Clorpromazina: Para Que Serve, Indicações, Contraindicações

Clorpromazina – também chamada de Cloridrato de Clorprimazina – se trata de uma medicação psicotrópica, para tratar casos onde exista psicose. Tem apresentação em comprimidos revestidos, em gotas e injetável.

Apresentação e Composição Clorpromazina

  • Comprimidos: cada comprimido revestido de da medicação contém 25 mg ou 112 mg de Cloridrato de Clorpromazina. E os excipientes: lactose monoidratada, amido, croscarmelose sódica, povidona, celulose microcristalina, estearato de magnésio, hipromelose, dióxido de silício macrogol, corante amarelo crepúsculo e dióxido de titânio.
  • Gotas: Já as versões em gotas do medicamento contêm 20 mg ou 40 mg de Cloridrato de clorpromazina, a cada 10 gotas. Além dos veículos inativos edetato dissódico, benzoato de sódio, aroma caramelo, propilenoglicol, mistura de corante artificial marrom chocolate, ácido cítrico e água purificada.
  • Injetável: cada ml da medicação contém cerca de 6 mg de Cloridrato de clorpromazina. A ampola vem com 1 ml do medicamento e os excipientes: cloreto de sódio, ácido ascórbico, metabissulfito de sódio citrato de sódio  e sulfato de sódio anidro.

O uso é indicado para adultos e crianças acima de 2 anos de idade.


No mercado, encontramos embalagem contendo 20 comprimidos revestidos ou versão líquida com 20 ml e caixa com 1 ou 5 ampolas injetável.

Clorpromazina

Para Que Está Indicado?

A Clorpromazina é um medicamento psiquiátrico que trata distúrbios onde há presença de psicose (delírios, alucinações, paranoias).

Ainda é indicado para casos onde o paciente demonstre muita ansiedade, acompanhada por psicose e agitação.

Além disso, pode-se empregar a medicação em casos obstétricos, onde a gestante corre risco de apresentar neurotoxicoses.

Como Usar

O uso do medicamento deve ser feito de acordo com a indicação do médico, de preferência, psiquiatra.

No entanto, no geral, em casos de psicose está recomendada a dose diária que varia de 25 mg a 1600 mg por dia de acordo com a gravidade dos sintomas.

Já para crianças com mais de 2 anos de idade até 17 anos de idade indica-se uma dose diária que não deve exceder a quantidade de 75 mg da Clorpromazina.

Já a versão injetável é de uso exclusivo para ambientes hospitalares e/ou ambulatoriais. A aplicação deve ser feita por um profissional qualificado.

Os comprimidos devem ser deglutidos inteiros, com o auxílio de líquidos e próximo a refeições, para evitar efeitos gástricos desconfortáveis. As gotas podem ser diluídas em líquido.

Como Age?

Este medicamento tem a propriedade de reduzir e sanar possíveis casos de psicose, além de acalmar o paciente psicologicamente e fisicamente.

Efeitos Colaterais

Alguns pacientes podem apresentar alguns efeitos colaterais com o uso da Clorpromazina. Os mais comuns observados foram:

Efeitos colaterais muito comuns (> 1/10): sedação, sonolência, ganho de peso, hipotensão, dores musculares.

Efeitos colaterais comuns (> 1/100 e ≤ 1/10): convulsões, alterações no ritmo cardíaco, alterações no ciclo menstrual.

Efeitos colaterais sem frequência exata: problemas cardiovasculares, sendo alguns fatais (muito raro).

Ginecomastia, galactorreia, dificuldade de urinar, problemas no trato gastrointestinalcomo colites e gastrites, inchaços, coceiras, alterações visuais, distúrbios no fígado, lúpus, problemas no sistema linfático.


Também: problema de alterações das plaquetas no sangue, problemas vasculares como trombose, alterações de libido, dificuldades de engravidar, torcicolos, tremores, insônia, entre outros.

Qualquer efeito colateral deve ser comunicado rapidamente ao médico que prescreveu a medicação.

