Akineton – Bula, O Que é, Indicações e Contraindicações

Akineton é um dos medicamentos mais prescritos para pessoas com idade avançada, embora também seja utilizado por adultos jovens e crianças acima de 3 anos. Para saber todos os detalhes sobre esse remédio vendido no formato de comprimidos, confira nosso artigo.

Para Que Serve o Akineton?

O Akineton é empregado no tratamento da síndrome parkinsoniana, que consiste em um conjunto de sintomas e sinais neurológicos provocados pela Doença de Parkinson. Esse medicamento é usado principalmente para controlar efeitos como:


  • Rigidez nos movimentos físicos;
  • Tremor;
  • Espasmos musculares prolongados;
  • Inquietação.

A administração do Akineton também é indicada como tratamento dos quadros de síndrome parkinsoniana provocados por determinados tipos de medicamentos que dificultam movimentos espontâneos.

Akineton

Ação Esperada Desse Medicamento

O princípio ativo do Akineton é uma substância chamada de cloridrato de biperideno, que age especialmente no sistema nervosos central, diminuindo os efeitos da acetilcolina.

A acetilcolina por sua vez, consiste numa molécula neurotransmissora responsável por dar passagem ao impulso nervoso dos neurônios com destino às células dos músculos.

Esse fator é determinante para bloquear a transmissão dos impulsos nervosos e melhorar o estado geral do paciente que sofre com a síndrome parkinsoniana.

Composição da Fórmula

A fórmula do Akineton é composta dos seguintes itens:

  • Cloridrato de biperideno (princípio ativo);
  • Excipientes: povidona, talco, amido, estearato de magnésio, celulose microcristalina e lactose.

Contraindicações do Akineton

Por mais que o Akineton seja um medicamento amplamente comercializado e indicado na redução dos sintomas provocados pela Doença de Parkinson, ele não deve ser utilizado nos casos abaixo.

  • Pessoas que sofrem com um ou mais dos subtipos de glaucoma (glaucoma de ângulo estreito);
  • Pacientes que apresentam hipersensibilidade (reações alérgicas) ao cloridrato de biperideno (princípio ativo do Akineton) ou aos demais itens da fórmula (excipientes);
  • Pessoas que apresentam obstrução ou estreitamento mecânica do aparelho digestivo;
  • Indivíduos que sofrem com um subtipo de alteração no intestino grosso, geralmente chamado de megacólon;
  • Crianças menores de 3 anos.

Obs.: nos casos de gestantes e mulheres que estão amamentando, esse medicamento só pode ser utilizado quanto estritamente necessário e sempre mediante autorização e acompanhamento médico, já que não há confirmação quanto a possíveis danos que o Akineton pode provocar ao feto e ao recém-nascido.

Cuidados Gerais

Depois de observar as contraindicações do Akineton, também é necessário atentar-se para os cuidados gerais que devem ser adotandos antes e durante o uso desse medicamento. Esses cuidados são:


  • A utilização desse medicamento deve ser feita com ainda mais cuidado nos casos de homens que apresentam alterações na próstata;
  • É necessária atenção especial antes de iniciar o consumo de Akineton nas situações de pacientes diagnosticados com arritmia cardíaca ou epilepsia;
  • É recomendado que durante o tratamento com Akineton o paciente não opere máquinas e não dirija veículos (a não ser que tais atividades sejam autorizadas pelo médico), já que a capacidade de atenção fica prejudicada;
  • Pacientes idosos devem ter um acompanhamento médico ainda mais detalhado e frequente durante o tratamento com esse medicamento, já que eles são mais suscetíveis aos medicamentos de ação anticolinérgica;
  • Crianças (acima de 3 anos) também devem ter acompanhamento especial quanto ao uso desse medicamento;
  • O uso de Akineton com outros tipos de remédios de ação anticolinérgica pode aumentar os efeitos colaterais relacionados ao sistema nervoso central e periférico. Logo, é necessário que o médico avalie possíveis interações medicamentosas prejudiciais ao paciente. Obs.: foram observadas movimentações involuntárias desordenadas na síndrome parkinsoniana quando o uso de biperideno estava relacionado a substâncias como carbidopa/levodopa, quinidina e álcool.

Efeitos Colaterais do Akineton

Os efeitos colaterais do Akineton podem ser manifestar de acordo com as características específicas de cada organismo, sendo alguns mais comuns que outros. Vejamos.

  • Parotite (frequência desconhecida);
  • Hipersensibilidade (muito raro);
  • Nervosismo, euforia (muito raro);
  • Insônia, agitação, medo, confusão, delírios e alucinações (raros);
  • Tontura, cansaço e problemas de memória (raros);
  • Sonolência excessiva (raro);
  • Disfunções renais e urinárias (muito raros);
  • Espasmos musculares (raro);
  • Erupções alérgicas (muito raro);
  • Náuseas, boca seca e alterações gástricas (raros);
  • Taquicardia (raro);
  • Bradicardia (muito raro);
  • Disfunções oculares (muito raro);
  • Dores de cabeça, ataxia, movimentos repetitivos involuntários, aumento dos distúrbios cerebrais, convulsões e dificuldades de falar (muito raro).

Ao notar um ou mais dos possíveis efeitos colaterais mencionados acima é necessário que o paciente informe ao médico para que sejam realizadas readequações na dosagem ou substituição do medicamento.

A Importância do Acompanhamento Médico

A dosagem de Akineton e tempo necessário de tratamento devem ser determinados somente pelo médico responsável pelo tratamento, geralmente um neurologista, que é especializado no diagnóstico e tratamento de doenças que afetam o sistema nervoso central e periférico.

É com base no quadro clínico de cada paciente que o especialista terá condições de propor o tratamento mais adequado após a realização de diversos tipos de exames de laboratório e imagem.

Além de acompanhar os resultados quanto ao tratamento dos sintomas e demais consequências da síndrome parkinsoniana, cabe também ao médico avaliar o estado de saúde geral do paciente a partir do momento em que ele inicia o tratamento com determinados tipos de medicamento. Por isso, é necessário realizar exames periódicos para verificar a saúde do fígado, rins, sistema cardiovascular etc.


Tratamentos Complementares

Além de Akineton e outros medicamentos recomendados para o tratamento da Doença de Parkinson, outras alternativas são bem recomendadas como forma de aumentar o bem-estar e oferecer maior qualidade de vida aos pacientes que sofrem com os efeitos dessa doença. Vejamos alguns dos principais tratamentos complementares indicados:

Sessões de Fisioterapia

Permitem que o paciente conserve a flexibilidade e força muscular por mais tempo, assim como alivia dores e traz grandes benefícios para a mobilidade física no dia a dia ao realizar tarefas em casa e no trabalho.

Terapias Ocupacionais

Melhoram as condições físicas, mentais e emocionais do paciente ao oferecer maior autonomia para a realização das tarefas cotidianas.

Atividade Física

Fundamental para diminuir a progressão da doença e fazer com que o paciente tenha melhores condições de mobilidade por mais tempo.


Depois de saber sobre o Akineton por meio dessas informações, sempre converse com seu médico antes de iniciar o tratamento com este ou demais medicamentos.

Para que os medicamentos possam ser comercializados, eles devem ser registrados na Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária). Em casos de dúvida, verifique no portal da Agência.

IMPORTANTE: Esse conteúdo é apenas para fins educacionais e não substitui de forma alguma a orientação de um médico. Consulte sempre um médico.