AVC: Causas, Informações, Sintomas e Tratamentos

Saiba Como o AVC é Causado e Descubra Os Principais Sintomas Desta Condição Patológica. Confira Também As Formas Disponíveis de Tratamento.

O AVC é a sigla da seguinte condição: acidente vascular cerebral. Esta sigla significa que ocorreu a interrupção dos fluxos sanguíneos em relação a determinada área cerebral. Acompanhe as possíveis razões para que isso aconteça.


O Que é AVC?

AVC

O acidente vascular cerebral ou, também, derrame cerebral, trata-se de um fluxo de sangue que foi interrompido para uma área específica do órgão cerebral. As razões para que isso aconteça são diversas como:

  • Acúmulo de placas com gorduras;
  • Formação de coágulos – originando um AVC isquêmico;
  • Sangramento pela pressão alta;
  • Rupturas de aneurismas – originando um AVC hemorrágico.

Ao passo que tal cenário ocorra, é possível que as sequelas variem em relação a gravidade deste lesionamento do cérebro e tratamento específico.

É comum que um lado do corpo fique fraco ou que ocorra a dificuldade em falar. Portanto, é imprescindível o foco em terapias para a reabilitação do paciente, a fim de reduzir quaisquer tipos de dificuldades permanentes.

Causas do AVC

Há vários motivos para que o derrame isquêmico e o derrame hemorrágico aconteçam, havendo a possibilidade sempre de fazer a adoção de posturas e tratamentos específicos.

Se realizados de modo correto, é possível que se evite tal cenário. As razões principais para que isso aconteça são as seguintes:

AVC Isquêmico

A categoria isquêmico é provocado por obstruir vasos que deslocam o sangue até a região cerebral, que em grande parte dos casos, ocorre em indivíduos maiores de 50 anos.

Contudo, há a possibilidade também de que acometam pessoas jovens. Isto pode ocorrer em virtude de:

Fumo e Má Alimentação

Costumes e hábitos como fumar e não se alimentar direito são fatores de risco. A ingestão de alimentos muito gordurosos, sal, frituras, açúcares e carboidratos, conseguem aumentar os riscos do desenvolvimento de placas gordurosas.

Isto é chamado de aterosclerose. Estas placas se localizam em vasos do sangue da região cerebral e em vasos que são relevantes para que haja esta circulação sanguínea.

Ao passo que isso aconteça, o sangue não está apto a realizar a passagem e, os elementos celulares da área prejudicada vão a óbito pela ausência do oxigênio.

Colesterol, Pressão alta, Diabetes

Patologias como as mencionados, bem como triglicerídeos alto e obesidade desencadeiam riscos para a composição de placas gordurosas acumuladas.

Além disso, é capaz de desenvolver inflamações dos vasos de sangue, bem como patologias do coração, tendo propensão aos riscos da condição, em questão.

Defeitos Cardíacos ou nos Vasos de Sangue

Modificações cardíacas, como as seguintes condições:

  • arritmias;
  • dilatações ou alteração na função muscular do coração e valvas;
  • presença de tumores ou calcificações;

Tudo isso é capaz de contribuir para a composição de coágulos que podem alcançar a região cerebral a partir da circulação sanguínea.


Utilização de Substâncias Ilícitas

A utilização de substâncias ilícitas, de forma principal as injetáveis, como a droga denominada heroína, que facilita o lesionamento e espasmos em vasos de sangue, podendo apresentar contribuição para que se formem os coágulos e, de forma consequente, o AVC.

Demais Causas

Outros cenários de menor incidência para que ocorra o derrame cerebral e que devem ter suspeita – de forma principal em público jovem correspondem a patologias que provocam coagulações sanguíneas maiores, como:


  • lúpus;
  • anemia falciforme;
  • trombofilia;
  • patologias de inflamação dos vasos de sangue;
  • vasculite;
  • espasmos do cérebro.

Tudo isso pode impedir o fluxo sanguíneo. Para tratar um cenário de AVC, independentemente da razão, precisa ter início célere, já em emergências, com a utilização de remédios para o auxílio de retorno de fluxos sanguíneos como:

Sintomas do AVC

Os sinais de um AVC ou acidente vascular cerebral, podem aparecer repentinamente, e a depender da região cerebral que tem prejuízos, há uma manifestação de modo diferente.

Contudo, há determinados sinais que possibilitam auxiliar a identificação do problema de forma rápida como:

  • dores intensas na cabeça, que aparecem repentinamente;
  • redução da força de uma das laterais do organismo, visivelmente nos braços e pernas;
  • sensibilidade que se perde de uma região do corpo, sem a identificação do calor ou frio;
  • dificuldades em ficar sentado ou em pé, porque o corpo tende a cair para um lado;
  • modificação da vista, como a perda de parte da vista ou a vista embaçada;
  • face assimétrica com boca e sobrancelhas tortas, caídas;
  • transtornos para levantar braços ou agarrar objetos, porque o braço fica fraco;
  • fala atrapalhada, com lentidão;
  • movimentação incomum e descontrolada, como tremor;
  • sono ou perda de consciência;
  • perda da memória e confusões mentais;
  • vômito;
  • náusea.

Tratamento Para AVC

O derrame cerebral não apresenta cura. Contudo, é possível que haja a prevenção em grandes partes das situações ou, ao passo que aconteça, há a possibilidade de fazer o investimento em tratamento para melhorar o cenário e reabilitação para que deixe menores sequelas.


Ainda, há a possibilidade de que o organismo tenha recuperação de grande parte ou o total, dos sinais e transtornos que aparecem com a condição do AVC, que também varia a partir de um parecer da neurologia, e de procedimentos de reabilitações:

  • fisioterapia, que auxilia na recuperação de parte motora e desenvolvimento de movimentos;
  • terapia ocupacional, que promove o estímulo em preparar estratégias que reduzam efeitos da condição, em questão;
  • exercício físico, realizado, preferencialmente sob a recomendação de um profissional de educação física, para o fortalecimento muscular e auxílio para se tornar independente;
  • alimentação, que auxilia na preparação de nutrientes e alimentos no quantitativo adequado para cada tipo e situação de cada indivíduo;
  • fonoaudiologia, que é imprescindível em situações de transtornos para deglutir a alimentação ou para a comunicação, auxiliando na adaptação de determinados casos.

Deste modo, ainda que tais sequelas da condição do AVC não se reduzam ou que se obtenha a recuperação de forma rápida, há a possibilidade de aprimorar o teor qualitativo da vida do indivíduo que está convivendo com a situação, em questão.

IMPORTANTE: Esse conteúdo é apenas para fins educacionais e não substitui de forma alguma a orientação de um médico. Consulte sempre um médico.