, os sinais ganham maior intensidade e a tosse acontece com maior frequência.

De modo geral, os sintomas têm duração entre 6 a 10 semanas, e podem ter duração por maior tempo, de acordo com o cenário clínico e a situação de cada quadro.

Tosse seca é indicativo forte da condição, porém para a confirmação do diagnóstico do especialista pode fazer a requisição de testes como:

  • Coleta de materiais à cultura;
  • PCR;
  • exame complementar como raio-x e hemograma.

Tratamento Para Coqueluche

O público infantil, de modo geral, é internado ao longo do tratamento, visto que, nesta faixa etária, a condição é extremamente perigosa.

Caso o seu filho não consiga beber ou comer, é possível que haja a necessidade de administrar fluidos intravenosos.

A criança pode, também, portanto, manter-se em quarentena para a prevenção de infecções. Em relação ao tratamento para o público infantil mais velho e adulto, é possível que seja realizado em casa mesmo.

Substâncias antibióticas são capazes de matar os elementos bacterianos que provocam a Coqueluche e auxiliam a se recuperar de forma célere.

Não existe, contudo, muito a ser feito para a prevenção ou alívio das tosses. Os remédios apresentam efeitos quase nulo sobre a condição, e portanto, não é indicado que se faça uso deles.

Remédios para Coqueluche

As medicações mais utilizadas para tratar, portanto, a condição correspondem a:

Os macrolídeos são substâncias de seleção para indivíduos com a infecção e contato. Azitromicina, eritromicina ou a claritromicina correspondem a elementos que se denominam de 1ª linha para tratar a condição, em questão.

O tratamento com estas substâncias antimicrobianas, portanto, só tem eficácia em caso de administração na etapa catarral. A seleção do elemento antimicrobiano deve ser realizada posteriormente a avaliação de proposição seguinte:

  • efeitos colaterais e interação por medicamentos;
  • tolerância;
  • fácil adesão à prescrição;
  • valores.

O remédio eritromicina, então, pode ter uso em dosagens de 40 a 50 mg por quilo e dia, com divisão em quatro doses equivalentes, em prazo de sete a quatorze dias.

Em situação da intolerância à eritromicina, é possível, por isso, fazer uso do Trimetoprim com Sulfametoxazol, entre 12h em 12h, ao prazo de dez datas.

A azitromicina pode, também, ter uso na dosagem de 10 mg, em dosagem única por dia, ao prazo de cinco datas, tendo a substância de escolha para o público infantil menor que um mês. 


Consultar, portanto, um médico é essencial! Só ele pode prescrever o melhor tratamento para o adulto ou para o público infantil.

Por mais que você se sinta bem, faça um Check-up  uma vez por ano.  Exames regulares ajudam seu médico acompanhar sua saúde e identificar alguma ameaça de doença, colocando você no caminho do tratamento.

IMPORTANTE: Esse conteúdo é apenas para fins educacionais e não substitui de forma alguma a orientação de um médico. Consulte sempre um médico.