Contraindicações

Clorpromazina costuma ser bem tolerada, no entanto, em determinadas situações ela pode estar contraindicada. São elas:

  • Pessoas com glaucoma;
  • Pacientes com problemas nos rins;
  • Usar a medicação com a levodopa;
  • Mulheres grávidas;
  • Mulheres em fase de amamentação, pois os componentes da fórmula podem ser excretados no leite materno e causar eventuais danos ao bebê ou à criança;
  • Pacientes com menos de 2 anos de idade.

Interações Medicamentosas

Como toda medicação psiquiátrica, Clorpromazina pode interagir com diversos outros fármacos. O médico deve ter cautela ao receitar esse medicamento de maneira concomitante com:

  • Levodopa;
  • Alguns tipos de antidepressivos;
  • Fenotiazina;
  • Barbitúricos;
  • Lítio;
  • Siltoprida;
  • Medicações antidiabéticas;
  • Substâncias inibidoras de CYP1A2, como: enoxacina, ciprofloxacina, clinafloxacina, fluvoxamina, oltipraz, idrocilamida, rofecoxibe, ácido pipemídico, zafirlucaste e etintidina;
  • Mexiletina;
  • Metoxalen;
  • Fenilpropanolamina;
  • Vemurafenibe;
  • Tiabendazol;
  • Zileutona; entre outras.

Informe ao seu médico qualquer medicação que esteja usando, ainda que natural ou fototerápica. Também não se recomenda ingerir bebidas alcoólicas durante o tratamento com Clorpromazina.

No caso de pacientes idosos, a medicação deve ser administrada com cautela e supervisão médica. Os efeitos das interações podem ser de leves a moderados e graves alguns chegando a levar o paciente ao óbito.

Portanto, apenas um médico pode indicar o uso da medicação junto com outros fármacos ou substâncias.

Atenção também ao dirigir veículos ou operar máquinas. O uso da medicação pode reduzir as habilidades de concentração e de atenção do paciente.

Esquecimento da Dose

Caso o paciente se esqueça de tomar o medicamento, ele deve ingeri-lo imediatamente. Porém, se a prescrição médica prevê mais de 1 tomada ao dia e o paciente se lembrar já próximo do horário da dosagem posterior, deve desprezar a dose esquecida.

Ou seja, não é aconselhável tomar doses dobradas para compensar a esquecida ou ingerir doses em horários próximos (com menos de 4 horas de intervalo).

Tente não esquecer dos horários que o médico prescreveu para tomar o medicamento, pois podem acontecer efeitos desagradáveis, como: náuseas, nervosismo, problemas de visão, alteração no equilíbrio.


Superdosagem

A superdosagem com Clorpromazina pode ser perigosa ao paciente, causando até o óbito. Leve o paciente em superdosagem ao serviço mais próximo de atendimento médico de urgência ou emergência.

Se possível, leve junto a bula ou a embalagem da medicação e informe a equipe de saúde o quanto do remédio foi ingerido pelo paciente.

Medidas de suporte podem ser necessárias para a segurança do paciente, como lavagem estomacal ou infusão de soro, para reduzir os efeitos da medicação no organismo do paciente. pode ser necessária internação.

Caso o paciente não possa ser deslocado, mantenha-o em uma posição confortável e entre imediatamente em contato pelo número de telefone 192 (SAMU).

A ligação é gratuita, podendo ser feita de qualquer aparelho telefônico, inclusive celulares. O atendimento é 24 horas.

Uma equipe especializada será descolada até onde se encontra o paciente em superdosagem com a medicação.


Como Adquirir

Por se tratar de um medicamento psicotrópico, a Clorpromazina é controlada. Assim, só é possível adquirir a medicação com a apresentação e a retenção da receita pelo estabelecimento.

Mesmo conseguindo adquirir o medicamento por outras vias, jamais faça uso dele sem indicação médica. A medicação pode causar danos irreversíveis a sua saúde. Cuidado!

IMPORTANTE: Esse conteúdo é apenas para fins educacionais e não substitui de forma alguma a orientação de um médico. Consulte sempre um médico.