Budesonida: Bula, Indicação, Efeitos Colaterais, Como Usar

Saiba Tudo Sobre o Budesonida, Um Medicamento Que Deve Ter a Prescrição de Um Médico. Confira Também Todas As Indicações, Efeitos Colaterais e as Formas de Uso Desta Medicação!

O Budesonida é um remédio específico para tratar as tão incômodas rinites que acometem o bem estar e a saúde.


A rinite pode apresentar diversas categorias que se desencadeiam a partir do clima e condições particulares do organismo humano.

Confira o modo de uso da medicação e entenda como ela funciona.

Budesonida: Quais as Indicações?

Budesonida

A Budesonida tem indicação para indivíduos que apresentem rinites não-alérgicas, perenes e sazonais, como tratamentos de pólipos nasais e prevenções de pólipos posteriormente a polipectomia.

Apresentações do Budesonida

  • Suspensão com 32, 50 ou 64mcg por dosagem;
  • frascos spray compostos por 3ml, 6ml, ou demais constituindo válcula dosificadora.

Efeitos Colaterais do Budesonida

Dentre os principais efeitos adversos, podemos mencionar os seguintes sintomas:

  • irritação nasal;
  • secreções hemorrágicas;
  • epistaxe;
  • exantemas;
  • urticária;
  • prurido;
  • angioedema;
  • dermatite;
  • ulceração de mucosas;
  • perfurações de septo nasal;
  • reações anafiláticas.

Contraindicações do Budesonida

  • história de hipersensibilidade à substância de budesonida ou quaisquer compostos da medicação;
  • categoria de riscos de gravidez – B.

O remédio não deve ter uso pelo público feminino em período gestacional, sem a recomendação clínica.

Interação de Medicamentos

Não teve observação a interação do medicamento com quaisquer fármacos utilizados para tratar a rinite.

O metabolismo tem mediação de forma principal pelo elemento CYP3A, a subfamília dos citocromos P450.

Por isso, inibidores de tal elemento como o Cetoconazol, são capazes de promover o aumento da exposição sistêmica ao elemento ativo.

Contudo, a utilização concomita do medicamento pelo prazo mais curto apresenta relevância clínica com limite.

A Cimetidina nas dosagens indicadas apresentam ação discreta, porém com insignificância clínica em relação a substância do medicamento.

Como Usar o Budesonida?

As dosagens devem ter individualização e titulação para reduzir a dosagem necessária, a fim de manejo para manter os sinais controlados.

Ler de forma cuidadosa as recomendações de utilização do medicamento é imprescindível. Siga de forma correta as orientações:

  • antes do uso, assoar o nariz de forma suave;
  • agitar o frasco e, então, remover a tampa de proteção da aplicação;
  • segurar o frasco com o dedo mediano junto do indicador em cima do aplicador;

Antes de fazer uso do medicamento em primeiro momento, ou posteriormente a 24h, a válvula precisa ter o carregamento.

Para tanto, pressionar 10x o aplicar com o indicador e o dedo médio para que haja a mistura e a liberação do ar.


Passo-a-passo

  • Pressionar uma narina a parti do indicador e introduzir o aplicador na outra. Pressionar o quantitativo de vezes como na indicação do médico, de acordo com a embalagem do produto.
  • Retirar o aplicador de uma das narinas e respirar pela boca.
  • Fazer o processo de novo na nrina seguinte.
  • Limpar o aplicador a partir de lenços de papel e recolocar a tampa de proteção para fechar o frasco.
  • Manter o elemento de pé. Não congelá-lo.
  • Não utilizar objetos que perfurem para tentar promover o aumento do esguicho do aplicador. Esta abertura tem um padrão de modo a gerar a garantia da dose adequada.
  • Não empreste o spray para outro indivíduo.
  • Antes de utilizar pela primeira vez, pressionar 10x para que o spray seja ativado.

Rinites

Para a faixa etária adulta, idosa e público pediátrico com mais de seis anos, a recomendação tem início com dosagem de 256mcg por dia.

A dosagem pode ter administração uma vez por dia em período matutino, ou com divisão em duas administrações, manhã e noite.

Não existem dados com a indicação de uma dosagem por dia maior que 256mcg, com aumento de eficácia.

Nos indivíduos com a rinite alérgica perene e sazonal, o princípio ativo apresentou melhora nos sinais nasais e até 10h posteriores a primeira dosagem.

Isto se baseia em duas pesquisas de grupos paralelos, duplo-cebo, randomizado, placebo-controlado, tendo a realização com indivíduos que apresentam a rinite alérgica sazonal.

Posteriormente a ação clínica desejada, de modo geral, obtém-se dentro de uma a duas semanas, a redução das dosagens necessárias para manter os sinais controlados.

Pesquisas clínicas fazem a sugestão da dosagem de manutenção de 32mcg nas carinas pelo período matutino pode acontecer de forma suficiente em determinados indivíduos.

Observação: tratar a rinite sazonal deve ter início em período anterior à exposição a substâncias alérgenas. É possível que o tratamento necessário seja concomitante para o contro pode ser necessário tratamento concomitante para controlar os sinais oculares provocados pelas alergias.

Pólipos Nasais

A dosagem indicada corresponde a 256 mcg por dia – duas aplicações de 64mcg em respectivas narinas ou quatro aplicações de 32mcg em respectivas narinas.

A dosagem pode ter administração uma vez por dia em período matutino, ou com divisão em duas administrações, em período matutino ou noturno.

Ao passo que a ação clínica tenha o resultado desejado, a dosagem de manejo precisa ter redução ao menor quantitativo necessário para controlar os sinais.

Precauções do Budesonida

A utilização das dosagens em excesso ou tratamentos em prazo prolongado acompanhado de glicorticosteroides, pode desencadear o surgimento de sinais ou sintomas da condição de hipercorticismo, bem como:


  • supressão da função hipotálamo-hipófise-adrenal;
  • inibição do crescimento em crianças.

As reações em prazo prolongado das substâncias glicocorticosteroides nasais em público infantil não se destacam conhecidos de forma total.

O especialista precisa do acompanhamento próximo do crescimento destas crianças que recebem o medicamento a longo prazo, pelas vias diversas e fazer a avaliação das vantagens deste tratamento e possível quadro de crescimento inibido.

A funcionalidade do fígado com redução pode prejudicar que haja a eliminação das substâncias.

O medicamento intravenoso, contudo, tem similaridade em indivíduos com cirrose e naqueles que são saudáveis.


O medicamento teve alteração. Isto porque comprometia a funcionalidade do órgão em questão, com evidências por aumentar a disponibilidade do sistema.

Contudo, tal fato é imprescindível de forma clínica porque, posteriormente a inalação pelo nariz, esta contribuição oral para muito pequena, relativamente.